Inadimplência das empresas é a maior em dois anos para o mês de março, revela Serasa | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,2693
Bitcoin R$ 27.810,00
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,874
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Inadimplência das empresas é a maior em dois anos para o mês de março, revela Serasa

A inadimplência das pessoas jurídicas cresceu 18,08% em março, na relação ante igual mês do ano anterior, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. Foi a maior alta verificada em dois anos, considerando-se o mês de março. 
A inadimplência nos negócios também apresentou elevação nas variações mensal e acumulada. Na relação de março sobre fevereiro, o avanço foi de 11,06%. Na comparação entre os acumulados de janeiro a março de 2012 e igual período de 2011, por sua vez, o crescimento foi de 21,01%.
De acordo com os economistas da Serasa Experian, março teve maior número de dias úteis, em razão do Carnaval em fevereiro. Isso contribuiu para que muitas ocorrências de inadimplência de fevereiro fossem registradas em março, elevando o indicador. Além disso, o aumento da inadimplência do consumidor e o crédito para empresas ainda com juros elevados também pressionaram a inadimplência. Cabe lembrar que nesse mês, a indústria alimentícia estava produzindo chocolate para a Páscoa e parte do varejo estava formando estoque, ambas as atividades demandando maior volume de crédito.
Na relação anual, março 2012/2011, deve ser destacado que no ano passado o Carnaval caiu em março, definindo menor número de dias úteis na base de comparação. Portanto a evolução da inadimplência em março 2012 já era esperada.


Valor médio das dívidas
No primeiro trimestre do ano, as dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) tiveram um valor médio de R$ 783,40, o que representou um crescimento de 3,4% ante igual período de 2011.
As dívidas com bancos, por sua vez, tiveram nos três primeiros meses de 2012 um valor médio de R$ 5.273,76, resultando em 2,8% de alta na relação com o acumulado de janeiro a março do ano anterior.
Quanto aos títulos protestados, o valor médio verificado no primeiro trimestre foi de R$ 1.884,80, com elevação de 11,7% sobre igual acumulado de 2011.
Por fim, os cheques sem fundos tiveram, nos três primeiros meses de 2012, um valor médio de R$ 2.210,76, representando um aumento de 9,0%, quando comparado com o primeiro trimestre do ano anterior.
 

Fonte: Enfoque Informações Financeiras

Recebido em:
30/04/2012 09:10:57

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras







Mais lidos

Foi demitido? Saiba como obter o seguro desemprego
O seguro desemprego tem sido um recurso importante para os milhares de desempregados no Brasil. Os d...
Como começar a investir com R$3 mil?
Investir com pouco dinheiro é uma questão para muitas pessoas. Parece que para fazer uma aplicaç...
Restituição do Imposto de Renda 2018: veja cronograma
Em 2018, os milhares de contribuintes tiveram até 30 de abril para declarar o Imposto de Renda. Ago...
Cerca de 7 milhões de brasileiros têm FGTS atrasado
FGTS atrasado é uma realidade para cerca de 7 milhões de brasileiros. De acordo com a Procuradoria...
Brasileiros no Japão: emissão de vistos cresce 145%
Muitos brasileiros estão buscando novas oportunidades em outros países, e o motivo desse fluxo mig...
BC aumenta oferta do swap cambial e dólar fecha em queda
Após seis altas consecutivas, o dólar fechou em queda nos últimos dias esta semana. Para o alívi...




Publicidade