IGP-M recua em novembro | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

IGP-M recua em novembro


São Paulo, 29/11 (Enfoque) –

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou -0,03%, em novembro. Em outubro, o índice variou 0,16%. Em novembro de 2015, a variação foi de 1,52%. A variação acumulada em 2016, até novembro, é de 6,60%. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 7,12%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.
 
O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou taxa de variação de -0,16%. No mês anterior, a taxa foi de 0,15%. O índice relativo aos Bens Finais variou -0,82%, em novembro. Em outubro, este grupo de produtos mostrou variação de 0,07%. Contribuiu para este recuo o subgrupo alimentos processados, cuja taxa de variação passou de 1,58% para -0,08%. Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice de Bens Finais (ex) registrou variação de 0,17%. Em outubro, a taxa foi de 0,86%.
 
O índice referente ao grupo Bens Intermediários variou -0,43%. Em outubro, a taxa foi de 0,04%. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção,cuja taxa de variação passou de -0,49% para -3,82%. O índice de Bens Intermediários (ex), calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, variou 0,09%, ante 0,12%, em outubro.
 
No estágio inicial da produção, o índice do grupo Matérias-Primas Brutas variou 0,90%, em novembro. Em outubro, o índice registrou variação de 0,36%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: minério de ferro (2,16% para 9,04%), café (em grão) (2,28% para 8,30%) e cana-de-açúcar (1,48% para 2,80%).Em sentido oposto, destacam-se: leite in natura (-5,52% para -8,78%), milho (em grão) (-1,80% para -3,92%) e bovinos (2,20% para 0,16%).
 
 
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,26%, em novembro, ante 0,17%, em outubro. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (-0,24% para 0,32%). Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento do item show musical, cuja taxa passou de -5,02% para 1,56%.
 
Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Alimentação (-0,22% para -0,07%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,35% para 0,63%), Transportes (0,51% para 0,53%) e Despesas Diversas (-0,14% para 0,14%). Nestas classes de despesa, os destaques foram: frutas (-4,36% para 0,87%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,40% para 0,71%), gasolina (0,47% para 1,11%) e cigarros (-0,97% para -0,14%), respectivamente.
 
Em contrapartida, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,38% para 0,26%), Vestuário (0,22% para 0,14%) e Comunicação (0,51% para 0,40%). Nestas classes de despesa, destacaram-se: gás de bujão (3,89% para 0,19%), calçados (1,04% para 0,01%) e pacotes de telefonia fixa e internet (0,68% para -0,16%), respectivamente.
 
O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em novembro, a mesma taxa do mês anterior, de 0,17%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de -0,05%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,03%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou taxa de 0,36%. No mês anterior, este grupo variou 0,30%.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 29/11/2016 08:48:06

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Receba novidades

Cadastre-se em nossa newsletter para receber novidades em seu email.

IGP-M recua em novembro


São Paulo, 29/11 (Enfoque) –

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou -0,03%, em novembro. Em outubro, o índice variou 0,16%. Em novembro de 2015, a variação foi de 1,52%. A variação acumulada em 2016, até novembro, é de 6,60%. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 7,12%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.
 
O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou taxa de variação de -0,16%. No mês anterior, a taxa foi de 0,15%. O índice relativo aos Bens Finais variou -0,82%, em novembro. Em outubro, este grupo de produtos mostrou variação de 0,07%. Contribuiu para este recuo o subgrupo alimentos processados, cuja taxa de variação passou de 1,58% para -0,08%. Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice de Bens Finais (ex) registrou variação de 0,17%. Em outubro, a taxa foi de 0,86%.
 
O índice referente ao grupo Bens Intermediários variou -0,43%. Em outubro, a taxa foi de 0,04%. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção,cuja taxa de variação passou de -0,49% para -3,82%. O índice de Bens Intermediários (ex), calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, variou 0,09%, ante 0,12%, em outubro.
 
No estágio inicial da produção, o índice do grupo Matérias-Primas Brutas variou 0,90%, em novembro. Em outubro, o índice registrou variação de 0,36%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: minério de ferro (2,16% para 9,04%), café (em grão) (2,28% para 8,30%) e cana-de-açúcar (1,48% para 2,80%).Em sentido oposto, destacam-se: leite in natura (-5,52% para -8,78%), milho (em grão) (-1,80% para -3,92%) e bovinos (2,20% para 0,16%).
 
 
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,26%, em novembro, ante 0,17%, em outubro. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (-0,24% para 0,32%). Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento do item show musical, cuja taxa passou de -5,02% para 1,56%.
 
Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Alimentação (-0,22% para -0,07%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,35% para 0,63%), Transportes (0,51% para 0,53%) e Despesas Diversas (-0,14% para 0,14%). Nestas classes de despesa, os destaques foram: frutas (-4,36% para 0,87%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,40% para 0,71%), gasolina (0,47% para 1,11%) e cigarros (-0,97% para -0,14%), respectivamente.
 
Em contrapartida, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,38% para 0,26%), Vestuário (0,22% para 0,14%) e Comunicação (0,51% para 0,40%). Nestas classes de despesa, destacaram-se: gás de bujão (3,89% para 0,19%), calçados (1,04% para 0,01%) e pacotes de telefonia fixa e internet (0,68% para -0,16%), respectivamente.
 
