Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Franquia e licenciamento: entenda a diferença

Escrito por: Redação em 13 de dezembro de 2017

Investir em franquia e licenciamento: qual é o melhor negócio para o meu perfil? É importante entender que cada modalidade possui suas especificações e não significam a mesma coisa. O licenciamento é o direito de uso de uma marca ou personagem atrelado a um produto ou serviço.

Já a franquia é também o direito de uso de uma marca e do serviço. Na franquia, é preciso aprender sobre o negócio, há treinamentos, formatação do negócio. É um modelo que segue um padrão. Nesse sistema, o franqueador cede ao franqueado não só o uso da patente, como também o direito de distribuição dos produtos ou serviços.

Escolher entre franquia ou licenciamento vai depender de seus objetivos de negócios. Na franquia, há apoio e diretrizes para a gestão do negócio e de toda a operação. No licenciamento, há apenas a licença para aquela marca, que será associada a um produto ou serviço de quem o adquiriu. A operação do negócio, nesse caso, cabe ao seu dono, independente.

Ainda tem dúvidas sobre a diferença entre franquia e licenciamento e qual modelo é mais vantajoso para você? Antes de decidir e saber mais detalhes a seguir, conheça também os principais indicadores de valor de uma empresa.

franquia e licenciamento
Para escolher entre uma franquia e licenciamento, é importante avaliar o seu perfil de negócio

O que é licenciamento

O licenciamento é quando o detentor de uma marca, personagem ou propriedade intelectual, legalmente protegidos, cede seu uso, por tempo determinado, em um produto ou serviço. Em troca, o dono receberá uma remuneração,que pode ser fixa ou variável e estar atrelada ou não ao desempenho desse produto ou serviço.

Todo processo de licenciamento envolve um licenciador, que é o proprietário dos direitos da licença; uma agência de Licenciamento, a representante oficial do licenciador no Brasil; e o licenciado, que é a empresa que contrata o uso da marca para seus produtos ou serviços.

A relação entre o licenciador e o licenciado é regulamentada pelo contrato de licenciamento. E toda a negociação é feita pela agência. Os direitos de propriedades industriais e marcas chamam-se royalties. O direito de personagens, celebridades e obras artísticas é o copyright, ou seja, o equivalente ao direito autoral.

Segundo a Associação Brasileira de Licenciamento (Abral), as vantagens desse tipo de negócio envolvem:

– Aumento de vendas, já que estima-se, segundo a Abral, que um produto licenciado tem um giro 45% maior, em média, do que o similar não licenciado.
– Fortalece um novo produto ou linha;
– Promoção do nome da empresa licenciada;
– Amplia mercados, pois, de acordo com a Abral, o licenciamento “abre portas”, especialmente no varejo;
– Reconhecimento do público-alvo;
– Diferenciação em relação aos concorrentes.

O licenciamento promocional

O licenciamento de curto prazo, com uso de até seis meses, é chamado de licenciamento promocional. Esse formato acontece com o uso da marca, que pode ser um filme, personagens ou eventos, para promover um produto ou serviço. A forma mais comum encontrada são os brindes relacionados àquela marca.

Ainda de acordo com dados apresentados pela Abral, as categorias mais licenciadas são entretenimento, marcas esportivas, moda, música e artes, corporativas, celebridades e games.

O que é franquia

Todas as franquias são regulamentadas pela lei 8.955, de 15 de dezembro 1994. A Lei das Franquias explica que esse é um modelo empresarial em que um franqueador cede a marca ou patente ao franqueado. Esse direito é associado à distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de um produto ou serviço.

Em alguns casos, dá “direito ao uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo franqueador”. Na franquia, o direito de uso é em troca de remuneração, direta ou indireta, porém sem vínculo empregatício.

Quando o franqueador tiver interesse em implantar um sistema de franquia, deverá fornecer aos interessados uma Circular de Oferta de Franquia (COF). Nesse documento devem constar, entre outros pontos:

– Histórico resumido;
– Balanço financeiro;
– Descrição detalhada da franquia e do negócio;
– Perfil do franqueado ideal;
– Requisitos quanto ao envolvimento do franqueado;
– Informações sobre taxas e valores que devem ser pagos ao franqueador;
– Indicação do que é oferecido ao franqueado pelo franqueador.

Como ter uma franquia

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), os procedimentos para abrir uma franquia envolvem, primeiramente, o contato do candidato com a empresa. Nesse contato a empresa verifica o perfil e referências do possível franqueado, por exemplo.

Se o candidato for aprovado, o próximo passo é o envio da COF contendo todas as informações exigidas na Lei da Franquia, dessa vez, para análise do interessado. Uma dica da ABF é que o candidato a franqueado tenha perfil empreendedor acima de tudo. Escolher uma franquia de categoria que tenha a ver com você também é mais recomendado.

Segundo a associação de franchising, no Brasil, existem mais de 3 mil marcas de franquias ativas. Sobre formato e custos, a franquia pode ser em sistema home-based (trabalho em casa), quiosques, lojas grandes ou menores, franquias móveis ou e-franquias, entre outros formatos, com custo entre R$ 5 mil a R$ 36 milhões. Agora que você á conhece os detalhes de cada modelo, saiba quais são os negócios em alta para 2018.

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

tarifas bancárias
renegociar a dívida
A inexperiência com o dinheiro e a falta de planejamento podem levar ao descontrole financeiro
Fazer compras por impulso ou à crédito pode trazer dívidas no futuro
Guia completo sobre financiamento imobiliário