Governo publica no Diário Oficial corte de quase R$ 7,5 bilhões no orçamento | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$3,91
Euro R$4,47
Libra R$4,98
Peso R$0,13
Bitcoin R$25.224,36
Ethereum R$1.172,66
Litecoin R$224,70
Ripple R$1,34
Bovespa 81.533,08
CDI 2,64% a.a
Selic 6,40% a.a
Poupança 0,50% a.a
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Governo publica no Diário Oficial corte de quase R$ 7,5 bilhões no orçamento

O Diário Oficial da União, em edição extraordinária, traz o corte adicional de R$ 7,488 bilhões em despesas discricionárias (não obrigatórias) no Orçamento da União. Mais R$ 125 milhões são cortes dos poderes Judiciário e Legislativo e do Ministério Público Federal, que ainda serão publicados. Com essa elevação, o valor contingenciado das despesas discricionárias soma R$ 28,948 bilhões este ano.

Há ainda R$ 2,4 bilhões em despesas obrigatórias que fazem parte do esforço do governo para manter o crescimento da economia de forma sustentável.

No total, o corte é de aproximadamente R$ 10 bilhões em despesas primárias. Esse bloqueio foi anunciado no dia 13 de maio pelos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Paulo Bernardo. A medida total elevou para quase R$ 32 bilhões o contingenciamento no ano.

Esse é mais um instrumento usado pelo governo para manter a inflação dentro da meta, em momento de aquecimento da economia. A meta de inflação é de 4,5%, podendo variar 2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Outro instrumento para conter a demanda vem sendo utilizado pelo Banco Central, que em abril elevou a taxa básica de juros de 8,75% ao ano para 9,50% ao ano.

Ao anunciar os cortes, tanto Paulo Bernardo quanto Guido Mantega garantiram que os investimentos e os programas sociais serão mantidos. O governo defende que é absolutamente normal que o Estado tenha papel cíclico ou anticíclico [estimular a economia com injeção de recursos e aumento de investimentos, por exemplo, para equilibrar a economia].

A avaliação do governo é que no primeiro trimestre do ano a economia cresceu muito porque ainda estavam em vigor todos os incentivos do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) concedidos ao setor automotivo e aos eletrodomésticos da linha branca.

Agora, a percepção é que o segundo trimestre não será parecido e tão aquecido. Para o primeiro trimestre, a estimativa de crescimento é entre 2% e 2,5%, que anualizado chega a 8% a 10%. A ordem é agir com cautela e, por enquanto, não se fala em mexer na meta de superávit primário deste ano, de 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB).



Fonte: Enfoque Informações
Financeiras
Ltda.


Recebido em:
31/05/2010 14:35:52

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando na metade e as empresas não param de crescer. Esse é o resultado da pesquisa ...
Os jogadores mais bem pagos do mundo em 2018
Quem são os jogadores mais bem pagos do mundo? Muito provavelmente você vai responder Cristiano Ro ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...




Publicidade