Início Notícias Finanças Pessoais Cheque especial: saiba por que você deve evitá-lo

Cheque especial: saiba por que você deve evitá-lo

0
Mão masculina fazendo contas num caderno com várias notas de dinheiro em volta
0
(0)

Mesmo tendo seu uso repudiado pela maior parte dos especialistas em finanças pessoais, o cheque especial ainda é muito utilizado no Brasil. Cerca de 20% dos correntistas recorreram a ele em 2018.

A pesquisa é da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), feita em todas as capitais brasileiras. Mas afinal por que esta modalidade de crédito é tão ruim?

Você, que talvez esteja endividado e pensando em recorrer ao cheque especial, vai entender neste artigo por qual razão deve abandonar a ideia. E o FinanceOne ainda apresenta alternativas para sair do vermelho.

Modalidade tem uma das maiores taxas de juros

Para começar, o cheque especial é uma das modalidades de crédito com maior taxa de juros no país. Isso acontece porque o banco cede esse dinheiro sem pedir nenhuma garantia.

Ao contrário do que acontece com o empréstimo pessoal, por exemplo. Nesse caso, é preciso ir até o banco, negociar as condições e assinar um contrato para conseguir o dinheiro emprestado.

Mas com o cheque especial, a instituição está se arriscando mais. Logo, os juros desse tipo de crédito se tornam bem mais caros. Para exemplificar, o Serasa consumidor fez uma comparação.

Os juros do cheque especial é um dos mais altos do mercado

Enquanto a cobrança de juros no empréstimo consignado chegava a uma média de 42,8% ao ano, no cheque especial os juros subiam para 327% ao ano, de acordo com um levantamento do Banco Central.

Sim, é verdade que isso mudou um pouco. Uma resolução aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e publicada em conjunto com o Banco Central em 2019, limitou os juros do cheque especial a 8% ao mês.

Porém, ainda assim é um percentual de 151,8% ao ano. Além disso, Serasa explica:

“Quem é cliente Caixa teve essa redução, mas os demais bancos mantiveram os juros em alta. É mais vantajoso buscar um empréstimo do que usar o cheque especial pela praticidade.”

Cheque especial pode ser armadilha para correntistas

Apesar dos juros assustadores, o maior problema do cheque especial, e que é comprovado com as diversas pesquisas sobre o assunto, é a facilidade de acesso a esse crédito.

O limite fica ali, disponível para que você use sempre que precisar. É fácil e prático. E essa facilidade, infelizmente, cai como uma luva no bolso dos milhões de brasileiros que não têm acesso à educação financeira.

Como aponta o Serasa, o grande problema é quando você se acostuma com a facilidade de lançar mão do dinheiro com frequência. Assim fica mais fácil cair na armadilha.

E foi assim também que, em 2018, 19,5% do total de usuários do cheque especial utilizaram a modalidade de crédito em todos os doze meses do ano. E mais de 50% tomaram esse crédito em mais de seis meses.

Segundo informações divulgadas pelo Correio Braziliense, a inadimplência por causas desses juros atingiu 13,5% em abril de 2019.

Por mais que ele esteja ali, fácil de usar e aparecendo na sua conta corrente, é preciso lembrar que aquele dinheiro não é seu. É o que alerta o Serasa.

“Se acontecer, por exemplo, de chegar a data de o banco cobrar pelo uso do limite do cheque especial e você não tiver dinheiro em conta corrente para cobrir a despesa, você precisa arcar não só com os juros altos, mas também com uma multa estipulada pelo banco.”

Outros créditos podem ser mais baratos para consumidor

O importante, antes de descobrir quais são essas outras opções, é entender em quais momentos é válido pegar um empréstimo: se for para obter recursos que te permitam ganhar mais dinheiro em troca ou para quitar uma dívida (se os juros valerem a pena).

E lembre-se de avaliar também quais são todas as opções que você tem a seu dispor antes de recorrer às instituições.

Será que não é melhor vender um bem que você tenha? Ou pedir ajuda a amigos e familiares? Fazer renda extra?

Mas caso queira saber, Serasa Consumidor fez uma lista de linhas de crédito mais baixas do que o juros do cheque especial. Confira:

Empréstimo consignado – um dos mais baratos atualmente, seus juros podem variar entre 1,22% e 6,27% ao mês. De acordo com Serasa, isso acontece porque o consignado tem suas parcelas descontadas diretamente do salário, então é quase um empréstimo com garantia.

Empréstimo com garantia – esse é para quem tem um carro ou imóvel. A pessoa pode solicitar o empréstimo com garantia de bens, o que reduz as taxas de juros.

Empréstimo pessoal – esse não está entre os mais baratos, mas certamente tem juros menores que o cheque especial e pode ser uma alternativa dependendo do valor buscado. Por não ter garantias, os bancos fornecem o dinheiro a juros mais altos do que os demais, em média de 4% ao mês.

Empréstimo online – quem quer solicitar um empréstimo sem sair de casa e comparar para saber qual tem a menor taxa de juros, pode acessar Serasa eCred. No site, é possível comparar valor de parcelas, taxas de juros e CET (custo efetivo total).

4 dicas para você evitar o cheque especial

Você já sabe que usar o cheque especial é cair numa armadilha, mas o que muitos se perguntam é como evitar esse tipo de empréstimo que fica disponível na conta para ser utilizado a qualquer momento.

Para te ajudar a evitar usar o cheque especial, separamos algumas dicas para você. Confira!

Mantenha as finanças organizadas

Nós sabemos que existe uma crise econômica no Brasil. Mas diferente do que muitos pensam, manter as suas finanças devidamente organizadas te ajuda a entender melhor onde você está gastando o seu dinheiro e o que está deixando de ser pago.

Além disso, é dessa forma que você vai saber exatamente se está gastando ou não mais do que ganha. E somente depois de avaliar isso é que você vai perceber o que pode ou não ser cortado para conseguir arcar com todas as suas despesas.

Está com dívidas? Faça negociações e parcele

Se você tem dívidas e não consegue pagá-las, o melhor é entrar em contato com a financeira para fazer uma negociação e parcelar o valor. Dessa forma, você evita de usar o cheque especial e consegue condições com juros menores.

Uma outra dica é tentar pegar um empréstimo para pagar as dívidas. Mas atenção: isso só vale para caso o valor dos juros do crédito solicitado seja menor do que o das suas dívidas. Caso não seja, não faça isso.

Evite usar o seu cartão de crédito

Não é só o cheque especial que é uma grande armadilha, o cartão de crédito também pode se tornar um se você não souber usá-lo da melhor maneira. Isso porque os juros do cartão também são altos.

E se você não consegue pagar a fatura, pode acabar virando uma bola de neve. Por isso, o mais indicado é que você só utilize o cartão caso queira comprar algo de alto valor, como por exemplo uma geladeira, celular ou fogão.

Cancele o cheque especial

Se você não quiser utilizar o seu cheque especial, a melhor coisa a ser feita é cancelar esse crédito. Dessa forma, você evita cair na tentação de usar um dinheiro que não é seu.

Lembre-se que não é porque ele está na sua conta que faz parte do seu saldo. 

Gostou do conteúdo? Compartilhe com um amigo que esteja precisando saber porque precisa evitar o cheque especial.

O que achou disso?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui