BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de junho | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,4167
Bitcoin R$ 31.500,04
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 5,054
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de junho

·         ETFs registram aumento de negócios, em relação ao mês anterior.

·         Cresce volume financeiro com empréstimos de ações, na comparação com maio.

·         Treze clubes de investimento iniciam atividades.

·         Segmento BM&F apresenta desempenho superior ao de maio.

·         Contratos negociados de milho saltam de 40,6 mil para 67,2 mil.

 

Segmento Bovespa

Em junho, o segmento Bovespa movimentou R$ 124,19 bilhões, ante R$ 133,60 bilhões registrados em maio. A média diária foi de R$ 5,91 bilhões, ante R$ 6,07 bilhões. Foram realizados 10.187.883 negócios, ante 11.172.707 em maio. A média diária de negócios atingiu 485.137, ante 507.850 no mês anterior.

Ações

As ações que registraram maior giro financeiro em junho foram: Vale PNA, com R$ 10,99 bilhões; Petrobras PN, com R$ 8,7 bilhões; OGX Petróleo ON, com R$ 5,14 bilhões; Itauunibanco PN, com R$ 4,52 bilhões; e Pão de Açúcar PN, com R$ 3,28 bilhões.

Confira os dados de mercado diário

Índices

O Ibovespa encerrou junho aos 62.403 pontos, com queda de 3,43%.

As ações que obtiveram as maiores altas do Ibovespa em junho foram: Pão de Açúcar PN (+14,14%); Light ON (+8,14%); Marfrig ON (+7,69%); Cemig PN (+6,99%); e AmBev PN (+5,40%). As maiores baixas foram: Telesp PN (-17,44%); Telemar ON (-16,74%); Fibria ON (-15,92%); Gafisa ON (-14,60%); e B2W Varejo ON (-13,61%).

Em junho, os demais índices calculados pela Bolsa apresentaram as seguintes performances: IBrX-50 (-1,58% a 8.804 pontos); IBrX-100 (-1,54% a 20.745 pontos); ISE (-2,56% a 2.067 pontos); Itel (-4,58% a 1.774 pontos); IEE (+0,93% a 30.073 pontos); INDX (-4,06% a 9.778 pontos); IVBX-2 (-3,26% a 5.970 pontos); IGC (-2,31% a 7.089 pontos); Itag (-2,05% a 9.157 pontos); Small Cap (-2,68% a 1.373 pontos); MidLarge Cap (-1,37% a 914 pontos); ICON (-0,99% a 1.620 pontos); IMOB (-7,79% a 892 pontos); IFNC (+0,50% a 3.534 pontos); ICO2 (-0,99% a 1.044 pontos); IGCT (-1,54% a 2.005 pontos); UTIL (+1,21% a 2.689 pontos); IDIV (-0,08% a 2.637 pontos); IMAT (-6,15% a 1.941 pontos); e IBRA (-1,48% a 1.905 pontos).

Valor de mercado

O valor de mercado (capitalização bursátil) das 377 empresas com ações negociadas na BM&FBOVESPA, ao final de junho, foi de R$ 2,42 trilhões. Em maio, esse valor era de R$ 2,45 trilhões, referente a 375 companhias.

Níveis diferenciados

Em junho, as 177 empresas integrantes dos Níveis Diferenciados de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA representavam 65,56% do valor de mercado, 75,42% do volume financeiro e 77,57% dos negócios realizados no mercado a vista. Ao final de maio, eram 175 empresas, que representavam 65,71% do valor de mercado, 80,91% do volume financeiro, e 82,75% da quantidade de negócios.

Participação dos mercados

Em junho, o mercado a vista (lote-padrão) respondeu por 94,9% do volume financeiro; seguido pelo de opções, com 3,3%; e pelo mercado a termo, com 1,8%. O After Market movimentou R$ 828,2 milhões, com a realização de 56.223 negócios, ante R$ 878 milhões e 65.214 transações no mês anterior.

