Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

IGP-10 recua em outubro

Escrito por: Redação em 17 de outubro de 2016


São Paulo, 17/10 (Enfoque) –

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,12%, em outubro. A taxa apurada em setembro foi de 0,36%. Em outubro de 2015, a variação foi de 1,88%. A taxa acumulada em 2016, até outubro, é de 6,68%. Em 12 meses, o IGP-10 registrou alta de 9,30%. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.
 
O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 0,12%, em outubro. Em setembro, a variação foi de 0,39%. Os Bens Finais registraram taxa de variação de 0,04%, em outubro, ante -0,01%, em setembro. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,41% para 2,09%. O índice relativo a Bens Finais (ex), calculado sem os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, registrou variação de 0,91%. No mês anterior, a taxa de variação foi de 0,35%.
 
O índice do grupo Bens Intermediários registrou variação de -0,02%. No mês anterior, a taxa havia sido de -0,31%. Três dos cinco subgrupos registraram aceleração, com destaque para materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa de variação passou de -0,56% para 0,14%. O índice de Bens Intermediários (ex),obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, registrou variação de 0,04%. No mês anterior, este índice registrou variação de -0,29%.
 
O índice do grupo Matérias-Primas Brutas registrou variação de 0,36%. Em setembro, a taxa foi de 1,65%. Contribuíram para a desaceleração do grupo os itens: leite in natura (4,98% para -2,60%), minério de ferro (8,89% para 3,61%) e aves (3,98% para -1,25%).Em sentido inverso, destacaram-se os itens: soja (em grão) (-2,43% para -0,67%), bovinos (-1,74% para 1,57%) e café (em grão) (-1,71% para 3,09%).
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,08%, em outubro, ante 0,27%, em setembro. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo Alimentação (0,54% para -0,31%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item frutas (7,45% para -3,74%).
 
Também apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Educação, Leitura e Recreação (0,95% para -0,21%), Despesas Diversas (-0,12% para -0,30%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,45% para 0,38%). Nestas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: show musical (9,89% para -5,97%), cigarros (-0,37% para -1,20%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (0,13% para -0,31%), respectivamente.
 
Em contrapartida, apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,10% para 0,40%), Vestuário (-0,21% para 0,30%), Transportes (-0,04% para 0,09%)e Comunicação (0,02% para 0,25%). Nestas classes de despesa, destacam-se os itens: tarifa de eletricidade residencial (-0,53% para 0,21%), calçados (-0,41% para 0,66%), gasolina (-1,15% para -0,36%)e tarifa de telefone residencial (-0,22% para 0,27%), respectivamente.
 

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em outubro, taxa de variação de 0,22%, ante 0,34%, no mês anterior. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,14%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,30%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou variação de 0,29%. No mês anterior, este índice variou 0,38%.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 17/10/2016 08:11:07

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

facebook
Desigualdade salarial entre homens e mulheres: mito ou verdade?
duvidas FGTS
Coaf
aumentos-salariais-em-2018