Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Ações da Vale: o que fazer após tragédia em Brumadinho

Escrito por: Rafael Massadar em 30 de janeiro de 2019

As ações Vale tiveram sua maior queda da história. A tragédia envolvendo uma barragem da mineradora em Brumadinho (MG) teve efeito negativo nos papéis da companhia na Bolsa de Valores brasileira, a B3, e na de Nova York.

Ações da Vale Brumadinho MG
Foto: REUTERS/Washington Alves

As ações da Vale despencaram mais de 20% na Bolsa brasileira. Já na Bolsa de Nova York, os ADRs (recibos de ações) da companhia chegaram a cair 15,4% no dia da catástrofe.

Mais da metade das ações da Vale (52%) pertence a várias classes de investidores, como os estrangeiros, segundo a B3. A segunda maior acionista é a Litel Participações (formada por fundos de pensão de estatais), com 19%.

Também são acionistas importantes a BNDES Participações (7,6%), Bradespar (6,3%) e Blackrock (5,9%). O governo é dono de 12 ações (golden share) na mineradora, mas sua participação é irrelevante.

É importante dizer, no entanto, que a Vale pagou altos dividendos ou JSCP aos acionistas.

Os valores são:

2015: R$ 5,07 bilhões;
2016: R$ 1,829 bilhão;
2017: R$ 4,667 bilhões;
2018: R$ 13 bilhões (até setembro).

Vale registrou lucro em 2018

A mineradora vivia um dos seus melhores momentos, com geração de quase R$ 12 bilhões de caixa no terceiro trimestre de 2018, no último relatório divulgado para seus acionistas.

O balanço da companhia em 2018 deve ser apresentado em março deste ano.

O lucro líquido da Vale no terceiro trimestre foi de US$ 1,408 bilhão. Esse valor representa uma queda de 36,8% em relação ao visto um ano antes. No trimestre imediatamente anterior, o lucro foi de US$ 76 milhões.

Considerando o lucro líquido recorrente, a Vale reportou um ganho de US$ 2,056 bilhões. Queda de 1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Portanto, àqueles que pensam em vender as ações da Vale após a tragédia envolvendo a barragem da mineradora em Brumadinho (MG) é recomendada cautela!

Os efeitos da tragédia do rompimento da barragem de Mariana, em novembro de 2015, fizeram com que o valor dos papéis da Vale recuassem.

No entanto, a Vale pagou acionistas e recuperou valor de mercado após a tragédia de Mariana.

O aumento da produção com maior qualidade ao longo de 2018 fez com suas ações se valorizassem.

A valorização acumulada havia chegado a 522%, com a ação sendo negociada a R$ 56,15.

Penalidades à Vale somam R$ 6,25 bilhões

O governo Federal bloqueou R$ 6 bilhões da Vale após o rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Esse valor representa pouco mais da metade do lucro de R$ 11,15 bilhões obtido pela mineradora entre janeiro e setembro de 2018.

Além do montante que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) tornou indisponível, a Vale também foi punida com uma multa de R$ 250 milhões, aplicada pelo Ibama.

Juntas, as penalidades somam R$ 6,25 bilhões, 56% do lucro da mineradora nos três primeiros trimestres do ano passado.

No entanto, após bloqueio de quase metade do caixa, a Vale cancelou a distribuição de dividendos, ajudando na queda das ações.

O que fazer: comprar ou vender ações da Vale?

Para quem é acionista da Vale e tem um plano de investimento de longo prazo, a recomendação dos analistas é não vender as ações.

Thiago Lofiego, analista do Bradesco BBI, diz que o desempenho das ações da Vale pode ser penalizado no curto prazo. Principalmente à medida que as notícias sobre multas e custos potenciais se intensifiquem.

Jonathan Brandt, do HSBC, afirma ainda que embora o impacto direto na produção de minério de ferro seja provavelmente insignificante, as implicações do acidente podem ser substanciais.

Segundo ele, espera-se que as repercussões do colapso afetem as operações com potenciais fechamentos de minas, ações judiciais, custos de remediação e outros passivos.

No entanto, analistas recomendam que o melhor é manter a aplicação. Sendo ela a posse direta de ações da mineradora ou por meio do fundo de investimento com recursos do FGTS. O recomendado é esperar a volatilidade passar.

A decisão de manutenção ou venda deve ser tomada quando esses números estiverem mais claros. Já para quem está fora do papel, o momento é de esperar para comprar.

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe um comentário

Posts relacionados

fraudes com criptomoedas
criptomoedas
rede social dos investidores
IPO
Saber seu perfil de investidor