Corte no orçamento pode ajudar a combater inflação e reduzir dívida pública | FinanceOne
Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.




Corte no orçamento pode ajudar a combater inflação e reduzir dívida pública

(Ag. Brasil) – O bloqueio de R$ 50 bilhões de recursos do Orçamento anunciado ontem (9) pelo governo pode ajudar a combater a inflação e reduzir a dívida pública, mas, para alguns analistas, ainda é preciso conferir o detalhamento desse corte.

Ontem, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, não adiantou onde serão feitos os ajustes. Ela disse que o detalhamento por ministérios e secretarias só será conhecido na semana que vem, mas garantiu que os investimentos e programas sociais serão preservados, de modo a se viabilizar um crescimento econômico de 5% em 2011.

Para o especialista em finanças públicas, Raul Velloso, é preciso saber se o corte será feito em relação aos gastos do ano passado ou se haverá bloqueio só com base nos recursos a mais previstos para este ano. “As informações divulgadas ainda são preliminares. Para combater a inflação, é preciso cortar a demanda e isso só acontece se houver corte em relação ao gasto do ano passado”.

O consultor econômico e ex-diretor do Banco Central Carlos Eduardo Freitas também enfatiza que as informações divulgadas pelo governo ainda não permitem uma análise conclusiva. “Em princípio, pode proporcionar um superávit primário [economia feita para o pagamento de juros da dívida pública] suficiente para reduzir a dívida em relação ao PIB [Produto Interno Bruto – soma de todas as riquezas produzidas no país]. É razoável para combater a inflação”, disse Freitas.

Ele acrescentou que é preciso saber se houve reavaliação de receitas. Freitas também avalia que é necessário reduzir aportes de recursos ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Esses aportes, de cerca de R$ 110 bilhões em 2010, são grande fonte de despesa para o governo. Nenhum banco levanta esse valor”, destacou.

Ontem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que serão reduzidos os repasses de recursos ao BNDES a título de subsídio. Segundo o ministro, em 2011, o banco vai trabalhar com juros um pouco mais altos, sem subsídios governamentais embutidos na Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) que está em 6% ao ano e terá o próximo reajuste em 1º de abril.

Mesmo sem conhecer o detalhamento do corte, o professor de economia da Universidade de Brasília e membro do Conselho Federal de Economia, Newton Marques, considera o contingenciamento anunciado pelo governo bem-vindo. Para ele, os agentes econômicos são sensíveis às medidas tomadas com relação ao futuro. Segundo ele, todas as vezes que o governo toma este tipo de medida tranquiliza também os credores, que financiam a dívida pública.

“O mercado pensa: eles estão se preocupando com as contas, então vou continuar a financiar a dívida, vou continuar a levar dinheiro para o Brasil. E aí a economia tende a se restabelecer porque a área econômica mostra que tem o trunfo de fazer os cortes”, explicou.



Fonte: Enfoque Informações Financeiras

Recebido em:
10/02/2011 11:40:35

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Receba novidades

Cadastre-se em nossa newsletter para receber novidades em seu email.

Posts relacionados

12 de novembro de 2018
62% dos trabalhadores da indústria temem perder empregos para robôs

Uma pesquisa recente realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a organização Latinobarómetro mostrou que 62% dos brasileiros t...

9 de novembro de 2018
Natal deve movimentar R$53,5 bilhões, aponta pesquisa

Falta pouco mais de um mês para o Natal. E é nessa época que as pessoas começam a se preparar para comprar os presentes. A previsão é de que nes...

8 de novembro de 2018
Brasil sobe 16 posições em ranking de ambiente de negócios

O Brasil melhorou seu ambiente de negócios. É o que diz o diagnóstico feito pelo Banco Mundial. O país subiu 16 posições em ranking do relatóri...

15 de outubro de 2018
Os cargos que podem ter maiores aumentos salariais em 2019

A tendência é que em 2019 diversos setores se tornem mais interessantes financeiramente para os profissionais. Confira os maiores aumentos salariais em 2019.

9 de outubro de 2018
Alimentação é o principal gasto do brasileiro, diz estudo

Pesquisa da Multibenefícios mostrou que alimentação é o principal gasto do brasileiro, que considera o adiantamento do salário para isso.

Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Quais são as moedas mais valorizadas do mundo?
Sabe quais são as moedas mais valorizadas do mundo? Você vai se surpreender! O Real é a terceira ...
Aposentadoria por idade 2018: como funciona?
A aposentadoria é um dos benefícios da Previdência Social. O Regime Geral de Previdência Social ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...

Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


           




Guias

Calculadoras