Participação dos investidores

Em junho, os investidores estrangeiros lideraram a movimentação financeira no segmento Bovespa, com participação de 34,74%, ante 33,75% em maio. Na segunda posição, ficaram os investidores institucionais, que obtiveram participação de 33,46%, ante 32,94%. As pessoas físicas movimentaram 20,93%, ante 21,70%. As instituições financeiras ficaram com 9,41%, ante 7,78%; as empresas, com 1,43%, ante 3,40%; e o grupo Outros com 0,03%, ante 0,43% em maio.

Investimento estrangeiro

Em 2011, os investimentos estrangeiros nos papéis de empresas brasileiras, até junho, atingiu volume positivo de R$ 5.460.381.354,20, resultado de R$ 6.571.670.313,20 em distribuições públicas (sendo 5 bilhões ofertados no Brasil) e do saldo negativo de R$ 1.111.288.959,00 na negociação no mercado secundário da BM&FBOVESPA.

No mês de junho, o balanço da negociação dos investidores estrangeiros na BM&FBOVESPA foi negativo em R$ 344.235.904,00, resultado de vendas no valor de  R$ 43.286.936.820,00 e de compras de ações de R$ 42.942.700.916,00.


A participação dos estrangeiros nas ofertas públicas de ações, incluindo IPO’s, representa 57,8% do total de R$ 11.378.514.934,00 das operações realizadas com Anúncios de Encerramento publicados até 04 de julho de 2011, conforme tabela disponível na sala de imprensa do site.

Confira os dados de ofertas públicas e IPOs

Clubes de investimento

Em junho, foram abertos 13 novos clubes de investimento, totalizando 2.939 registros. Até o final de maio, o patrimônio líquido era de R$ 10,67 bilhões e o número de cotistas estava em 125.638, conforme os últimos dados disponíveis.

 Investidores individuais

O número de contas de investidores pessoas físicas no mercado de ações foi de 603.259 em junho. Ao final de maio, o número era de 607.179.

Home Broker

Em junho, a média diária de negócios foi de 265.957, ante 270.950 no mês anterior. O número total de negócios realizados foi de 5.851.056, ante 5.960.893 em maio. O volume financeiro totalizou R$ 43,78 bilhões, ante R$ 42,31 bilhões em maio. A participação no número de negócios do segmento Bovespa foi de 28,72%, ante 26,68% em maio. O serviço foi oferecido por 69 corretoras, ante 70 no mês anterior. 

ETFs

Os oito ETFs (exchange traded funds, na sigla em inglês) negociados na BM&FBOVESPA totalizaram 25.701 negócios, em junho, ante 24.898 em maio. O volume financeiro registrou R$ 598,43 milhões, ante R$ 617,11 milhões em maio. Destaque para o ETF BOVA11, que replica o índice Ibovespa, com volume financeiro de R$ 533,65 milhões e 22.982 negócios.

Confira o boletim mensal de ETFs

Empréstimos de ações

Em junho, o número de operações com empréstimos de ações foi de 118.700, ante 121.971 em maio. O volume financeiro totalizou R$ 57,99 bilhões, ante R$ 54,99 bilhões no mês anterior.

Renda Fixa

Em junho, o volume financeiro do mercado secundário de renda fixa privada totalizou R$ 7,26 milhões, ante R$ 16,43 milhões em maio, somados os negócios no Bovespa Fix e Soma Fix. Deste total, R$ 5,26 milhões foram referentes a debêntures e R$ 2,03 milhões aos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

Conheça os mercados de Renda Fixa, Bovespa Fix e Soma Fix

Segmento BM&F

Em junho, os mercados do segmento BM&F totalizaram 51.023.956 contratos negociados e volume financeiro de R$ 3,25 trilhões, ante 48.342.782 contratos e giro de R$ 3,18 trilhões em maio. A média diária de contratos negociados foi de 2.429.712 em junho, ante 2.197.399 em maio. Ao final do último pregão de junho, o número dos contratos em aberto, no total do mercado, foi de 43.343.347 posições, ante 38.609.738 em maio.

