Decisão do Fed em manter juros e Brexit marcam semana volátil para mercados | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,2693
Bitcoin R$ 27.840,00
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,874
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Decisão do Fed em manter juros e Brexit marcam semana volátil para mercados


São Paulo, 17/06 (Enfoque) –

Esta semana foi marcada por uma grande movimentação no cenário econômico mundial. A tão falada decisão do Fed de aumentar ou não as taxas de juros finalmente foi anunciada, e não haverão aumentos neste mês de julho. Com isso, a volatilidade dos mercados foi perceptível, com quedas seguidas na Europa e Ásia – mas que fecharam com ganhos hoje, enquanto as crescentes de Wall Street foram, a semana toda, bastante discretas, menores do que 0,5%. Cenário marcado por oscilações e resultados negativos também tiveram grande influência com o Brexit, que deve ser decidido na próxima quinta-feira (23), para decidirem se o Reino Unido continua fazendo parte da União Européia ou não. Pesquisas revelam que maioria que saída, e mercado afirma que isso será prejudicial.

Por aqui, a semana foi marcada por surpresas e novas polêmicas no cenário político envolvendo o governo interino de Michel Temer e sua suposta participação em esquemas ilícitos para arrecadar dinheiro para campanha de político aliado. Quedas fortes da JBS e Estácio, por exemplo, puxaram a bolsa para baixo, mas bancos fizeram parte do processo de recuperação, e acabou segurando a situação do Ibovespa considerava estável, mantendo-se na casa dos 49 mil pontos, mesmo após cair mais de 2% no começo da semana.

Cenário Externo

A semana nos EUA foi marcada por uma estabilidade persistente durante toda a semana, onde os valores não oscilaram mais de 0,5%, seja com ganhos ou perdas, como foi o caso hoje.

A Microsoft anunciou nesta segunda-feira a compra da rede social Linkedin. A plataforma digital de contatos profissional custou para a empresa de computação US$ 26,2 bilhões. A empresa concordou também em pagar US$ 196 por ação do site. A ideia principal da compra é incorporá-lo ao segmento de Produtividade e Processos de Negócios da Microsoft. A compra é uma das mais caras feitas pela empresa líder na área de sistemas operacionais e plataformas digitais. A maior até agora havia sido a aquisição do Skype, feita em 2011, que custou US$ 8,5 bilhões.

Na segunda semana de junho de 2016, a balança comercial registrou superávit menor do que na semana passada, somando agora US$ 561 milhões, resultado de exportações no valor de US$ 3,490 bilhões e importações de US$ 2,928 bilhões. No mês, as exportações somam US$ 5,903 bilhões e as importações, US$ 4,529 bilhões, com saldo positivo de US$ 1,374 bilhão. No ano, as exportações totalizam US$ 79,397 bilhões e as importações, US$ 58,361 bilhões, com saldo positivo de US$ 21,036 bilhões.

As Vendas do Varejo apresentaram um crescimento de 0,5% em índice divulgado na manhã desta terça-feira. O valor é referente ao mês de maio, enquanto abril apresentou uma crescente de 1,3%. Enquanto isso, o resultado foi um pouco mais do que a previsão de 0,3% divulgada previamente, o que demonstra estabilidade no setor, mesmo com uma subida menor do que a do mês passado.

Preocupados com a desaceleração do crescimento de emprego, o Fed permaneceram apenas com a ideia de duas subidas nas taxas de juros este ano, mas, para o mês de junho, elas se manterão estáticas. O Comitê Federal de Mercado Aberto, como já era esperado, recusou-se a aumentar a sua meta de taxa de juros na reunião de dois dias desta semana, mantendo os atuais 0,5%. Embora as projeções mostram que os dois aumentos são realmente prováveis, dúvidas sobre os próximos acontecimentos aumentam.

