Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,135
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Euro R$ 3,745
Libra R$ 4,256
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do Dólar Hoje e Euro hoje


Exportações crescem 5,7% até segunda semana de janeiro


São Paulo, 16/01 (Enfoque) –

Com exportações de US$ 2,919 bilhões e importações de US$ 2,799 bilhões a segunda semana de janeiro teve superávit de US$ 120 milhões. No acumulado do mês, as vendas ao exterior totalizaram US$ 5,939 bilhões e as compras externas foram de US$ 5,598 bilhões, com saldo positivo de US$ 341 milhões.

Semana

Na segunda semana, a média das exportações chegou a US$ 583,9 milhões, o que significou uma queda de 3,3% em relação à média de US$ 603,9 milhões registrada na primeira semana de janeiro. O motivo foram as quedas nas exportações de produtos semimanufaturados (-34,7%, em razão de açúcar em bruto, celulose, ouro em formas semimanufaturadas, ferro-ligas e ferro fundido bruto) e de produtos manufaturados (-3,1%, em função, principalmente, de produtos laminados de ferro e aço, automóveis de passageiros, suco de laranja não congelado, veículos de carga, hidrocarbonetos e derivados halogenados). Já as vendas de produtos básicos cresceram 12,8%, por conta de petróleo em bruto, café em grão, soja em grão, minérios de ferro, trigo em grão.

Mês

Nas exportações, comparadas as médias até a segunda semana de janeiro deste ano (US$ 593,9 milhões) com a média de janeiro do ano passado (US$ 561,9 milhões), houve crescimento de 5,7%, em razão do aumento nas vendas de produtos semimanufaturados (+25,1%, por conta de açúcar em bruto, produtos semimanufaturados de ferro e aço, ferro-ligas, óleo de soja em bruto e ouro em formas semimanufaturadas) e de produtos básicos (+3,2%, por conta, principalmente, de minério de ferro, minério de manganês, farelo de soja, carnes suína e de frango, soja em grão, café em grão). No período em análise, houve uma pequena queda na venda de manufaturados (-0,2%,por conta de aviões, tubos flexíveis de ferro e aço, aquecedor, secador ou trocador de calor, suco de laranja congelado, tubos de ferro fundido de ferro e aço). Em relação ao mês anterior (dezembro de 2016), houve queda de 18%, causada por manufaturados (-31,9%), básicos (-8,8%) e semimanufaturados (-3,9%).

Nas importações, a média diária até a segunda semana (US$ 559,8 milhões), ficou 8,5% acima da média do mesmo período do ano passado (US$ 516,1 milhões). Nesse comparativo, aumentaram os gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (+126,3%), cereais e produtos da indústria da moagem (+99,4%), combustíveis e lubrificantes (+54,5%), equipamentos eletroeletrônicos (+42,4%) e instrumentos de ótica e precisão (+9,5%). Na comparação com dezembro de 2016, as compras externas  cresceram 6,9% por conta de equipamentos eletroeletrônicos (+27,6%), adubos e fertilizantes (+14,9%), plásticos e obras (+14,6%), combustíveis e lubrificantes (+11,6%) e químicos orgânicos/inorgânicos (+10,1%).

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 16/01/2017 15:15:45

Ricardo Eletro - Finance One
CVC - Hoteis - Finance One

Mais lidos

Dólar fecha em alta em dia de ajustes no exterior
SÃO PAULO  -  O mercado doméstico não ficou ileso dos ajustes globais à percepção de que o F...
Ibovespa realiza lucros e perde os 76 mil pontos
SÃO PAULO  -  Em um dia em que as bolsas de países emergentes fecharam em alta, o Ibovespa passo...
Juros futuros recuam, com apostas no rumo da Selic à mínima histórica
SÃO PAULO  -  O mercado financeiro deu novos passos no caminho da mínima histórica da Selic. As...
Ibovespa tem novo dia de correção e dólar sobe seguindo cena externa
SÃO PAULO  -  O Ibovespa aproveita o novo dia de baixa de papéis ligados à siderurgia e minera...
Ibovespa opera perto da estabilidade e dólar está acima de R$ 3,13
SÃO PAULO  -  O Ibovespa opera perto da estabilidade passados 40 minutos após a abertura dos neg...
Incerteza com eleição em 2018
O diretor-gerente da BlackRock, Will Landers, disse que o futuro dos investimentos no Brasil depende...

Publicidade