Confira os dados do Volume Geral

Derivativos financeiros

Em junho, o futuro de juro (DI) contabilizou 20.883.925 contratos negociados, ante 20.003.655 em maio. O dólar comercial futuro encerrou junho com 7.496.766 contratos negociados, ante 8.964.986 no mês anterior. O futuro de Ibovespa apresentou 1.715.319 contratos, ante 1.713.237. O contrato futuro de reais por euro contabilizou 29.215 contratos negociados, ante 52.244.

Derivativos agropecuários

Em junho, foram negociados 224.494 contratos agropecuários futuros e de opções, ante 220.155 em maio. Ao final de junho, foram registrados 103.821 contratos em aberto, ante 100.262 no mês anterior. As opções sobre futuro de commodities totalizaram 22.947 contratos em junho ante 20.116 no período anterior.

 

Os novos derivativos de soja com liquidação financeira, lançados em janeiro, registraram a negociação de 5.584 contratos no mês de maio, ante 4.183 no mês anterior.

O número de contratos negociados de futuros e de opções de boi gordo foi 99.084, em junho, ante 112.866 em maio. O milho fechou o período com total de 67.283 contratos, entre futuros e opções, ante 40.603 no mês anterior. O café arábica encerrou junho com 39.219 contratos, enquanto em maio o total foi de 48.932. O mercado futuro de etanol hidratado registrou 13.322 contratos negociados, ante 13.268, em maio.

Clique aqui para ver o relatório mensal agropecuário

Minicontratos

Em junho, foram negociados 2.018.776 minicontratos derivativos, ante 2.120.308 em maio. O mercado futuro do Ibovespa negociou 1.869.057 minicontratos, ante 1.944.292. O dólar comercial futuro totalizou a negociação de 148.078 minicontratos, ante 174.732 em maio. Os minicontratos futuros encerraram junho com 30.983 posições em aberto, ante 38.878 no mês anterior.

Ouro a vista

O mercado disponível de ouro (250 gramas) negociou, em junho, 1.897 contratos, ante 2.279 em maio. O volume financeiro totalizou R$ 37,89 milhões em junho, ante R$ 45,59 milhões no mês anterior.

Participação dos investidores

Em junho, as instituições financeiras lideraram a movimentação financeira nos mercados do segmento BM&F, com participação de 39,18%, ante 38,50% no mês anterior. Na segunda posição, ficaram os investidores institucionais, que obtiveram 30,91%, ante 31,17% em maio. No mesmo período, os investidores estrangeiros alcançaram 23,40%, ante 23,74%. As pessoas físicas encerraram o mês com participação de 4,63%, ante 4,43%; e as empresas, com 1,88%, ante 2,13%.

Acesso direto ao mercado (DMA)

Segmento BM&F

Em junho, as negociações realizadas por roteamento de ordens via Acesso Direto ao Mercado
(DMA, na sigla em inglês) no segmento BM&F* registraram 20.409.252 contratos negociados em 2.105.981 negócios. No mês anterior, o número de contratos negociados foi de 21.887.086, em 2.357.922 negócios.

Os volumes negociados por tipo de DMA no segmento BM&F foram:

DMA tradicional – 8.168.492 contratos negociados em 775.388 negócios, ante 8.734.852 contratos e 859.242 negócios em maio;

DMA via provedor (incluindo o roteamento de ordens com o Sistema Globex) – 7.365.306 contratos negociados em 260.441 negócios, ante 7.990.464 contratos e 290.085 negócios em maio;

DMA via co-location – 4.866.459 contratos negociados em 1.068.776 negócios, ante 5.160.784 contratos e 1.208.386 negócios em maio.

Segmento Bovespa

Em junho, as negociações realizadas por roteamento de ordens via DMA no segmento Bovespa* totalizaram volume de R$ 88.977.494.000,00 em 10.244.578 negócios. No mês anterior, o volume foi de R$ 94.344.214.000,00, em 10.878.102 negócios.


