Início Notícias Empreendedorismo Empreendedorismo Social: entenda o que é

Empreendedorismo Social: entenda o que é

2
empreendedores trabalhando
4.3
(8)

Antes de mais nada, o empreendedorismo social é uma nova tendência. Afinal, ele busca resolver problemas sociais e é caracterizado pela criação de produtos e serviços.

Além disso, muitos têm como foco principal a resolução ou minimização de problemas em áreas como educação, violência, saúde, alimentação e meio ambiente.

Para ser um empreendedor social, você deve gerar valor para a sociedade em primeiro lugar. É dessa forma que você vai atrair seu público, parceiros e oportunidades.

Por isso, se passa pela sua cabeça que esse tipo de negócio é menos estruturado, você se enganou. Quem deseja empreender socialmente também vai precisar de um plano de negócios, plano de marketing, proposta de valor e estrutura de custos.

Quer saber mais sobre o empreendedorismo social? Continua a leitura desse texto!

Empreendedorismo social busca resolver ou minimizar problemas sociais

O que o Empreendedorismo Social procura?

1. Colaboração com as comunidades locais

Primeiramente, os empreendedores sociais investem em parcerias com os governos das comunidades locais, empresas e instituições de caridade. Então, por meio dessas iniciativas, eles focam em questões como saúde pública, agricultura e educação pública.

2. Solução de problemas em larga escala

Os empreendedores sociais procuram identificar quais são os principais problemas existentes na sociedade, a fim de propor alternativas para solucioná-los, promovendo uma série de mudanças.

3. Valores sociais acima de qualquer tipo de lucro

Em contrapartida da maioria dos empresários convencionais, a nova geração do empreendedorismo social valoriza as mudanças em prol do benefício da sociedade acima de qualquer fim lucrativo.

4. Soluções em longo prazo

Por fim, o trabalho do empreendedorismo social é voltado para efeitos com nível de excelência, que provoquem mudanças em longo prazo.

Ou seja, quando o seu plano de negócios estiver pronto, chegou a hora de colocar a mão na massa. Em seguida, você pode começar por conta própria, com uma estrutura mínima viável. Ou então, buscar investimentos com empresas fomentadoras de negócios sociais.

E como fica o lucro?

Analogamente, ao contrário de uma organização não governamental (ONG) ou de uma organização da sociedade civil de interesse público (Oscip), os representantes do empreendedorismo social visam ao lucro.

Sua intenção é se autossustentar a partir da comercialização do seu produto ou serviço em primeiro lugar, e não ter como fonte de renda doações e patrocínios.

De acordo com a Fundação Schwab, uma plataforma que monitora empreendimentos de impacto social, em 20 anos, U$ 6.7 bilhões foram distribuídos entre empreendedores sociais.

Apoio nacional e global

A princípio, há diversos fundos de investimento — tanto no Brasil quanto no exterior — voltados para o empreendedorismo social. Portanto, aqueles que seguirem por esse caminho não sentirão falta de pessoas para apresentarem suas ideias.

Aqui no Brasil, por exemplo, a Artemisia é pioneira e uma das grandes referências entre as empresas que fomentam negócios com enfoque social, com dezenas de parceiros.

Ou seja, quanto mais organizado e preparado estiver o empreendedor, maior será a probabilidade de obter melhores condições. Ao negociar deve-se:

  • Definir todos os objetivos;
  • Identificar possíveis parcerias;
  • Estabelecer regras claras e com benefícios mútuos;
  • Associar-se a empresas que pensam como você;
  • Avaliar todos os cenários possíveis;
  • Apostar em uma comunicação eficiente;
  • Avaliar periodicamente o retorno obtido;
  • Renovar sua lista de parceiros.

Maneiras de financiar projetos

Conheça algumas formas de financiamento de projetos de empreendedorismo social são:

  • Editais;
  • Parcerias com empresas e poder público;
  • Crowdfunding;
  • Desafios como os promovidos pelo Changemakers da Ashoka;
  • Pagamento de pequenas contribuições pelos beneficiários, no caso de produtos.

No entanto, aqui é preciso lembrar que as redes de colaboração têm funcionado muito no que se refere a levantar recursos.

Enfim, vale identificar todas as redes e grupos que também estejam trabalhando naquela área. Até porque, quando falamos de impacto social, colaboração é mais efetiva do que competição!

Exemplos de empreendedorismo social no Brasil

Graacc

Desde 1991, essa iniciativa do oncologista pediátrico Antonio Sergio Petrilli tem sido uma forte aliada do combate ao câncer infantil no Brasil.

Como resultado, a entidade já tratou milhares de pacientes, com uma taxa de cura que fica em torno de 70%. Por isso, a organização funciona com base em um rigoroso sistema de gestão e atendimento que envolve pesquisadores de universidades, a iniciativa privada e a sociedade.

Instituto Chapada

Iniciativa que tem como mentora e principal líder a pedagoga Cybele Oliveira. É uma organização focada em ajudar a melhorar a qualidade da educação pública.

A entidade faz isso oferecendo, principalmente, apoio à formação continuada de professores e gestores de escolas. Além disso, auxilia a criação de redes colaborativas voltadas a fortalecer o ensino formal e políticas públicas de educação.

Gerando Falcões

Iniciativa de Eduardo Lyra, jovem nascido na periferia de São Paulo, que resolveu se dedicar a melhorar a vida de crianças que passam pelas mesmas dificuldades que ele enfrentou na infância. Cerca de 30 mil estudantes têm sido impactados pelas ações do projeto.

Em conclusão, o projeto tem como meta central promover o protagonismo dos jovens e fortalecê-los enquanto motores da transformação da sociedade.

Impacto em todas as áreas:

Geekie

Oferece aprendizado adaptativo para todos. Foi com essa missão que nasceu, em 2011 a Geekie, organização que desenvolve plataformas de ensino a partir de tecnologias inovadoras.

Assim garantindo as ferramentas necessárias a cada aluno para que desenvolvam seu potencial. Seus idealizadores, Cláudio Sassaki e Eduardo Bontempo, foram premiados em 2013 pelo Prêmio Folha de Empreendedores Sociais.

Geo Energética

Empresa brasileira que desenvolveu, sobretudo, uma fonte de energia inovadora e sustentável. É um biogás obtido a partir de um processo biotecnológico, com reaproveitamento de resíduos da produção de açúcar e álcool.

Criada após 10 anos, a proposta social é que sua tecnologia limpa seja vendida no mercado e esteja integrada à rede do Operador Nacional do Sistema (ONS).

Terra Nova

Um problema social comum no Brasil: ocupações irregulares de terrenos em grandes cidades. A Terra Nova é uma empresa que atua na mediação de conflitos no que eles chamam de regularização fundiária sustentável.

Na prática, desde 2001, atua junto a famílias carentes no acesso ao título de propriedade dos locais onde se estabeleceram.

São muitos os exemplos no Brasil e no mundo de empresas com o foco no empreendedorismo social. Os grandes diferenciais dos empreendedores sociais são a sua motivação e capacidade de inspirar mudanças.

Dessa forma, em geral, esse tipo de iniciativa surge de experiências pessoais de gente que, após se deparar ou vivenciar determinado desafio, se motiva para ajudar o próximo a superar problemas semelhantes.

Gostou do nosso conteúdo? Confira agora o que é o empreendedorismo feminino e dicas de como começar.

O que achou disso?

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 8

Seja o primeiro a avaliar este post.

O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui