Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,128
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Euro R$ 3,753
Libra R$ 4,244
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do Dólar Hoje e Euro hoje


Bolsas de NY fecham sem direção única

SÃO PAULO  –  Na ausência de catalisadores para mudar o tom geral dos mercados, as referências acionárias de Nova York passaram o dia a oscilar perto da linha de estabilidade, nesta segunda-feira (21). O tom geral foi de cautela diante das incertezas políticas nos EUA.

Após ajustes, o Dow Jones fechou em alta de 0,13%, a 21.703,75 pontos. O S&P 500 avançou 0,12%, a 2.428,37 pontos. O Nasdaq cedeu 0,05%, a 6.213,12 pontos.

Os índices acionários permaneceram perto da estabilidade, mas com sinal negativo, durante praticamente toda a sessão. Na reta final, Dow Jones e S&P 500 viraram para o território dos ganhos com a moderação das quedas dos setores de energia e financeiro.

Os investidores reagiram nesta segunda a diversas notícias pontuais. Ações de mineradoras, por exemplo, subiram conforme commodities metálicas ganharam força diante das apostas no fortalecimento da economia chinesa. O cobre avançou para a máxima desde novembro de 2014 e metais como zinco e alumínio permaneceram perto das máximas em vários anos.

Os papéis de energia, por outro lado, lideraram a ponta oposta, a das perdas. O setor de energia recuou 0,51% na maior queda entre os 11 subíndices do S&P 500.

Outra notícia atingiu em cheio fabricantes de material esportivo e varejistas especializados. Várias casas de análise rebaixaram recomendações e cortaram preços-alvo das empresas do segmento. Com isso, Under Armour caiu 3,13% e Nike perdeu 2,39%, na maior baixa do índice Dow Jones. A rede de lojas Foot Locker registrou mais 7,36% de desvalorização após ter perdido quase 28% na sexta-feira (18).

A área de materiais esportivos nos EUA têm se mantido sob pressão devido ao fechamento de várias empresas, como a The Sports Authority, em meio à desaceleração de vendas de artigos do gênero. A decisão da Nike, da Under Armour e da Adidas de fazer vendas diretas aos consumidores também afetou o varejo físico especializado.

Hoje, na mínima intradia, o Dow Jones alcançou 21,6 mil pontos, abaixo da média móvel de 50 dias, de 21.629,16 pontos, de acordo com dados da FactSet. Embora tenha terminado em alta, o índice de “blue chips” americanas começa a dar sinais de deterioração da tendência de alta recente, na qual exibiu uma ascensão quase linear na maior parte do ano. Foi a primeira vez, desde meados de maio, que o Dow Jones caiu abaixo da média de curto prazo.

Como no eclipse do sol, neste primeiro dia de negócios da semana, o acúmulo de turbulências em torno do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, surgiu como fator com potencial de apagar a tendência de avanço dos principais índices acionários americanos, que, neste ano, registraram seguidas quebras de recordes.

Uma sucessão de respostas intempestivas, primeiro ao ameaçar a Coreia do Norte com “fogo e fúria como o mundo nunca viu” e depois ao equiparar grupos neonazistas e manifestantes antirracismo após um conflito na cidade de Charlesttonville, envolveu o governo Trump em um mar de incertezas nos últimos dias.

O republicano se viu cada vez mais isolado ao longo da semana passada, conforme líderes empresariais e até senadores de seu partido criticaram suas respostas ao embate entre grupos supremacistas brancos e defensores da igualdade racial.

Após os episódios, os investidores passaram a temer pelas chances de aprovação da agenda econômica favorável ao crescimento proposta por Trump.

Os atentados terroristas em Barcelona, na Espanha, na sexta-feira, reforçaram o sentimento de cautela entre os investidores.

Fonte: Valor Econômico

Ricardo Eletro - Finance One
CVC - Hoteis - Finance One

Mais lidos

Dólar resiste à pressão externa e cai com sinais de fluxo positivo
SÃO PAULO  -  O dólar terminou a sessão em queda, deixando para trás a pressão observada mais...
Dólar resiste à pressão externa e cai com sinal de fluxo positivo
SÃO PAULO  -  O dólar terminou a sessão em queda, deixando para trás a pressão observada mais...
Ibovespa oscila em dia de Fed, mas retoma os 76 mil pontos
SÃO PAULO  -  Em um dia que pressão por realização de lucros e reunião do Federal Reserve, o ...
Juros futuros reduzem queda após Fed, mas mantêm viés de baixa
SÃO PAULO  -  Os juros futuros reduziram a queda durante a tarde desta quarta-feira, seguindo a r...
Banco Central ganha R$ 1,275 bilhão com swaps em setembro até dia 15
BRASÍLIA  -  O Banco Central (BC) registra ganho de R$ 1,275 bilhão com as operações de swap c...
Mercados têm dia calmo, de olho nos juros dos EUA; Ibovespa recua
SÃO PAULO  -  Os mercados financeiros nacionais operam de olho na decisão do banco central dos E...

Publicidade