Confiança da Indústria atinge maior nível desde julho de 2014 | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,3630
Bitcoin R$ 31.750,02
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,975
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Confiança da Indústria atinge maior nível desde julho de 2014


São Paulo, 28/09 (Enfoque) –

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas avançou 2,1 pontos em setembro, para 88,2 pontos, o maior nível desde julho de 2014 (88,8).  A expansão no mês atingiu 12 dos 19 segmentos pesquisados e foi determinada tanto pela melhora das expectativas quanto das avaliações sobre a situação atual.
 
“Em setembro o ICI retoma a trajetória de alta iniciada em abril, depois de breve interrupção no mês anterior.  A leitura desagregada dos quesitos da pesquisa sugere uma recuperação lenta e sujeita a sobressaltos pelo lado da produção, decorrente do esforço para normalização de estoques e da recente perda de fôlego das vendas externas. O setor continua desapontado com a lentidão da recuperação da demanda interna, mas começa a apresentar maior otimismo no horizonte de seis meses”, afirma Aloisio Campelo Junior, Superintendente de Estatísticas Públicas da FGV/IBRE.
 
Apesar do ganho acumulado de 13,5 pontos entre março e setembro, o índice permanece em nível historicamente baixo. Como exemplo, a média deste terceiro trimestre de 2016, de 87,1 pontos, terminou idêntica à do terceiro trimestre de 2014, período em que a economia brasileira já estava em recessão segundo o CODACE.
 
Em setembro, o Índice de Expectativas (IE) avançou 2,5 pontos, para 89,8 pontos, o maior desde junho de 2014 (90,3 pontos). Já o Índice da Situação Atual (ISA) aumentou 1,5 ponto, para 86,7 pontos, o maior desde janeiro de 2015 (88,4 pontos).
O indicador que mede o grau de otimismo com a tendência dos negócios nos seis meses seguintes exerceu a maior contribuição para a alta do IE em setembro, com alta de 5,3 pontos, para 88,9 pontos, o maior patamar desde dezembro de 2014 (91,0 pontos).
 
A melhora nas percepções sobre o momento presente foi influenciada pela evolução favorável dos estoques. O percentual de empresas avaliando o nível atual de estoques como excessivos caiu de 14,1% para 12,7% entre agosto e setembro, enquanto as que os consideram insuficientes aumentou de 5,4% para 7,1% do total – o maior desde maio de 2013 (7,3%).
 
O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) aumentou 0,9 ponto percentual (p.p.) em setembro em relação ao mês anterior, para 74,7%, o maior desde dezembro de 2015. Houve avanço também em bases trimestrais: a média no terceiro trimestre, de 74,3%, é 0,3 p.p. superior à do trimestre imediatamente anterior.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 28/09/2016 08:33:03







Mais lidos

Como fazer cartão de crédito pela internet
As compras com cartões de crédito são cada vez maiores. A Abecs, associação das empresas de ca...
Como escolher o seguro de vida mais adequado para você
Você já pensou o quanto um seguro de vida pode ser útil nos dias de hoje? Quando as pessoas busca...
7 livros sobre Bitcoin, Blockchain e Criptomoedas
Algumas pessoas aprendem mais lendo, outras vendo vídeos ou até mesmo escutando música. Cada um t...
FGTS inativo: quem tem direito e como sacar
Todo trabalhador brasileiro com contrato formal, regido pela Consolidação das Leis do Trabalho, a ...
Férias de julho no Brasil: para onde ir?
O meio do ano está chegando e é hora de decidir onde passar as férias em família. Mesmo com algu...
Como limpar seu nome no SPC e Serasa
Seu nome está no SPC e Serasa? Muitos brasileiros estão nessa situação. Em fevereiro, 61,7 milh...




Publicidade