Confiança de Serviços atinge o maior nível desde 2015 | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,7470
Euro R$ 4,3501
Bitcoin R$ 26.050,00
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,949
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Confiança de Serviços atinge o maior nível desde 2015


São Paulo, 29/07 (Enfoque) –

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) da Fundação Getulio Vargas subiu 3,6 pontos entre junho e julho, ao passar de 72,4 para 76,0 pontos. Após a quinta alta consecutiva, o índice atinge o maior nível desde maio do ano passado. Na métrica de médias móveis bimestrais, o índice avançou 2,7 pontos em julho, a maior alta desde maio de 2009.
 
“Os indicadores de julho confirmam a trajetória de recuperação da confiança das empresas de serviços no início do segundo semestre, e agora de uma maneira qualitativamente superior, uma vez que além da sustentação da melhora nas expectativas, há uma reação também nas avaliações sobre a situação corrente. A melhora do ambiente de negócios é confirmada pelo avanço, ainda que discreto, do indicador de nível de utilização da capacidade nos dois últimos meses” avalia Silvio Sales, consultor do FGV/IBRE.
 
Em julho, 11 das 13 atividades pesquisadas registraram alta da confiança. A evolução do índice geral foi determinada por avanços tanto do índice que mede o pulso do setor em relação ao momento atual quanto do que capta as expectativas para os próximos meses. O Índice de Situação Atual (ISA-S) subiu 3,6 pontos, para 71,1 pontos, e o Índice de Expectativas (IE-S) avançou 3,4 pontos, alcançando 81,4 pontos. Mesmo com o resultado mais expressivo do ISA-S, a diferença entre os dois indicadores permanece elevada em termos históricos (10,3 pontos).
 
A alta de 5,9 pontos do indicador de satisfação com a Situação Atual dos Negócios exerceu a maior contribuição para a alta do ISA-S. Pela ótica das expectativas (IE-S), o destaque é o indicador de Demanda prevista para os próximos três meses, que avançou 6,1 pontos, alcançando 82,8 pontos. Esta é a quinta alta consecutiva deste indicador, que acumula acréscimos de 13,8 pontos desde fevereiro, a maior alta no período entre os quatro quesitos integrantes do ICS.
 
Nível de Utilização da Capacidade do Setor de Serviços
A partir deste mês, o FGV/IBRE passa a divulgar mensalmente o Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) do setor de Serviços. O NUCI é um indicador econômico que procura medir, a partir de dados individuais de empresas, a relação entre o produto efetivamente gerado em determinado setor como proporção do produto potencial caso toda sua capacidade produtiva estivesse em uso. A série começa em abril de 2013.
 

Em julho de 2016, o NUCI do setor de Serviços subiu 0,2 ponto percentual (p.p.), frente a junho, alcançando 82,9%, retornando ao nível de capacidade utilizada do início do ano. Com o resultado, o indicador registra um segundo avanço consecutivo pela primeira vez na série iniciada em 2013, embora ainda permaneça muito baixo em termos históricos.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 29/07/2016 08:20:19







Mais lidos

Aposentadoria por idade 2018: como funciona?
A aposentadoria é um dos benefícios da Previdência Social. O Regime Geral de Previdência Social ...
Saiba como travar o dólar em compras no cartão
Muitas pessoas realizam compras pela internet em dólar por conseguirem assim produtos mais baratos,...
Negócios promissores com pouco investimento 2018
Depois da grave crise econômica que o Brasil passou nos últimos anos - e que ainda se recupera, po...
5 melhores investimentos a curto prazo em 2018
Cuidar do seu dinheiro é uma tarefa fundamental e um ponto de equilíbrio para a sua vida financeir...
Dólar em alta? Saiba até onde a moeda pode chegar
O cenário é de dólar em alta. Mas afinal, até onde vai esse movimento? Segundo os especialistas,...
Salário mínimo no Japão chega a R$5.035
Muitos brasileiros estão indo morar fora do país por inúmeros motivos. Alguns deles: a violência...





Notice: Undefined variable: hidden in /var/www/finance-one/wp-content/themes/financeone_estrategia/single.php on line 46

Publicidade