Os volumes negociados por tipo de DMA no segmento Bovespa foram:

DMA tradicional – R$ 82.843.187.000,00 em 9.287.652 negócios, ante R$ 88.619.462.000,00 e 9.998.673 negócios.

DMA via co-location – R$ 5.206.388.000,00, em 856.246 negócios, ante R$ 4.793.420.000,00 e 811.860 negócios.

DMA via provedor – R$ 927.919.000,00 em 100.680 negócios, ante R$ 931.332.000,00 e 67.569 negócios.

 

Em junho, as negociações realizadas por investidores estrangeiros apresentados à BM&FBOVESPA pela CME (que utilizam o sistema de roteamento de ordens Globex-GTS ou que acessam os mercados da Bolsa via co-location) totalizaram 2.658.361 contratos negociados, em 623.653 negócios. Em maio, os totais foram 2.865.296 contratos negociados e 706.770 negócios.  

 

* O acesso direto aos sistemas de negociação da BM&FBOVESPA é realizado por DMA modelos 1, 2, 3 e 4. No modelo 1 ou tradicional, o cliente acessa o sistema GTS ou o Megabolsa por intermédio da estrutura tecnológica da corretora. No modelo 2 ou via provedor, ele não utiliza a estrutura anterior e se conecta aos sistemas por um provedor de acesso autorizado. No modelo 3, o acesso às plataformas de negociação da Bolsa ocorre via conexão direta. No modelo 4 ou via co-location, o cliente instala seu próprio computador dentro da Bolsa. O acesso via roteamento de ordens com o Globex, no segmento BM&F, é uma forma de DMA modelo 2.

 

 Notas: Os volumes negociados por tipo de acesso incluem as duas partes do negócio (compra e venda).

Os volumes por tipo de acesso de ambos os segmentos passaram a ser divulgados de forma consolidada no balanço de operações da BM&FBOVESPA a partir de maio de 2009.



Fonte: Enfoque Informações Financeiras

Recebido em:
06/07/2011 15:11:33

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras







BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de junho

Segmento Bovespa

O segmento Bovespa movimentou R$122,6 bilhões, em junho de 2010, ante R$152,93 bilhões registrados em maio. A média diária foi de R$5,84 bilhões, ante R$7,28 bilhões. Foram realizados 8.371.028 negócios, ante 10.261.145 no período anterior. A média diária de negócios atingiu a marca de 398.620, ante 488.626 em maio.

Ações

As ações que registraram maior giro financeiro em junho foram: Vale PNA, com R$15,90 bilhões; Petrobras PN, com R$10,71 bilhões; OGX Petróleo ON, com R$4,36 bilhões; Usiminas PNA, com R$3,37 bilhões; e Itauunibanco PN, com R$3,23 bilhões.

Confira os dados de mercado diário

Índices

O Ibovespa encerrou junho aos 60.935 pontos, com queda de -3,3% em relação ao mês anterior.

As ações que obtiveram as maiores altas do Ibovespa foram: Eletropaulo PNB (+16,75%); Braskem PNA (+16,13%); Lojas Renner ON (+12,64%); Cesp PNB (+12,28%); e Copel PNB (+10,70%). As maiores baixas foram: Vale ON (-12,70%); Vale PNA (-11,59%); Bradespar PN (-11,38%); Fibria ON (-9,69%); e Telemar PN (-9,30%).

Os demais índices calculados pela Bolsa apresentaram as seguintes performances: IBrX-50 (-5,70% a 8.293 pontos); IBrX-100 (-4,71% a 19.055 pontos); ISE (-0,44% a 1.849 pontos); Itel (-2,21% a 1.379 pontos); IEE (+5,44% a 24.080 pontos); INDX (+0,05% a 9.514 pontos); IVBX-2 (+0,36% a 5.357 pontos); IGC (-2,30% a 6.283 pontos); Itag (-1,75% a 8.072 pontos); Small Cap (+3,02% a 1.136 pontos); MidLarge Cap (-5,16% a 840 pontos); Iconsumo (+4,01% a 1.357 pontos); Imobiliário (+0,37% a 834 pontos); e Ifinanceiro (-4,97% a 3.064 pontos).

