Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,183
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Euro R$ 3,753
Libra R$ 4,199
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do Dólar Hoje e Euro hoje


Juros futuros recuam em dia de votação de denúncia contra Temer

SÃO PAULO  –  No dia da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara dos Deputados, o mercado de juros futuros apresentou recuo. Ao fim do pregão regular, às 16h, o DI janeiro/2023 tinha queda para 9,810% (9,880% no ajuste anterior). O DI janeiro/2021 cedeu 9,220% (9,280% no ajuste de ontem). 

O DI janeiro/2019 também registrava baixa, a 8,020% (8,050% no último ajuste). E o DI janeiro/2018 caía a 8,215% (8,230% no ajuste anterior), no mesmo horário.

Estimativas dão conta de que Temer sairá vencedor da votação na Câmara. A consultoria Eurasia chegou a falar em 300 votos favoráveis ao relatório, que é contra a denúncia. Esse patamar fortaleceu a expectativa do governo em relação à retomada do debate da reforma da Previdência, posteriormente. Segundo um gestor, a possibilidade de cerca de 270 votos a favor do presidente Temer, mesmo sem apoio do PSDB, daria espaço para a negociação de cargos, inclusive com os tucanos, o que aumentaria sobremaneira chances de aprovação da reforma ainda neste ano.

No fim das contas, lembra, toda a atenção do mercado está voltada para o fiscal. Com a retomada do debate em torno da Previdência, investidores voltam a contar com alguma materialização de esforços com o objetivo de melhorar a situação das contas públicas. “A revisão da meta não é algo bom, mas, se ao mesmo a reforma da Previdência voltar a ser tema ainda para este ano, o mercado vai minimizar a piora da meta.”

O que não está nos preços, porém, é um rebaixamento da nota de crédito soberano, fruto do aumento das preocupações com a meta fiscal. Atualmente, o país é considerado mercado de risco pelas três principais agências globais: Moody’s, Fitch e S&P.

“A mudança de meta não está totalmente no preço, mas certamente o rebaixamento ainda não é algo refletido nos mercados. Portanto, os patamares dos ativos não seriam os que vemos agora, caso haja novo corte da nota”, afirma Matheus Gallina, trader de renda fixa da Quantitas Asset Management.

Fonte: Valor Econômico

Ricardo Eletro - Finance One
CVC - Hoteis - Finance One

Mais lidos

Dólar abre a semana em alta e fecha a R$ 3,1851
SÃO PAULO  -  O dólar cravou o maior patamar de fechamento em quase duas semanas frente ao real ...
Ibovespa cede 0,43% nesta segunda-feira, mas sustenta 75 mil pontos
SÃO PAULO  -  O Ibovespa cedeu nesta segunda-feira mais uma vez à realização de lucros e acomo...
Cenário externo puxa juros futuros de médio e longo prazo para cima
SÃO PAULO  -  As taxas de juros dos contratos de médio e longo prazos voltaram a apontar para ci...
Com horário de verão, bolsa fechará às 18h a partir de segunda-feira
SÃO PAULO  -  Com o início do horário de verão no Brasil a partir do próximo domingo (15), o ...
Ibovespa recua e dólar fica perto de R$ 3,19 com cena externa no foco
SÃO PAULO  -  O Ibovespa opera em queda nesta segunda-feira, dia de volume fraco de negócios por...
Ibovespa opera em baixa com Vale e siderúrgicas
SÃO PAULO  -  O Ibovespa volta a operar em queda nesta segunda-feira, dia de volume fraco de neg...

Publicidade