Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,144
Bovespa 70.011,25
CDI 9,14% a.a
Poupança (mês) 0,5192%
Euro R$ 3,726
Libra R$ 4,037
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do Dólar Hoje e Euro hoje


Juros futuros recuam em dia de votação de denúncia contra Temer

SÃO PAULO  –  No dia da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara dos Deputados, o mercado de juros futuros apresentou recuo. Ao fim do pregão regular, às 16h, o DI janeiro/2023 tinha queda para 9,810% (9,880% no ajuste anterior). O DI janeiro/2021 cedeu 9,220% (9,280% no ajuste de ontem). 

O DI janeiro/2019 também registrava baixa, a 8,020% (8,050% no último ajuste). E o DI janeiro/2018 caía a 8,215% (8,230% no ajuste anterior), no mesmo horário.

Estimativas dão conta de que Temer sairá vencedor da votação na Câmara. A consultoria Eurasia chegou a falar em 300 votos favoráveis ao relatório, que é contra a denúncia. Esse patamar fortaleceu a expectativa do governo em relação à retomada do debate da reforma da Previdência, posteriormente. Segundo um gestor, a possibilidade de cerca de 270 votos a favor do presidente Temer, mesmo sem apoio do PSDB, daria espaço para a negociação de cargos, inclusive com os tucanos, o que aumentaria sobremaneira chances de aprovação da reforma ainda neste ano.

No fim das contas, lembra, toda a atenção do mercado está voltada para o fiscal. Com a retomada do debate em torno da Previdência, investidores voltam a contar com alguma materialização de esforços com o objetivo de melhorar a situação das contas públicas. “A revisão da meta não é algo bom, mas, se ao mesmo a reforma da Previdência voltar a ser tema ainda para este ano, o mercado vai minimizar a piora da meta.”

O que não está nos preços, porém, é um rebaixamento da nota de crédito soberano, fruto do aumento das preocupações com a meta fiscal. Atualmente, o país é considerado mercado de risco pelas três principais agências globais: Moody’s, Fitch e S&P.

“A mudança de meta não está totalmente no preço, mas certamente o rebaixamento ainda não é algo refletido nos mercados. Portanto, os patamares dos ativos não seriam os que vemos agora, caso haja novo corte da nota”, afirma Matheus Gallina, trader de renda fixa da Quantitas Asset Management.

Fonte: Valor Econômico

Ricardo Eletro - Finance One
LATAM - Ofertas Brasil - Finance One

Mais lidos

Dono do banco Clássico chega a ganhar R$ 1 bi com elétricas
José João Abdalla Filho, conhecido Juca Abdalla, dono do banco Clássico, viu seu patrimônio aume...
Bolsas de NY caem após ameaça de Trump de paralisar governo por muro
SÃO PAULO  -  Na sessão seguinte ao melhor dia em meses para as bolsas de Nova York, as incertez...
Mercado segue otimista e fecha acima dos 70 mil pontos; Eletrobras cai
SÃO PAULO  -  A bolsa de valores resistiu à tendência de realização de lucros depois da alta ...
Dólar fecha com a maior queda ante o real desde julho
SÃO PAULO  -  O dólar sofreu nesta quarta-feira a maior queda diária em seis semanas. A moeda ...
Juros futuros registram queda nesta quarta-feira
SÃO PAULO  -  Em meio ao maior volume em quatro semanas, os juros futuros experimentaram forte pr...
Juros futuros têm queda firme, com otimismo sobre política econômica
SÃO PAULO  -  Em meio ao maior volume em quatro semanas, os juros futuros experimentaram forte pr...

Publicidade