Valor de Mercado

O valor de mercado (capitalização bursátil) das 373 empresas com ações negociadas na BM&FBOVESPA, ao final de junho de 2010, foi de R$2,07 trilhões. Em maio, esse valor era de R$2,14 trilhões, referente a 375 companhias.

Níveis Diferenciados

As 159 empresas integrantes dos Níveis Diferenciados de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA, ao final de junho, representavam 66,90% do valor de mercado, 72,67% do volume financeiro e 77,11% da quantidade de negócios realizados no mercado a vista. Ao final de maio, eram 161 empresas que representavam 66,94% do valor de mercado, 76,67% do volume financeiro e 78,01% da quantidade de negócios.

Participação dos Mercados

Em junho de 2010, o mercado a vista (lote-padrão) respondeu por 92,5% do volume financeiro; seguido pelo de opções, com 5,2%; e pelo mercado a termo, com 2,3%. O After Market movimentou R$1,15 bilhão, com a realização de 70.422 negócios, ante R$1,50 bilhão e 95.482 transações no mês anterior.

Participação dos Investidores

Os investidores institucionais lideraram a movimentação financeira no segmento Bovespa em junho, com participação de 35,02%, ante 34,27% no mês anterior. Na segunda posição, ficaram os investidores estrangeiros, que obtiveram participação de 28%, ante 29,61%. As pessoas físicas movimentaram 26,19%, ante 26,53%. As instituições financeiras ficaram com 8,46%, ante 7,45%; as empresas, com 2,28%, ante 2,11%; e o grupo Outros com 0,05%, ante 0,03%.

Investimento Estrangeiro

Em 2010, os investimentos estrangeiros nos papéis de empresas brasileiras, até junho, atingiram R$6.573.242.122,40, resultado de R$9.511.775.675,40 em distribuições públicas (sendo R$9,0 bilhões ofertados no Brasil) e do saldo negativo de R$2.938.533.552,70 na negociação no mercado secundário da BM&FBOVESPA.

No mês de junho, o balanço de negociação dos investidores estrangeiros na BM&FBOVESPA ficou negativo em R$149.258.890,00, resultado de vendas no valor de  R$34.301.749.916,00 e de compras de ações de R$34.152.491.026,00.


A participação dos estrangeiros nas ofertas públicas de ações, incluindo IPO’s, representa 63,7 % do total de R$14.924.209.643,00 das operações realizadas com Anúncios de Encerramento publicados até 02 de junho de 2010, conforme tabela disponível na sala de imprensa do site.

 

 Confira os dados de ofertas públicas e IPOs

Clubes de Investimento

Em junho, foram abertos 45 novos clubes de investimento, totalizando 3.119 registros. O patrimônio líquido era de R$12,91 bilhões e o número de cotistas estava em 138.454 (conforme os últimos dados disponíveis, referentes ao final do mês de maio).

Investidores individuais

O número de contas de investidores pessoas físicas no mercado de ações foi de 556.044 em junho, ante 556.133 em maio.

Home Broker

A média diária de negócios, em junho, foi de 237.723, ante 286.557 no mês anterior. O número de negócios realizados foi de 4.992.174, ante 6.017.696 em maio. O volume financeiro totalizou R$43,24 bilhões, ante R$54,62 bilhões em maio. A quantidade de investidores com ofertas colocadas ficou em 169.532, ante 205.127. E a participação no número de negócios do segmento Bovespa foi de 29,80%, ante 29,30% em maio. O número de corretoras que ofereceram o serviço foi de 67, o mesmo do mês anterior. 

Empréstimos de Ações

O número de operações com empréstimo de ações foi de 82.481, ante 87.848  no mês anterior. O volume financeiro foi de R$33,39 bilhões em junho, ante R$36,08 bilhões em maio.

