BC: Balanço de pagamentos registrou superávit de US$4,6 bilhões em maio | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$3,91
Euro R$4,48
Libra R$4,99
Peso R$0,13
Bitcoin R$25.487,16
Ethereum R$1.223,28
Litecoin R$235,66
Ripple R$1,38
Bovespa 81.533,08
CDI 2,64% a.a
Selic 6,40% a.a
Poupança 0,50% a.a
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

BC: Balanço de pagamentos registrou superávit de US$4,6 bilhões em maio

O balanço de pagamentos registrou superávit de US$4,6 bilhões em maio. As transações correntes foram deficitárias em US$2 bilhões, acumulando déficit de US$36,4 bilhões nos últimos doze meses, equivalentes a -1,94% do PIB. A conta financeira apresentou ingressos líquidos de US$6,6 bilhões no mês. Destacaram-se os ingressos líquidos de investimentos estrangeiros diretos e em carteira, US$3,5 bilhões em cada modalidade.

A conta de serviços apresentou déficit de US$2,6 bilhões no mês, 48% superior ao registrado em maio de 2009. As despesas líquidas com transportes somaram US$530 milhões, aumento de 49% na mesma base de comparação. A conta de viagens internacionais registrou despesas líquidas de US$748 milhões, ante déficit de US$426 milhões em maio do ano anterior, com aumento de 48,3% nos gastos efetuados por brasileiros no exterior e de 15,4% nas despesas de turistas estrangeiros no País. Dentre os demais itens da conta de serviços, no mesmo período comparativo, destacaram-se as elevações nas despesas líquidas de aluguel de equipamentos, 51,4%, royalties e licenças, 21,2%, e computação e informações, 4,3%. Houve declínio nas despesas líquidas com seguros, 56,9%. Os outros serviços registraram ingresso líquido de US$583 milhões, acréscimo de 49,5% na comparação com o ocorrido em maio de 2009.

As remessas líquidas de renda para o exterior totalizaram US$3,2 bilhões em maio, elevação de 12,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior. As saídas líquidas de renda de investimento direto somaram US$1,7 bilhão, ante US$1,9 bilhão no mesmo período comparativo. As remessas líquidas de renda de investimentos em carteira atingiram US$1,4 bilhão, ante US$604 milhões em maio de 2009. No mês, a despesa líquida de renda de outros investimentos somou US$248 milhões, ante US$474 milhões verificados no mesmo período do ano anterior. As despesas líquidas totais de lucros e dividendos atingiram US$2,9 bilhões, crescimento de 12,6% no período comparativo, enquanto aquelas relacionadas a juros somaram US$413 milhões, acréscimo de 8,9%.

Em maio, as transferências unilaterais acumularam ingressos líquidos de US$361 milhões, 54,1% superiores ao resultado de maio de 2009.

Os investimentos brasileiros diretos no exterior registraram aplicações líquidas de US$2,4 bilhões, compreendendo US$3,5 bilhões em saídas de investimentos líquidos em participação no capital e US$1,1 bilhão de retornos líquidos de empréstimos intercompanhias concedidos ao exterior.

Os investimentos estrangeiros diretos somaram ingressos líquidos de US$3,5 bilhões. Os ingressos líquidos em participação no capital de empresas no País, incluídas as conversões em investimentos, atingiram US$3,2 bilhões, enquanto os desembolsos líquidos de empréstimos intercompanhias totalizaram US$296 milhões.

Os investimentos estrangeiros em carteira apresentaram ingressos líquidos de US$3,5 bilhões no mês. Os investimentos em títulos de renda fixa negociados no País e em ações negociadas no País e no exterior registraram ingressos líquidos de US$1,7 bilhão, comparados a ingressos líquidos de US$4,6 bilhões no mês anterior. Os bônus negociados no exterior tiveram remessas líquidas de US$156 milhões, decorrentes de amortizações de US$137 milhões e ágios de US$19 milhões. Os investimentos em notes e commercial papers apresentaram ingressos líquidos de US$1,9 bilhão no mês, com captações de US$2,1 bilhões e amortizações de US$153 milhões. Os ingressos líquidos em títulos de curto prazo somaram US$102 milhões em maio, comparados a US$78 milhões no mês anterior.

Os outros investimentos brasileiros no exterior resultaram em aplicações líquidas de US$2,3 bilhões em maio, compreendendo concessão líquida de empréstimos de curto prazo, US$5,2 bilhões, e redução de depósitos de bancos brasileiros no exterior, US$2,8 bilhões.

Os outros investimentos estrangeiros no País registraram ingressos líquidos de US$4 bilhões em maio. O crédito comercial de fornecedores registrou desembolsos líquidos de US$2,1 bilhões, fundamentalmente constituídos por operações de curto prazo, US$2,3 bilhões. Os empréstimos aos demais setores apresentaram ingressos líquidos de US$1,9 bilhão, compostos por desembolsos líquidos de empréstimos diretos, US$742 milhões; organismos, US$331 milhões; créditos de compradores, US$280 milhões; e agências, US$77 milhões. Os empréstimos de curto prazo somaram ingressos líquidos de US$490 milhões.



Fonte:Enfoque Informações Financeiras Ltda.

Recebido em:
22/06/2010 10:41:17

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando na metade e as empresas não param de crescer. Esse é o resultado da pesquisa ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
Descubra quais são as 20 profissões em alta no Brasil em 2018
São muitas profissões. Mas, qual escolher? É necessário analisar alguns fatores. Entre eles, sua ...




Publicidade