Bolsas sobem forte com sensação de otimismo; dólar atinge baixa de quase um ano atrás | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,238
Euro R$ 4,030
Bitcoin R$ 35.000,02
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,546
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Bolsas sobem forte com sensação de otimismo; dólar atinge baixa de quase um ano atrás


São Paulo, 29/06 (Enfoque) –

Nesta quarta-feira, mais clima de recuperação e alívio após o referendo britânico sobre o Brexit, que acabou surpreendendo, e venceu com cerca de uma diferença de 1,2 milhões de votos. As bolsas mundiais apresentaram números positivos durante todo o dia, com destaque para o mercado interno, que, com ambiente externo propício à risco, e com expectativa dos Bancos Centrais anunciarem mais estímulos, fez com que o dólar perdesse força a ponto de atingir a maior queda de junho desde a implantação do Plano Real, em 1994. A baixa do dia é a maior dentro de quase um ano. Enquanto isso, o Ibovespa sobe forte mais uma vez impulsionado pelo sentimento de recuperação, e bolsa encerra o dia com mais de 51 mil pontos.
 
O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 1,69%, em junho. Em maio, o índice variou 0,82%. Em junho de 2015, a variação foi de 0,67%. A variação acumulada em 2016, até junho, é de 5,91%. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 12,21%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

A taxa de desocupação no trimestre móvel encerrado em maio de 2016 foi estimada em 11,2% para o Brasil, ficando acima da taxa do trimestre móvel encerrado em fevereiro (10,2%) e superando, também, a do mesmo trimestre do ano anterior (8,1%). A população desocupada (11,4 milhões de pessoas) cresceu 10,3% (aproximadamente 1,1 milhão pessoas) em relação ao trimestre dezembro de 2015 a fevereiro de 2016 e subiu 40,3% (mais 3,3 milhões de pessoas) no confronto com igual trimestre de 2015. Já a população ocupada (90,8 milhões de pessoas) apresentou estabilidade quando comparada com o trimestre dezembro de 2015 a fevereiro de 2016 (menos 285 mil pessoas). Em comparação com igual trimestre de 2015, foi registrada queda de 1,4% (menos 1,2 milhão de pessoas). O número de empregados com carteira assinada no setor privado apresentou queda de 1,2% frente ao trimestre dezembro de 2015 a fevereiro de 2016 (menos 428 mil pessoas). Na comparação com igual trimestre do ano anterior, a redução foi de 4,2% (menos 1,5 milhão de pessoas). O rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos (R$ 1.982) ficou estável frente ao trimestre dezembro de 2015 a fevereiro de 2016 (R$ 1.972) e caiu 2,7% em relação ao mesmo trimestre do ano passado (R$ 2.037). A massa de rendimento real habitualmente recebida pelas pessoas ocupadas em todos os trabalhos (R$ 175,6 bilhões) ficou estável frente ao trimestre dezembro de 2015 a fevereiro de 2016, e apresentou redução de 3,3% frente ao mesmo trimestre do ano anterior.

O setor público apresentou suas contas e o deficit é de R$ 150,5 bilhões nos últimos 12 meses. O valor total apresentado representa, em média, 2,51% do PIB, quebrando todos os recordes desde o início da série, feito pelo Banco Central em 2002.

Com o dólar caindo abaixo dos R$ 3,30, está sendo registrada, até o momento, a maior queda para os meses de junho desde a implantação do Plano Real, em 1994. Até às 15h06, a moeda americana despencava 1,45%, valendo R$ 3.2570. Tal baixa é a menor dentro de um período de quase um ano. Enquanto isso, o Ibovespa subia mais de 2%, atingindo a casa dos 51 mil pontos. Otimismo e recuperação segue a tendência dos mercados internacionais, que vieram apresentando recuperações após o referendo britânico abrir “crateras” nas bolsas. Expectativa é que os Bancos Centrais anunciem ainda mais estímulos.

O índice de Vendas Pendentes de Casas revelou, nesta quarta-feira, uma queda forte de 3,7% referente ao mês de maio. A previsão já era negativa, representada por -1,0%, mas acabou sendo ainda maior no resultado final. Entretanto, os valores de abril fazem com que cenário seja mais desfavorável ainda, pois, neste mês, houve um crescimento considerável de 5,1%.

Os Estoques de Petróleo registraram -4,1 milhões de barris no índice referente a quarta semana de junho. A queda se intensificou se comparada com a da semana passada, que registrou menos 0,9 milhão de barris estocados de petróleo.

O índice de Renda Pessoal e Gastos dos EUA apresentou um aumento de 0,2% no mês de maio, conforme divulgado na manhã desta quarta-feira. A previsão era minimamente maior, de 0,3%. No mês de abril, o crescimento, após revisão, fechou em 0,5%, mostrando que a onda de aumento perdeu um pouco de força no mês passado.

Com o mesmo sentimento das bolsas internacionais, o Ibovespa continua processo de recuperação e sobe forte nesta quarta-feira, subindo 1,99% aos 51.002 pontos. O dólar confirmou a maior queda referente aos meses de junho desde o Plano Real e encerrou o dia desvalorizando 1,97%, valendo R$ 3.2400, maior queda dentro de quase um ano. E no fechamento das bolsas americanas, a confirmação de que o dia seria positivo, mais uma vez. Dow Jones encerra a jornada desta quarta-feira ganhando 1,67%, com 17.694,7 pontos, enquanto o SP500 sobe 1,70%, pontuando 2.070,75. Confira, abaixo, os gráficos:

 

(por Oscar Brandtneris)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 29/06/2016 17:30:52







Mais lidos

Para que serve realidade virtual? Vale a pena investir?
Para que serve a realidade virtual? Se você pensou em jogos, está certo. Mas, não é apenas para ...
Trader: o que é e como ele ganha dinheiro
O que é trader? É um investidor do mercado financeiro. Ele busca ganhar dinheiro com operações d...
Aplicativos de gestão: um guia completo
Gerenciar uma equipe e inúmeros projetos sempre foi uma tarefa trabalhosa que poucos davam conta de...
Planejamento financeiro: 5 dicas para fazer o seu
Planejar está no topo da lista de recomendações dos especialistas para quem quer ter sucesso na v...
Captação de recursos: saiba como funciona
A captação de recursos funciona para angariar fundos para financiar ONGs, projetos inovadores e at...
Sites de crowdfunding: como financiar seu projeto
O financiamento coletivo é uma forma de captação de recursos para seus projetos. Isso acontece at...




Publicidade