Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Fiquei desempregado, e agora? Veja por onde (re)começar

Escrito por: Priscila Gomes em 19 de setembro de 2018

É comum se sentir sem chão quando se para e pensa: fiquei desempregado, e agora? Perder o emprego pode te fazer entrar em pânico, mas não vai ajudar em absolutamente nada.

Por isso, é preciso se manter motivado para que consiga enxergar a luz no fim do túnel. Pode acreditar, é possível dar a volta por cima. Veja por onde (re)começar!

fiquei desempregado
Fiquei desempregado, e agora? É possível dar a volta por cima. Veja por onde (re)começar

Estar desempregado pode ser uma situação complicada. Entre as justificativas mais comuns dos últimos tempos está a crise. As taxas de desemprego no país atingem milhões de profissionais, índice que preocupa quem depende da verba para sobreviver.

O fato é que ninguém gosta de estar sem emprego e ter dor de cabeça para pagar as contas, certo? E quanto menos aparecem oportunidades, mais você começa a pensar que é o fim e que nunca irá conseguir outro emprego.

Acredite, encontrar a vaga ideal é questão de tempo.

Fiquei desempregado: 7 coisas para não fazer

1. Sentir-se constrangido. Você não está só e não tem motivos para se envergonhar. Isso pode acontecer com qualquer pessoa em algum momento da vida.

2. Desistir. Nunca decida chutar o balde. Muitas injustiças acontecem, mas desistir jamais (mesmo que esteja sentindo insegurança e decepção).

3. Ficar desanimado. Tudo bem ficar triste e se sentir vazio por alguns dias. Mas lembre de levantar e sacudir a poeira porque tudo vai ficar bem.

4. Esquecer que tem dívidas. Não tenha os mesmos hábitos de sempre. Evite gastar sem necessidade e anote todas as contas.

5. Gastar todo dinheiro. Caso já tenha recebido os valores da rescisão e seguro-desemprego, não torre toda a grana sem antes pensar no seu futuro. Esta é sua única garantia de verba para viver nos próximos meses.

6. Adquirir vícios. Não importa se é em álcool ou Netflix, qualquer vício é prejudicial. Use o tempo de maneira sadia se especializando online ou criando projetos. O foco é não se entregar.

7. Desesperar-se. Ok, existem milhões de desempregados e pode ser difícil se recolocar no mercado. Mas pense que esta é sua oportunidade de recomeçar.

Fiquei desempregado, e agora: o que fazer?

Primeiramente, pare e analise os ganhos no último emprego e o que pode ser descartado.

Organize as finanças e pendências em geral, listando as dívidas fixas e pontuais.

Confira mais dicas de como se reestruturar emocionalmente e financeiramente!

Confira e planeje suas finanças

O período normal de recolocação no mercado é de até seis meses. Pensando assim, é necessário que se tenha uma organização para que não falte dinheiro para gastos mais essenciais. É importante fazer, nesta etapa, o planejamento dos próximos meses.

Renegocie determinadas dívidas e faça de tudo para que as parcelas sejam menores. O motivo disso é que, se preferir quitar, pode ficar sem dinheiro para pagamentos emergentes.

Então, a melhor alternativa é quitar os valores mais baixos e parcelar os que demandam mais verba.

Reflita sobre os pontos fortes e fracos

Com o tempo livre, foque em aprender mais sobre você. O autoconhecimento é o maior bem que tirará nesta fase, por isso, aproveite ao máximo para se conhecer profissionalmente e pessoalmente.

Quais são seus pontos fortes? Quais são os fracos? Quais atitudes precisam de melhoria o quanto antes? Faça uma análise e liste todas as suas características

Evite usar cartão de crédito

Usar cartão de crédito enquanto está desempregado é pedir para se enrolar. É bom evitar todo e qualquer tipo de financiamento, empréstimo e até o cheque especial.

Pense antes de consumir algo se o produto é essencial e se pode ser pago à vista. Caso as respostas sejam “não”, não compre.

Elimine gastos fúteis

Caso não tenha real necessidade de usar o serviço do telefone fixo, para que continuar pagando?

A mesma coisa acontece com TV, compras de mercado, roupas e demais contas que podem ser enxugadas ou até excluídas do orçamento.

Repense sobre o consumo consciente e faça com que apenas o essencial fique em sua vida.

Pense nas possibilidades

Saia da zona de conforto, um novo mundo de alternativas se abriu para você. É hora de arregaçar as mangas e seguir em frente.

Atualize seu currículo e envie dezenas, centenas ou o quanto for necessário. Vá a workshops e mantenha contato com pessoas da área em que deseja atuar.

O ideal é começar algum curso, seja de línguas ou graduação. Também há possibilidade de investir tempo e algum dinheiro em cursos online.

A FGV, por exemplo, oferece cursos de finanças pessoais gratuitos e à distância. Ficar antenado nas novidades no mercado é importante nesta nova fase de vida.

Motive-se diariamente

Mesmo que inicialmente seja difícil, a motivação fará a diferença neste processo justamente por conta da sua atitude.

Os problemas virão, mas lembre-se dos seus sonhos e projetos para o futuro. Não se desespere e siga o planejamento.

Formas de ganhar dinheiro desempregado

As vagas formais de emprego estão mais escassas, o que faz com que os profissionais usem a criatividade para conseguir ganhar dinheiro. Veja algumas ideias de novos negócios:

• Ser consultor de vendas: Jequiti, Avon, Romael e diversas outras de possibilidades de vendas;

• Criar um bazar online;

• Dar aulas em casa de reforço, artesanato, idiomas e até de culinária;

• Fazer doces e vender na rua ou para familiares;

• Escrever para sites e blogs como freelancer.

Priscila Gomes

Jornalista. Gosto de abraços, aniversários e do Natal. Atualmente produzo conteúdo para internet e faço assessoria sindical.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Financiamento estudantil privado
cartão sem anuidade
simpatias para ganhar dinheiro
Como conseguir empréstimo e tudo que você precisar saber
13° salário