IGP-10 avança em dezembro | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,260
Euro R$ 4,017
Bitcoin R$ 33.399,99
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,546
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


IGP-10 avança em dezembro


São Paulo, 15/12 (Enfoque) –

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,20%, em dezembro. A taxa apurada em novembro foi de 0,06%. Em dezembro de 2015, a variação foi de 0,81%. No ano de 2016, o IGP-10 registrou alta de 6,95%. No ano anterior, o índice elevou-se 10,54%. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.
 
O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 0,22%, em dezembro. Em novembro, a variação foi de -0,06%. Os Bens Finais registraram taxa de variação de -0,44%, em dezembro, ante -0,57%, em novembro. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de -8,33% para -5,52%. O índice relativo a Bens Finais (ex), calculado sem os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, registrou variação de 0,17%. No mês anterior, a taxa de variação foi de 0,36%.
 
O índice do grupo Bens Intermediários registrou variação de -0,19%. No mês anterior, a taxa havia sido de -0,26%. Quatro dos cinco subgrupos registraram aceleração, com destaque para suprimentos, cuja taxa de variação passou de -0,71% para 1,90%. O índice de Bens Intermediários (ex),obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, registrou variação de 0,55%. No mês anterior, este índice registrou variação de -0,05%.
 
O índice do grupo Matérias-Primas Brutas registrou variação de 1,41%. Em novembro, a taxa foi de 0,76%. Contribuíram para a aceleração do grupo os itens: minério de ferro (5,39% para 14,94%), soja (em grão) (-2,30% para -0,34%) e minério de cobre (0,00% para 6,50%).Em sentido inverso, destacaram-se os itens: milho (em grão) (-1,28% para -6,98%), mandioca (aipim) (10,57% para 2,77%) e bovinos (1,19% para  -0,84%).
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,09%, em dezembro, ante 0,35%, em novembro. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo Habitação (0,36% para -0,36%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial (0,60% para -3,30%).
 
Também apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Transportes (0,89% para 0,19%), Comunicação (0,80% para -0,04%) e Vestuário (0,36% para -0,10%). Nestas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: gasolina (1,64% para -0,44%), tarifa de telefone móvel (1,24% para 0,03%) e roupas (0,28% para 0,07%), respectivamente.
 
Em contrapartida, apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Educação, Leitura e Recreação (0,29% para 0,93%), Alimentação (-0,11% para 0,00%), Despesas Diversas (0,13% para 0,54%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,51% para 0,54%). Nestas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: passagem aérea (4,20% para 21,81%), laticínios (-5,01% para -1,94%), cigarros (-0,40% para 1,11%) e perfume (0,11% para 0,96%), respectivamente.
 

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em dezembro, taxa de variação de 0,31%, ante 0,16%, no mês anterior. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,05%. No mês anterior, a taxa havia sido de -0,06%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou variação de 0,52%. No mês anterior, este índice variou 0,35%.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 15/12/2016 08:41:19







IGP-10 avança em dezembro


São Paulo, 15/12 (Enfoque) –

(FGV) – O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,98%, em dezembro. A taxa apurada em novembro foi de 0,82%. Em dezembro de 2013, a variação foi de 0,44%. No ano de 2014, o IGP-10 variou 3,88%. No ano anterior, o índice elevou-se 5,39%. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 1,17%, em dezembro. Em novembro, a variação foi de 1,06%. Os Bens Finais registraram taxa de variação de 1,12%, em dezembro, ante 0,66%, em novembro. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,38% para 1,62%. O índice relativo a Bens Finais (ex), calculado sem os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, registrou variação de 0,97%. No mês anterior, a taxa de variação foi de 0,47%.

O índice do grupo Bens Intermediários registrou variação de 1,15%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,93%. Três dos cinco subgrupos apresentaram aceleração, com destaque para combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa de variação passou de 0,42% para 2,87%. O índice de Bens Intermediários (ex), obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, registrou variação de 0,89%. No mês anterior, foi registrada variação de 1,01%.

O índice do grupo Matérias-Primas Brutas registrou variação de 1,25%. Em novembro, a taxa foi de 1,71%. Contribuíram para a desaceleração do grupo os itens: suínos (7,97% para -4,96%), aves (1,46% para -2,94%) e leite in natura (-1,68% para -4,42%). Em sentido inverso, destacaram-se os itens: milho (em grão) (7,42% para 12,86%), bovinos (4,44% para 5,43%) e mandioca (aipim) (-1,56% para 3,60%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,72%, em dezembro, ante 0,43%, em novembro. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. O principal destaque partiu do grupo Transportes (0,12% para 0,85%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item gasolina, cuja taxa passou de 0,11% para 2,20%.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos:

Educação, Leitura e Recreação (0,28% para 1,22%);
Habitação (0,54% para 0,81%);
Alimentação (0,52% para 0,70%); e
Comunicação (0,22% para 0,40%).

Nestas classes de despesa, destacam-se os itens: passagem aérea (-4,70% para 29,31%), tarifa de eletricidade residencial (0,84% para 3,93%), carnes bovinas (1,51% para 3,94%) e tarifa de telefone móvel (0,47% para 0,98%), respectivamente.