Mesmo que o Brexit também tenha feito com o Fed segure as taxas como estão, o principal indicativo, decisivo na escolha anunciada por Janet Yellen, chefe do Federal Reserve, foi a situação do emprego nos EUA, que teve uma desaceleração no crescimento, mostrada nos últimos índices negativos. Conforme a economia se recupere totalmente, os membros do Fed, em sua grande maioria, concordam que os juros precisam ser elevados. Inclusive, Yellen afirmou ainda que, em todas reuniões, esta é sempre uma opção plausível. Sobretudo, enfatizou que eles não costumam discutir sobre aumentos futuros dos próximos meses, e sim, apenas sobre o mês de referência.

O índice de preço ao produtor dos EUA, o PPI, apresentou um aumento de 0,4% no mês de maio, o dobro se comparado ao mês de abril, que mostrou uma suvida de 0,2%. A previsão era de 0,3%, errando minimamente para baixo. Já o índice do Empire State Mfg apresentou um aumento de 6.01 no mês de junho deste ano. Contra os 9.00 de maio, a previsão dos cálculos que foi divulgada previa um crescimento de 3.50. O índice da Produção Industrial nos EUA apresentou, nesta quarta-feira, uma queda de 0,4, enquanto a previsão era mais estável e que caísse apenas 0,1%. No mês de abril, os números foram favoráveis e cresceram 0,6%. E, por fim, os Estoques de Petróleo apresentou mais uma queda em seus índices. Desta vez, são menos 0.9 milhões de barris. O número divulgado na semana passada apresentou menos 3.2 milhões.
 
Segundo índice divulgado nesta quinta-feira, os Preços ao Consumidor tiveram uma alta de 0,2% no mês de maio. Valor representa a metade da subida dos preços em abril, que fechou o mês em 0,4% de aumento, contra os 0,3% que eram previstos. Já número de Pedidos de Auxílio-Desemprego nos EUA subiu para 277 mil na segunda semana de junho. Valor é superior aos 264 mil divulgados anteriormente, contra a previsão, que era apenas de 270 mil pedidos oficiais. E teve também o Índice do Mercado Imobiliário que seguiu, quase certeiro, as previsões divulgadas, e subiu 60 em junho, contra 59 divulgado previamente, e 58 referente ao mês de abril.
 
Nesta sexta-feira, Wall Street seguiu a regra semana, que era a de não variar mais ou menos do que 0,4%. Desta vez, as bolsas americanas encerram a semana perdendo: ambos em 0,33%, com Dow Jones pontuando 17.675,0, e o SP500 com 2.071,23 pontos. Confira a situação de cada uma delas nos gráficos:

Cenário Interno

O Banco Central divulgou hoje mais a edição do relatório Focus referente a segunda semana de junho . O documento apontou para a elevação do IPCA indo de 7,12% para 7,19% no ano de 2016, enquanto a projeção para o final de 2017 se manteve, novamente, em 5,50%. As apostas do BC para a cotação do dólar cairam de R$ 3,68 para R$ 3,65, o contrário da semana passada, que havia apresentado os mesmos valores, só que ao contrário, subindo as previsões. Para o próximo ano, o valor caiu de R$ 3,85 para R$ 3,81. No caso da Selic, a expectativa de 2016 subiu para 13%, enquanto a de 2017 se manteve, de novo, em 11,25%. O mercado elevou a aposta do PIB de 2016 de -3,71% par a -3,60%. Para o ano que vem, a projeção foi de 0,85% para 1% cravado.

Em abril de 2016,na série com ajuste sazonal, o comércio varejista nacional apresentou variações positivas de 0,5% em volume de vendas e de 1,2% para receita nominal. O resultado de abril veio após recuo no volume e na receita nominal de 0,9% e de 0,2%, respectivamente, em março. Com isso, a variação da média móvel trimestral registrou acréscimo de 0,3% para o volume de vendas, após sequência de quatro meses em queda, e de 0,9% para a receita nominal.

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 1,42%, em junho. A taxa apurada em maio foi de 0,60%. Em junho de 2015, a variação foi de 0,57%. A taxa acumulada em 2016, até junho, é de 5,34%. Em 12 meses, o IGP-10 registrou alta de 11,85%. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Em abril, o volume do setor de serviços do país recuou (-4,5%) em relação a abril de 2015. Em março (-5,9%) e em fevereiro (-3,9%) também houve quedas, nessa comparação. Houve variações negativas em todos os segmentos do setor: Serviços prestados às famílias (-3,0%); Serviços de informação e comunicação (-3,0%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (-5,4%); Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (-6,5%) e Outros serviços (-3,3%). A taxa acumulada no ano ficou em -4,9% e em 12 meses, -4,6%. O agregado especial das Atividades turísticas registrou retração (-3,6%), com retração também (-2,3%) em março e crescimento de 1,3% em fevereiro.

