Fiesp e centrais sindicais querem recriar câmara para discutir política industrial | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,2693
Bitcoin R$ 28.598,20
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,874
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Fiesp e centrais sindicais querem recriar câmara para discutir política industrial

Empresários e sindicalistas vão propor ao governo a recriação de uma câmara tripartite para discussão de políticas de incentivo à indústria nacional. Essa câmara deve reunir representantes dos industriais, dos trabalhadores e do governo para elaborar medidas de proteção de empresas brasileiras e dos empregos gerados por elas.

A ideia de recriação da Câmara Setorial da Indústria foi divulgada hoje (23) por representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Força Sindical e de sindicatos de metalúrgicos da capital e do ABC Paulista. A proposta para a montagem do grupo deve ser apresentada ao vice-presidente da República, Michel Temer, em um seminário programado para quinta-feira (26), em São Paulo.

Segundo empresários e sindicalistas, a ideia é que a câmara siga um modelo já adotado em 1992, na época da crise das montadoras do ABC. Naquela época, a discussão entre trabalhadores, empresários e o governo ajudou a encontrar soluções para a redução da produção de automóveis no país e para os cortes de empregos nas empresas.

Desta vez, de acordo com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, a preocupação são “os ataques à indústria nacional pelos importados”. Ele afirmou que a produção nacional está ameaçada pela concorrência estrangeira e defendeu que o governo federal adote medidas para protegê-la.

Entre as ações medidas sugeridas estão a redução da taxa básica de juros, a Selic, a desoneração da folha de pagamento, o fim da guerra fiscal entre estados, a limitação da entrada de capital estrangeiro especulativo no país e medidas de estímulo à inovação. Sindicalistas e empresários também defendem o reajuste do limite de isenção do Imposto de Renda e o não recolhimento de impostos sobre valores recebidos como Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Para o presidente da Força Sindical, o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), essas medidas incentivariam o setor produtivo e o ajudariam a se manter competitivo ante a concorrência estrangeira, produzindo itens com mais tecnologia e valor agregado. “Quando você olha o país por cima, ele está muito bem. Mas quando você olha a indústria, a situação é grave”, afirmou. “Estamos virando um país de apertadores de parafuso.”

Sergio Nobre, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e representante da CUT, também afirmou que a indústria brasileira precisa evoluir tecnologicamente. Só assim, segundo ele, os empregos gerados pelo setor serão mantidos nos próximos anos.

Nobre disse que, por falta de tecnologia e de políticas de incentivo à indústria nacional, o Brasil tem importado cada vez mais produtos manufaturados. Essa importação tem fechado postos de trabalho no Brasil. Nobre disse que, só no setor automotivo, 102 mil vagas de trabalho seriam abertas se o Brasil importasse menos carros e autopeças, de acordo com cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Segundo Skaf, em todo o setor industrial, mais de 1 milhão de empregos poderiam ser criados com a redução do déficit da balança comercial de manufaturas. Em 2010, o Brasil importou US$ 72 bilhões a mais do que exportou só no que se refere a produtos industrializados. Ele disse que esse déficit deve chegar a U$ 100 bilhões em 2011.



Fonte: Enfoque Informações Financeiras

Recebido em:
23/05/2011 14:27:02

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras







Mais lidos

Foi demitido? Saiba como obter o seguro desemprego
O seguro desemprego tem sido um recurso importante para os milhares de desempregados no Brasil. Os d...
Como começar a investir com R$3 mil?
Investir com pouco dinheiro é uma questão para muitas pessoas. Parece que para fazer uma aplicaç...
Restituição do Imposto de Renda 2018: veja cronograma
Em 2018, os milhares de contribuintes tiveram até 30 de abril para declarar o Imposto de Renda. Ago...
Cerca de 7 milhões de brasileiros têm FGTS atrasado
FGTS atrasado é uma realidade para cerca de 7 milhões de brasileiros. De acordo com a Procuradoria...
Brasileiros no Japão: emissão de vistos cresce 145%
Muitos brasileiros estão buscando novas oportunidades em outros países, e o motivo desse fluxo mig...
BC aumenta oferta do swap cambial e dólar fecha em queda
Após seis altas consecutivas, o dólar fechou em queda nos últimos dias esta semana. Para o alívi...




Publicidade