Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,135
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Euro R$ 3,745
Libra R$ 4,256
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do Dólar Hoje e Euro hoje


IGP-M recua na segunda prévia de outubro


São Paulo, 19/10 (Enfoque) –

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou, no segundo decêndio de outubro, variação de 0,16%. No mês anterior, para o mesmo período de coleta, a variação foi de 0,27%. O segundo decêndio do IGP-M compreende o intervalo entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.
 
O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou variação de 0,19%, no segundo decêndio de outubro. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,30%. A taxa de variação dos Bens Finais passou de -0,24% para 0,25%. A maior contribuição para este movimento teve origem no subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,45% para 2,02%.
 
A taxa de variação do grupo Bens Intermediários passou de -0,21%, em setembro, para 0,09%, em outubro. O destaque coube ao subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de -0,39% para 0,31%.
 
O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de 0,24%. No mês anterior, a taxa foi de 1,51%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: minério de ferro (9,09% para 1,73%), leite in natura (2,80% para -3,72%) e soja (em grão) (-0,18% para -1,33%). Em sentido oposto, destacam-se: milho (em grão) (-5,40% para -2,10%), bovinos (-1,04% para 1,90%) e mandioca (aipim) (8,49% para 11,45%).
 
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,08%, no segundo decêndio de outubro, ante 0,14%, no mesmo período do mês anterior. Três das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação        (0,11% para -0,26%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o item frutas, cuja taxa passou de 5,18% para -4,46%.
 
Também foram computados decréscimos nas taxas de variação dos grupos: Educação, Leitura e Recreação (0,54% para -0,48%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,46% para 0,41%).As maiores contribuições para estes movimentos partiram dos itens:show musical (5,50% para -5,38%) e artigos de higiene e cuidado pessoal    (-0,01% para -0,27%), respectivamente.
 
Em contrapartida, registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos:Transportes (-0,02% para 0,29%), Habitação (0,17% para 0,29%), Vestuário (-0,35% para 0,14%), Comunicação (0,01% para 0,32%) e Despesas Diversas(-0,16% para -0,14%). Nestas classes de despesa, vale mencionar: gasolina (-1,10% para  -0,06%), gás de bujão (0,45% para 4,03%), acessórios do vestuário (-1,19% para 1,37%), tarifa de telefone móvel (-0,01% para 0,35%) e alimentos para animais domésticos (-0,77% para 1,53%), respectivamente.
 

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou, no segundo decêndio de outubro, variação de 0,12%. No mês anterior, a taxa foi de 0,34%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou a mesma variação do mês anterior: 0,06%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou taxa de variação de 0,17%. No mês anterior, este índice variou 0,58%.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 19/10/2016 08:05:43

Ricardo Eletro - Finance One
LATAM - Ofertas Brasil - Finance One

IGP-M recua na segunda prévia de outubro


São Paulo, 20/10 (Enfoque) – O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou, no segundo decêndio* de outubro, variação de 0,13%. No mês anterior, para o mesmo período de coleta, a variação foi de 0,31%. O segundo decêndio do IGP-M compreende o intervalo entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou variação de 0,03%, no segundo decêndio de outubro. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,32%. A taxa de variação dos Bens Finais passou de 0,24% para 0,31%. A maior contribuição para este movimento teve origem no subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de -6,29% para -1,68%.

A taxa de variação do grupo Bens Intermediários passou de 0,56%, em setembro, para -0,12%, em outubro. O destaque coube ao subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de 0,45% para -0,37%.

O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de -0,12%. No mês anterior, a taxa foi de 0,12%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: bovinos (3,45% para 1,69%), suínos (10,35% para 2,72%) e soja (em grão) (-2,16% para -2,89%). Em sentido oposto, destacam-se: aves (1,68% para 3,57%), minério de ferro (-5,43% para -5,15%) e café (em grão) (4,73% para 5,62%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,40%, no segundo decêndio de outubro, ante 0,32%, no mesmo período do mês anterior. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação (0,20% para 0,55%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de -7,27% para 0,63%.

Também foram computados acréscimos nas taxas de variação dos grupos:

– Vestuário (0,01% para 0,70%);
– Comunicação (0,05% para 0,68%); e
– Transportes (0,28% para 0,29%).

As maiores contribuições para estes movimentos partiram dos itens: roupas (0,13% para 0,59%), tarifa de telefone residencial (-1,91% para 0,15%) e gasolina (0,15% para 0,41%), respectivamente.

Em contrapartida, registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos:

– Educação, Leitura e Recreação (0,50% para -0,31%);
– Habitação (0,43% para 0,40%);
– Saúde e Cuidados Pessoais (0,57% para 0,53%); e
– Despesas Diversas (0,28% para 0,12%).

Nestes grupos, destacam-se os itens: passagem aérea (1,02% para -14,84%), tarifa de eletricidade residencial (1,17% para 0,64%), artigos de higiene e cuidado pessoal (0,55% para 0,39%) e clínica veterinária (2,12% para 0,70%), respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou, no segundo decêndio de outubro, variação de 0,15%. No mês anterior, a taxa foi de 0,20%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,31%. No mês anterior, a taxa foi de 0,43%. O índice que representa o custo da Mão de Obra não registrou variação, pelo segundo mês consecutivo.

* O resultado referente ao segundo decêndio de cada mês também é conhecido como segunda prévia.


(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Recebido em: 20/10/2014 08:02:51

Ricardo Eletro - Finance One
CVC - Hoteis - Finance One

Mais lidos

Dólar fecha em alta em dia de ajustes no exterior
SÃO PAULO  -  O mercado doméstico não ficou ileso dos ajustes globais à percepção de que o F...
Ibovespa realiza lucros e perde os 76 mil pontos
SÃO PAULO  -  Em um dia em que as bolsas de países emergentes fecharam em alta, o Ibovespa passo...
Juros futuros recuam, com apostas no rumo da Selic à mínima histórica
SÃO PAULO  -  O mercado financeiro deu novos passos no caminho da mínima histórica da Selic. As...
Ibovespa tem novo dia de correção e dólar sobe seguindo cena externa
SÃO PAULO  -  O Ibovespa aproveita o novo dia de baixa de papéis ligados à siderurgia e minera...
Ibovespa opera perto da estabilidade e dólar está acima de R$ 3,13
SÃO PAULO  -  O Ibovespa opera perto da estabilidade passados 40 minutos após a abertura dos neg...
Incerteza com eleição em 2018
O diretor-gerente da BlackRock, Will Landers, disse que o futuro dos investimentos no Brasil depende...

Publicidade