O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em novembro, a mesma taxa do mês anterior, de 0,17%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de -0,05%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,03%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou taxa de 0,36%. No mês anterior, este grupo variou 0,30%.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 29/11/2016 08:47:28

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Receba novidades

Cadastre-se em nossa newsletter para receber novidades em seu email.

IGP-M recua em novembro


São Paulo, 28/11 (Enfoque) –

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 0,29%, em novembro. Em outubro, o índice variou 0,86%. Em novembro de 2012, a variação foi de -0,03%. A variação acumulada em 2013, até novembro, é de 4,88%. Em 12 meses, o IGP-Mvariou 5,60%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou taxa de variação de 0,17%. No mês anterior, a taxa foi de 1,09%. O índice relativo aos Bens Finais variou 0,02%, em novembro. Em outubro, este grupo de produtos mostrou variação de 0,76%. Contribuiu para a desaceleração o subgrupo alimentos processados, cuja taxa de variação passou de 2,25% para 0,51%. Excluindo-se os subgruposalimentos in natura e combustíveis, o índice de Bens Finais (ex) registrou variação de 0,28%. Em outubro, a taxa foi de 1,22%.

O índice referente ao grupo Bens Intermediários variou -0,06%. Em outubro, a taxa foi de 0,70%. O subgrupo materiais e componentes para a manufatura registrou decréscimo em sua taxa de variação, que passou de 1,04% para 0,01%, sendo o principal responsável pela desaceleração do grupo. O índice de Bens Intermediários (ex), calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, variou -0,08%, ante 0,73%, em outubro.

No estágio inicial da produção, o índice de Matérias-Primas Brutas variou 0,60%, em novembro. Em outubro, o índice registrou variação de 1,95%. Os principais responsáveis pela desaceleração do grupo foram os itens: minério de ferro (6,81% para 2,06%), aves (3,27% para -6,16%) e bovinos(3,80% para 0,75%). Ao mesmo tempo, registraram-se acelerações em itens como: soja (em grão)(0,60% para 2,53%), milho (em grão) (-2,53% para 2,34%) e pedra britada (-1,96% para -0,03%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,65%, em novembro, ante 0,43%, em outubro. A principal contribuição para o acréscimo da taxa do índice partiu do grupo Alimentação(0,63% para 0,93%). Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento dos itens: hortaliças e legumes (-5,46% para 3,79%) e frutas (0,98% para 2,16%).

Também foram computados acréscimos nas taxas de variação de outras cinco classes de despesa:

Habitação (0,51% para 0,83%);
Transportes (-0,12% para 0,12%);
Despesas Diversas (0,15% para 0,89%);
Comunicação (0,40% para 0,88%); e
Saúde e Cuidados Pessoais (0,46% para 0,50%).

Em cada classe, as principais contribuições para estes movimentos foram: tarifa de eletricidade residencial (-0,10% para 2,34%), tarifa de ônibus urbano (-0,37% para 0,38%), cigarros (0,00% para 1,50%), tarifa de telefone móvel (0,72% para 1,32%) e medicamentos em geral (0,08% para 0,17%).

Em contrapartida, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos Educação, Leitura e Recreação (0,51% para 0,32%) e Vestuário (0,80% para 0,76%). Na primeira classe de despesa, destaca-se o item passagem aérea (12,34% para 5,28%), e na segunda, roupas femininas (1,03% para 0,75%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em novembro, variação de 0,27%, abaixo do resultado de outubro, de 0,33%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,29%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,68%. O índice que representa o custo daMão de Obra registrou variação de 0,25%, em novembro. No mês anterior, este índice não registrou variação.


(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Recebido em: 28/11/2013 08:02:37

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Receba novidades

Cadastre-se em nossa newsletter para receber novidades em seu email.

Posts relacionados

15 de outubro de 2018
Os cargos que podem ter maiores aumentos salariais em 2019

A instabilidade econômica fez com que os salários ficassem praticamente sem aumento nos últimos anos. A tendência é que no próximo diversos seto...

9 de outubro de 2018
Alimentação é o principal gasto do brasileiro, diz estudo

Você já parou para pensar quanto gasta com comida por mês? Com o que você mais gasta o seu salário? De acordo com uma pesquisa realizada pela emp...

4 de outubro de 2018
Como cuidar dos seus investimentos na reta final das eleições

O que fazer com seus investimentos na reta final das eleições? As expectativas e incertezas sobre o futuro do país interferem diretamente no cenár...

4 de outubro de 2018
Os carros que mais desvalorizam entre os mais vendidos

Você sabe quais são os carros que mais desvalorizam entre os mais vendidos? Caso a resposta seja não, você precisa conhecer o recente estudo da KB...

26 de setembro de 2018
Startup Flapper: o “uber dos jatinhos privados”

Você provavelmente já escutou falar sobre o “uber dos jatinhos privados”, mas sabe o que é e como funciona? A ideia da startup Flapper é ofer...

Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Quais são as moedas mais valorizadas do mundo?
Sabe quais são as moedas mais valorizadas do mundo? Você vai se surpreender! O Real é a terceira ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...







Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


     

Guias

Calculadoras