Inflação prevista pelos consumidores apresenta estabilidade em setembro | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,3018
Bitcoin R$ 28.650,00
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,908
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Inflação prevista pelos consumidores apresenta estabilidade em setembro


São Paulo, 26/09 (Enfoque) –

Em setembro, a expectativa mediana dos consumidores para a inflação nos próximos 12 meses manteve-se estável em 9,8%. Esta é primeira vez que o indicador fica dois meses consecutivos abaixo da marca dos 10% desde julho de 2015.
 

“Tanto as expectativas dos especialistas quanto dos consumidores iniciaram movimento de queda em março desse ano. Mas a desaceleração medida em pontos nesse período mostra um impacto relativo mais intenso entre especialistas que entre consumidores. A estabilidade desse mês confirma uma aparente resistência dos consumidores que pode estar atrelada a uma persistência da alta dos preços dos alimentos até o mês passado, embora existam sinais de acomodação ao longo de setembro.”, afirma a economista Viviane Seda Bittencourt, da FGV/IBRE.

Na comparação entre classes de renda, as respostas não foram homogêneas. Há expectativa de desaceleração da inflação tanto pelos consumidores com menor renda quanto entre os de maior poder aquisitivo. Para os consumidores com renda familiar acima de R$ 9.600, a inflação prevista vem se reduzindo há sete meses consecutivos. Entre os consumidores de menor poder aquisitivo, essa perspectiva vem se mantendo nos últimos três meses. Para os consumidores com renda entre R$ 2.100 e R$ 4.800, a tendência não é tão evidente e o indicador tem oscilado bastante; enquanto entre os que ganham entre R$ 4.800 e R$ 9.600, a expectativa tem se mantido em torno de 10%.

Considerando-se a distribuição de respostas, a proporção dos consumidores pesquisados que esperam inflação superior a 10% nos próximos 12 meses caiu de 34,7% para 34,3%. Houve aumento da proporção de consumidores prevendo inflação entre a meta (4,5%) e o limite superior de tolerância (6,5%), de 5,3% para 6,7%; e da proporção dos que preveem inflação entre 6,5% e 9,0%, 35,1% para 36,2%. 

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 26/09/2016 09:02:53







Mais lidos

Profissões do mercado financeiro que mais pagam
O mercado financeiro atrai cada vez mais profissionais de outras áreas. Com formação em cursos c...
7 filmes sobre Bitcoin que você deve assistir
Entender sobre criptomoedas, um dos investimentos da moda, é o que muita gente vem buscando. Afinal...
5 dicas para construir uma casa com pouco dinheiro
Quem nunca sonhou em construir uma casa do seu jeito? Muitas pessoas ficam idealizando como fazer a ...
Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco...
Road trip: dicas para planejar a sua viagem
Fazer uma road trip pelo Brasil pode ser uma boa com a alta do dólar e do euro. Esse tipo de viagem...
Como fazer cartão de crédito pela internet
As compras com cartões de crédito são cada vez maiores. A Abecs, associação das empresas de ca...




Publicidade