O nome do presidente interino Michel Temer foi citado hoje na delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado. Segundo ele, Temer acertou o recebimento de recursos ilícitos para a realização da campanha de Gabriel Chalita, que foi candidato à prefeito de São Paulo em 2012. Machado afirma ainda que o acerto ocorreu em setembro do mesmo ano, onde foi acertado um valor de R$ 1, 5 milhão, oferecido pela empreiteira Queiroz Galvão. Ao vazar a notícia, a bolsa zerou quase que imediatamente os seus ganhos, que atingiram a casa do 1,5% durante a manhã, e passou a operar com porcentagem negativa, praticamente estável. Foi registrada uma queda de 600 pontos em apenas quatro minutos.

O Monitor do PIB-FGV de junho, com informações até abril do corrente ano, mostra recuou de 0,86% no trimestre móvel terminado em abril, comparado com o trimestre imediatamente anterior, a menor retração em quatro trimestres consecutivos. Com relação ao mesmo período do ano anterior, o trimestre móvel findo em abril apresentou queda de 4,6%, a retração menos negativa em três meses consecutivos. Embora ainda negativos, estes resultados podem estar apontando para reversão no declínio da atividade econômica”, afirma Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

O ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse hoje, em uma audiência pública, que a meta fiscal para 2017 será negativa. Nesta quinta-feira, ainda no evento, Oliveira anunciou também que o governo deve apresentar nos parâmetros macroeconômicos, como inflação e crescimento, também. Isso deve acontecer para que seja possível serem feitos ajustes ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias.

O IPC-S de 15 de junho de 2016 registrou variação de 0,45%, 0,14 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa divulgada na última apuração. Todas as sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação. O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou, no segundo decêndio de junho, variação de 1,33%. No mês anterior, para o mesmo período de coleta, a variação foi de 0,68%. O segundo decêndio do IGP-M compreende o intervalo entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Fechando a semana, o Ibovespa abriu o dia com queda forte de quase 1% que foi se intensificando entre o fim da manhã e o começo da tarde, mas acabou zerando as perdas e fechou o dia ganhando 0,25%, com 49.534 pontos. Confira o gráfico:

Cenário Cambial

Após atingir a mesma mínima de junho do ano passado, o dólar apresentou contantes valorizações esta semana, mas todas ainda discretas, perto da queda que o fez valer menos de R$ 3.4000. Hoje foi mais um dia de queda e a moeda americana fechou a semana desvalorizada em 1,38%, valendo R$ 3.4250. Confira a variação no gráfico abaixo:

 

 

(por Oscar Brandtneris)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 17/06/2016 17:20:41







Mais lidos

Foi demitido? Saiba como obter o seguro desemprego
O seguro desemprego tem sido um recurso importante para os milhares de desempregados no Brasil. Os d...
Como começar a investir com R$3 mil?
Investir com pouco dinheiro é uma questão para muitas pessoas. Parece que para fazer uma aplicaç...
Restituição do Imposto de Renda 2018: veja cronograma
Em 2018, os milhares de contribuintes tiveram até 30 de abril para declarar o Imposto de Renda. Ago...
Cerca de 7 milhões de brasileiros têm FGTS atrasado
FGTS atrasado é uma realidade para cerca de 7 milhões de brasileiros. De acordo com a Procuradoria...
Brasileiros no Japão: emissão de vistos cresce 145%
Muitos brasileiros estão buscando novas oportunidades em outros países, e o motivo desse fluxo mig...
BC aumenta oferta do swap cambial e dólar fecha em queda
Após seis altas consecutivas, o dólar fechou em queda nos últimos dias esta semana. Para o alívi...




Publicidade