Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Investimento estrangeiro na economia em maio foi o melhor para o mês desde 1947

Escrito por: Redação em 22 de junho de 2010

O investimento estrangeiro direto, que vai para o setor produtivo da economia, de US$ 3,534 bilhões, em maio deste ano foi o melhor para o período na série histórica do Banco Central (BC) iniciada em 1947. O resultado superou a projeção do BC, que era de US$ 1,6 bilhão.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, havia a expectativa de um investimento da indústria química para junho, mas os recursos entraram no final de maio. Isso explica o fato de a estimativa para maio ter ficado tão distante do resultado.

Neste mês, a entrada desses investimentos não será tão forte. Em junho, até hoje (22), o investimento direto soma US$ 900 milhões e a expectativa para o mês todo é de US$ 1,5 bilhão. De janeiro a maio, o investimento estrangeiro direto somou US$ 11,414 bilhões.

A projeção do BC para o ano foi revisada de US$ 45 bilhões para US$ 38 bilhões. De acordo com Altamir Lopes, a redução deve-se à mudança na expectativa de crescimento mundial.

“Tínhamos uma expectativa bastante positiva quando projetamos as contas para 2010 e estamos revisando para baixo, por força de uma retomada menos intensa do que imaginávamos no final do ano passado para a economia mundial”.

Pelo mesmo motivo, também mudou a projeção para investimento brasileiro no exterior, de US$ 12 bilhões para US$ 15 bilhões.

No caso dos investimentos estrangeiros em ações negociadas no Brasil, o total ficou em US$ 5,224 bilhões, de janeiro a maio. A aplicação em títulos de renda fixa no país somou US$ 7,890 bilhões. Segundo dados do BC, esses resultados mostram retomada a patamares registrados em 2008, quando no período de janeiro a maio, houve ingresso de US$ 5,443 bilhões em ações negociadas no  país e de US$ 9,263 bilhões direcionadas para a renda fixa.

Nos dados preliminares neste mês, até hoje (22), o investimento estrangeiro em ações negociadas no país somou US$ 1,419 bilhão e em renda fixa ficou em US$ 1,064 bilhão.

O investimento estrangeiro direto e em carteira (ações e renda fixa) foi suficiente para cobrir o déficit em conta corrente de US$ 18,748 bilhões registrado de janeiro a maio deste ano.

“Temos fontes de financiamento bastante seguras como o investimento estrangeiro direto e em portfólio [ações e renda fixa] que vem se comportando de maneira bastante forte e com taxas de rolagem [de empréstimos] bastante elevadas dando sustentação ao resultado deficitário em transações correntes”.

Lopes acrescentou que o déficit em transações correntes é “puxado” pelas resultado negativo da conta de viagens internacionais (saldo de despesas de brasileiros no exterior e receitas de estrangeiros no Brasil), gastos com aluguel de equipamentos e com transportes.

“No que diz respeito a rendas, a piora deve-se a menores receitas relacionadas a juros. Com a redução das taxas de juros internacionais, as receitas relativas a aplicações das reservas [internacionais] e também de empréstimos do setor privado brasileiro ao exterior são remuneradas a taxa mais baixa e isso gera receitas mais baixas”, explicou.



Fonte:Enfoque Informações Financeiras Ltda.

Recebido em:
22/06/2010 14:28:07

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

economia da china
Reforma da previdência
Computador quântico
facebook
Desigualdade salarial entre homens e mulheres: mito ou verdade?