Defesa de Dilma vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,3844
Bitcoin R$ 25.152,13
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 5,014
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Defesa de Dilma vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal


São Paulo, 31/08 (Enfoque) –

A defesa da ex-presidenta Dilma Rousseff informou hoje (31) que ingressará com, pelo menos, duas ações no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando o processo de impeachment, concluído hoje pelo Senado.

Segundo o advogado de defesa de Dilma, ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, não há justa causa para o impeachment e houve cerceamento de defesa em várias fases do processo.

“Entraremos, em princípio, com duas ações, uma ainda hoje e outra dentro de alguns dias. Vamos discutir irregularidades formais do processo, cerceamento ao direito de defesa, pelo fato de senadores terem julgado o processo antes da defesa poder se expressar”, explicou Cardozo.

De acordo com ele, durante a comissão especial, por exemplo, vários senadores alegavam que a defesa poderia “fazer o que quisesse” que o resultado já estava definido. “Isso é uma ofensa substantiva ao devir do processo legal”.

Riscos

O defensor da presidenta cassada acrescentou ainda que não há motivo legal para o impeachment. “Vamos questionar também a falta de justa causa para o processo, falta de motivo. Sei que existem juízes que partem de uma visão mais tradicional de que não se pode rever um processo de impeachment, uma visão, a meu ver, antiga. Temos uma visão mais moderna”, pontuou.

Para Cardozo, a ideia de que o impeachment não pode ser questionado coloca em risco, inclusive, ministros de STF e o procurador-geral da República. “Se não pudermos rever o impeachment, amanhã ou depois ministros do Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República poderão ser afastados sem pressuposto legais. Não é o mérito político da questão que vamos questionar, vamos questionar a falta de pressupostos jurídicos estabelecidos na Constituição”.

Para o ex-ministro da Justiça, hoje representa um “dia triste para a democracia”. “É um dia triste para a democracia brasileira em que uma presidenta legitimamente eleita foi afastada de um cargo sem nenhum fundamento e nenhum pressuposto constitucional, inclusive com falta de pressupostos do devido processo legal”.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 31/08/2016 15:53:25







Mais lidos

Dólar em alta? Saiba até onde a moeda pode chegar
O cenário é de dólar em alta. Mas afinal, até onde vai esse movimento? Segundo os especialistas,...
Salário mínimo no Japão chega a R$5.035
Muitos brasileiros estão indo morar fora do país por inúmeros motivos. Alguns deles: a violência...
Será mesmo que existe a queda do bitcoin?
Será mesmo que existe a queda do bitcoin? Bem, nos últimos dois anos talvez, não se falou em outr...
Educação Financeira será tema dos gibis Turma da Mônica
A Educação Financeira, tema ainda distante do dia a dia de muitos brasileiros, será abordada de u...
Um guia para proteger o cartão de crédito
A facilidade no uso do cartão de crédito vem conquistando os milhares de clientes que hoje já ade...
Testes da gasolina obrigatórios para verificar a qualidade
Com os últimos acontecimentos envolvendo os postos de gasolina, a atenção se voltou para o servi...





Notice: Undefined variable: hidden in /var/www/finance-one/wp-content/themes/financeone_estrategia/single.php on line 46

Publicidade