Em contrapartida, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Vestuário (0,86% para 0,36%) e Despesas Diversas (0,25% para 0,24%). Na primeira classe de despesa, vale citar o comportamento do item roupas (0,77% para 0,37%), e na segunda, acesso à internet em loja (0,51% para 0,00%), respectivamente.

O grupo Saúde e Cuidados Pessoais repetiu a taxa de variação registrada no mês anterior, 0,50%. O item salão de beleza (0,74% para 1,47%) exerceu a principal influência de alta. Em sentido descendente, o destaque coube ao item artigos de higiene e cuidado pessoal (0,57% para -0,05%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em dezembro, taxa de variação de 0,42%, ante 0,16%, no mês anterior. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,37%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,33%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou variação de 0,46%. No mês anterior, este índice não registrou variação.

(por André Teixeira)


Fonte: Enfoque
Recebido em: 15/12/2014 09:10:48







IGP-10 avança em dezembro


São Paulo, 15/12 (Enfoque) –

(FGV) – O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,98%, em dezembro. A taxa apurada em novembro foi de 0,82%. Em dezembro de 2013, a variação foi de 0,44%. No ano de 2014, o IGP-10 variou 3,88%. No ano anterior, o índice elevou-se 5,39%. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 1,17%, em dezembro. Em novembro, a variação foi de 1,06%. Os Bens Finais registraram taxa de variação de 1,12%, em dezembro, ante 0,66%, em novembro. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,38% para 1,62%. O índice relativo a Bens Finais (ex), calculado sem os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, registrou variação de 0,97%. No mês anterior, a taxa de variação foi de 0,47%.

O índice do grupo Bens Intermediários registrou variação de 1,15%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,93%. Três dos cinco subgrupos apresentaram aceleração, com destaque para combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa de variação passou de 0,42% para 2,87%. O índice de Bens Intermediários (ex), obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, registrou variação de 0,89%. No mês anterior, foi registrada variação de 1,01%.

O índice do grupo Matérias-Primas Brutas registrou variação de 1,25%. Em novembro, a taxa foi de 1,71%. Contribuíram para a desaceleração do grupo os itens: suínos (7,97% para -4,96%), aves (1,46% para -2,94%) e leite in natura (-1,68% para -4,42%). Em sentido inverso, destacaram-se os itens: milho (em grão) (7,42% para 12,86%), bovinos (4,44% para 5,43%) e mandioca (aipim) (-1,56% para 3,60%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,72%, em dezembro, ante 0,43%, em novembro. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. O principal destaque partiu do grupo Transportes (0,12% para 0,85%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item gasolina, cuja taxa passou de 0,11% para 2,20%.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos:

Educação, Leitura e Recreação (0,28% para 1,22%);
Habitação (0,54% para 0,81%);
Alimentação (0,52% para 0,70%); e
Comunicação (0,22% para 0,40%).

Nestas classes de despesa, destacam-se os itens: passagem aérea (-4,70% para 29,31%), tarifa de eletricidade residencial (0,84% para 3,93%), carnes bovinas (1,51% para 3,94%) e tarifa de telefone móvel (0,47% para 0,98%), respectivamente.

Em contrapartida, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Vestuário (0,86% para 0,36%) e Despesas Diversas (0,25% para 0,24%). Na primeira classe de despesa, vale citar o comportamento do item roupas (0,77% para 0,37%), e na segunda, acesso à internet em loja (0,51% para 0,00%), respectivamente.

O grupo Saúde e Cuidados Pessoais repetiu a taxa de variação registrada no mês anterior, 0,50%. O item salão de beleza (0,74% para 1,47%) exerceu a principal influência de alta. Em sentido descendente, o destaque coube ao item artigos de higiene e cuidado pessoal (0,57% para -0,05%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em dezembro, taxa de variação de 0,42%, ante 0,16%, no mês anterior. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,37%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,33%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou variação de 0,46%. No mês anterior, este índice não registrou variação.


(por André Teixeira)


Fonte: Enfoque
Recebido em: 15/12/2014 09:09:29







Mais lidos

Como saber meu perfil de investidor? Descubra!
Você já tomou o primeiro passo e decidiu que vai investir. Fazer uma aplicação que vai além da ...
Blockchain: o que é e como funciona
Provavelmente você já ouviu falar em Blockchain por causa das moedas digitais. Mas, afinal, o que ...
Como ganhar dinheiro com renda fixa?
Os investimentos em renda fixa costumam ser para um perfil de investidor mais conservador. Geralment...
10 criptomoedas além do Bitcoin que você precisa conhecer
Você já deve ter escutado algo sobre Bitcoin. As criptomoedas estão revolucionando o mercado fina...
Índices da bolsa de valores que você precisa conhecer
Se você está pensando em investir na bolsa, mas não sabe por onde começar, entender os termos e ...
Inteligência Artificial: é possível aplicar no mercado financeiro?
A inteligência artificial é uma realidade cada vez mais presente no mercado financeiro. As chamada...




Publicidade