Renda Fixa

Em junho, o volume financeiro do mercado secundário de renda fixa privada totalizou R$28,66 milhões, ante R$81,61 milhões em maio, somados os negócios no Bovespa Fix e Soma Fix. Deste total, R$14,60 milhões foram referentes a debêntures; R$0,06 milhão relativo aos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC); e R$14 milhões aos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

Conheça os mercados de Renda Fixa, Bovespa Fix e Soma Fix

ETFs

O volume financeiro registrado, em junho, pelos sete fundos de índices (Exchange Traded Funds ou ETFs) negociados na BM&FBOVESPA chegou a R$515,53 milhões, ante R$610,75 milhões em maio. Foram realizados 12.083 negócios com os ETFs BRAX11, CSMO11, MOBI11, BOVA11, SMAL11, MILA11 e PIBB11. Em maio, o número de negócios foi de 15.970. Em junho, o maior volume financeiro foi atingido pelo ETF BOVA11, com R$394,29 milhões, ante R$482,46 milhões no mês anterior.

Confira o boletim mensal de ETFs

Segmento BM&F

O segmento BM&F (incluindo financeiros e agropecuários) registrou negociação de 43.313.807 contratos e volume financeiro de R$2,87 trilhões em junho, ante 52.063.826 contratos e giro de R$3,57 trilhões em maio. A média diária de contratos negociados, em junho, foi de 2.062.562, ante 2.479.230 em maio. O número dos contratos em aberto, no total do mercado, ao final do último pregão de junho, foi de 41.100.845 posições, ante 38.458.593 em maio.

Confira os dados do Volume Geral

Derivativos financeiros

Em junho, o futuro de juro (DI) contabilizou 18.999.350 contratos negociados, ante 22.619.485 em maio. O dólar comercial futuro encerrou junho com 7.089.870 contratos negociados, ante 10.033.565 registrados no mês anterior. O futuro de Ibovespa apresentou 1.466.555 contratos, ante 1.987.020. O contrato futuro de reais por euro contabilizou 33.470 contratos negociados, ante 55.215. Os cinco novos contratos futuros de moedas, lançados em 31 de maio (reais por dólar australiano, reais por dólar canadense, reais por iene, reais por libra esterlina, reais por peso mexicano) totalizaram 15.655 contratos negociados. Deste total, 6.975 contratos foram de dólar canadense.

Derivativos agropecuários

Em junho, foram negociados 179.803 contratos agropecuários futuros e de opções, ante 165.423 em maio. Ao final de junho, foram registrados 155.992 contratos em aberto, ante 141.129 no mês anterior.
No mês de junho, o volume de futuros e de opções de boi gordo totalizou 55.515 contratos, ante 78.966 em maio. O café arábica encerrou junho com 80.963 contratos, sendo que em maio o total foi de 41.793. No mesmo período, a soja registrou 9.421 contratos, ante 9.226. O milho com liquidação financeira fechou o período com total de 32.789 contratos, entre futuros e opções, ante 34.858  no mês anterior.  O mercado futuro de etanol hidratado apresentou 1.115 contratos negociados, ante 580 referentes a 10 dias de negócios realizados em maio, período em que foi autorizado para negociação.

Clique aqui para ver o relatório mensal agropecuário de abril

Minicontratos

Em junho, foram negociados 1.540.126 minicontratos derivativos, ante 2.065.207 em maio. O mercado futuro do Ibovespa míni negociou 1.368.497, ante 1.808.769. O dólar comercial futuro totalizou a negociação de 170.727 minicontratos, ante 254.395 em maio. Os minicontratos futuros encerraram junho com 15.179 posições em aberto, ante 21.914 em maio.

Ouro a vista

O mercado disponível de ouro (250 gramas) negociou, em junho, 593 contratos, ante 782 em maio. O volume financeiro totalizou R$10,84 milhões em junho, ante R$14,17 milhões no mês anterior.

