Ibovespa sobe forte e volta para mais de 50 mil pontos; dólar cai quase 3% | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Ibovespa sobe forte e volta para mais de 50 mil pontos; dólar cai quase 3%


São Paulo, 28/06 (Enfoque) –

Nesta terça-feira, já foi possível sentir a sensação de ressaca pós-Brexit dar uma trégua. Ibovespa abriu o dia subindo forte após queda bruta de ontem (27), e intensificou os ganhos em cerca de 1,5%, voltando para a marca dos 50 mil pontos. O dólar, por sua vez, vem perdendo força perante grande parte das moedas e as commodities, com exceção do minério de ferro, e despencou 2,76%, já chegando na tão falada “casa dos R$ 3,30”, prevista por especialistas em um período de tempo breve, como, de fato, acabou se confirmando nesta terça. As bolsas americanas, seguindo os ganhos internacionais após dois dias de quedas por conta do referendo britânico, também subiram forte e fecham o dia com alta de mais de 1%.

Segundo dados divulgados nesta segunda-feira (27) no site do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, houve um superávit de US$ 1,1 bilhão na Balança Comercial referente à quarta semana de junho. O resultado de exportações foi de US$ 4,009 bilhões, enquanto as importações fecharam o período em US$ 2,909 bilhões.

A quarta semana de junho foi marcada pela média de exportações atingindo US$ 801,8 milhões, 5,7% mais do que na semana passada, que fechou em S$ 758,3 milhões. Tal aumentos dos valores foram alcançados em razão do aumento de exportações de produtos manufaturados (10,8%). Entre eles: automóveis, veículos de carga, óxidos e hidróxidos de alumínio, açucar refinado, laminados de ferro e aço, autopeças e tubos de ferro fundido. No caso dos produtos básicos, que representa 6,4%, estão minério de ferro, petróleo, carne de frango, fareio de soja e fumo. Sobre as quedas, estão os produtos semimanufaturados, que despencaram 9,22%. Setor é representado, principalmente, por celulose, semimanufaturados de ferro e aço, ouro, ferro-ligas, óleo de soja e catodos de cobre. Já nas importações, o crescimento apontado foi de 0,7% em relação ao período da terceira semana, passando de US$ 577,6 milhões para  581,9 milhões. O aumento efetivo se explica por conta do aumento nos gastos com equipamentos mecânicos, adubos e fertilizantes, siderúrgicos, farmacêuticos, borrachas e obras.

Deficit de R$ 15,5 bilhões do governo central (União, Banco Central e Previdência Social) foi registrado, ampliando ainda mais o deficit dos últimos 12 meses, que está agora em R$ 145 bilhões – o pior da história desde 1997. O rombo do mês de maio indoca um aumento rápido das contas públicas. Há cerca de um mês, o acumulado em 12 meses estava entre R$ 137,6 milhões. Previsão é que o valor alcance R$ 170 mi até o fim do ano de 2016.

Em entrevista coletiva, o presidente do Banco Central,  Ilan Goldfajn, afirmou que 4,5% é a meta oficial para o ano que vem em relação ao IPCA. Depreciação e alta dos preços acabou causando um choque em 2015, e desde então, segundo Goldfajn, estão indo atrás de estabelecer uma boa porcentagem em um espaço de tempo apropriado. O presidente do BC falou também sobre o Brexit, afirmando que “não sabemos a magnitude do impacto para o crescimento do Brasil”.

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas subiu 4,2 pontos em junho, alcançando 83,4 pontos, o maior nível desde fevereiro de 2015. A alta se estendeu a 14 dos 19 principais segmentos da pesquisa e foi determinada majoritariamente pela melhora das expectativas em relação ao futuro próximo.
 
O Índice de Preços ao Produtor (IPP) variou 0,90% em maio, acima dos -0,34% registrados no mês anterior. É o primeiro resultado positivo depois de três negativos consecutivos. Com isso, o acumulado no ano chegou a -0,61%, contra -1,49% em abril. O acumulado em 12 meses foi para 5,61%, acima dos 4,67% de abril. O IPP mede a evolução dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e fretes, de 23 setores da indústria de transformação. Em maio, os preços da indústria variaram, em média, 0,90%, quando comparados a abril/2016, número superior ao observado na comparação entre abril/2016 e março/16 (-0,34%). Em maio/2016, 11 das 24 atividades apresentaram variações positivas de preços. As quatro maiores variações observadas em maio/2016 se deram entre os produtos compreendidos nas indústrias extrativas (11,37%), farmacêutica (2,99%), alimentos (2,82%) e impressão (2,82%). Em termos de influência, sobressaíram alimentos (0,57 p.p.), indústrias extrativas (0,33 p.p.), refino de petróleo e produtos de álcool (-0,13 p.p.) e outros produtos químicos (0,09 p.p.).

Segundo o Relatório Trimestral de Inflação, divulgado na manhã desta terça-feira pelo Banco Central, não há espaço para acontecer uma flexibilização monetária. Além disso, o documento aponta também que combate à inflação, para poder avançar, depende além da política monetária, do ajuste fiscal também. Entretanto, reconhece que avanços foram alcançados.

O PIB norte-americano, divulgado na manhã desta terça-feira, apresentou uma crescente de 1,1%, superando a expectativa divulgada previamente, que era de 1,0% cravado. No último semestre de 2015, o Produto Interno Bruto dos EUA cresceu um pouco menos, e fechou o ano subindo 0,8%. Já o índice S&P Case-Shiller HPI dos EUA apontou um crescimento de 0,5% no mês de abril, apenas 0,1% abaixo do que era previsto e foi divulgado na prévia do resultado final. Em março, após revisão, o crescimento apontado foi de 0,8%. E superando a expectativa, o índice de Confiança do Consumidor, que era esperado fechar junho em 93.3, acabou apresentando 98.0 referente ao mês atual. Em maio, o número apresentado foi de 92.6, menor do que o divulgado hoje pela manhã.

Fechando esta terça-feira, o Ibovespa encerra sua jornada recuperando-se em 1,55% com 50.007 pontos. O dólar encerra a jornada de hoje desvalorizando forte em relação ao real, caindo 2,79% e valendo, nesta terça-feira, R$ 3.3050, como já era previsto por especialistas em aposta que se confirmou hoje após mais uma queda bruta. Em Wall Street, cenário do dia também foi positivo e seguiu otimismo das bolsas internacionais vizinhas, que fecharam também em alta. Dow Jones fecha a terça-feira com ganhos de 1,57% aos 17.409,1 pontos, contra subida de 1,78% do SP500, que pontua 2.036,07. Confira os gráficos abaixo:

(por Oscar Brandtneris)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 28/06/2016 17:15:18

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...
Quais são as moedas mais valorizadas do mundo?
Sabe quais são as moedas mais valorizadas do mundo? Você vai se surpreender! O Real é a terceira ...




Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


   

Guias

Calculadoras