Participação dos investidores

As instituições financeiras lideraram a movimentação financeira nos mercados do segmento BM&F, em junho, com participação de 40,22%, ante 42,40% no mês anterior. Na segunda posição, ficaram os investidores institucionais que obtiveram 29,12%, ante 25,06% em maio. No mesmo período, os investidores estrangeiros alcançaram 25,38%, ante 26,78%. As pessoas físicas encerraram o mês com participação de 3,96%, ante 3,99%; e as empresas, com 1,31%, ante 1,77%.

Investidores individuais

Ao final de junho, a quantidade de investidores pessoas físicas com ao menos uma conta ativa registrada na Clearing de Derivativos foi de 113.961, ante 110.267 no mês anterior.

Volumes e negócios por acesso direto ao mercado (DMA)

Segmento BM&F

Em junho, as negociações realizadas na BM&FBOVESPA por roteamento de ordens via acesso direto ao mercado (DMA, na sigla em inglês) ao segmento BM&F* registraram 14.628.823 contratos negociados, em 2.208.050 negócios. No mês anterior, o número de contratos negociados foi de 20.949.961, em 3.040.357 negócios.

Os volumes negociados por tipo de acesso DMA ao segmento BM&F foram:

DMA tradicional – 5.790.709 contratos negociados, em 689.995 negócios, ante 8.738.265 contratos e 790.977 negócios;

DMA via provedor (incluindo o roteamento de ordens com o Sistema Globex) – 5.439.977 contratos negociados, em 497.134 negócios, ante 8.762.174 contratos e 1.184.540 negócios;

DMA via co-location – 3.398.137 contratos negociados, em 1.020.921 negócios, ante 3.449.522 contratos e 1.064.840 negócios.

Em junho, as negociações realizadas por investidores estrangeiros apresentados à BVMF pela CME (que utilizam o sistema de roteamento de ordens Globex-GTS ou que acessam os mercados da BVMF via co-location) totalizaram 4.181.789 contratos negociados, em 1.141.890 negócios. Em maio, os totais foram 7.204.833 contratos negociados e 1.808.968 negócios.  

 

* O acesso direto ao segmento BM&F é realizado por DMA modelos 1, 2, 3 e 4. No modelo 1 ou tradicional, o cliente acessa o sistema de negociação GTS por intermédio da estrutura tecnológica da corretora. No modelo 2 ou via provedor, o cliente não utiliza a estrutura anterior e se conecta ao sistema por um provedor de acesso autorizado. No modelo 3 de DMA, o cliente acessa a plataforma de negociação da Bolsa via conexão direta. No modelo 4 ou via co-location, o cliente instala seu próprio computador dentro da Bolsa. O acesso via roteamento de ordens com o Globex também é uma forma de DMA modelo 2.



Fonte:Enfoque Informações Financeiras Ltda.

Recebido em:
07/07/2010 07:20:28

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras







Mais lidos

FGTS inativo: quem tem direito e como sacar
Todo trabalhador brasileiro com contrato formal, regido pela Consolidação das Leis do Trabalho, a ...
Férias de julho no Brasil: para onde ir?
O meio do ano está chegando e é hora de decidir onde passar as férias em família. Mesmo com algu...
Como limpar seu nome no SPC e Serasa
Seu nome está no SPC e Serasa? Muitos brasileiros estão nessa situação. Em fevereiro, 61,7 milh...
Escolas de negócios: Brasil tem 3 das melhores do mundo
Três das melhores escolas de negócios do mundo em 2018 estão no Brasil. São elas: a Fundação ...
Como vender plano de saúde e ganhar dinheiro
Ganhar uma renda extra é o que muitos brasileiros têm buscado para superar a crise que o país vem...
Treasuries americanos: os títulos “mais seguros do mundo”
Muito conhecido no Brasil, o Tesouro Direto - Programa do Tesouro Nacional desenvolvido com a BM&...




Publicidade