Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

IPC-S desacelera na segunda semana do mês

Escrito por: Redação em 18 de julho de 2016


São Paulo, 18/07 (Enfoque) –

O IPC-S de 15 de julho de 2016 apresentou variação de 0,41%1, 0,03 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada na última divulgação. 
 
Nesta apuração, quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (0,44% para 0,26%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 0,07% para -0,62%.
 
Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Transportes (-0,13% para -0,16%), Vestuário (0,10% para -0,07%) e Comunicação (0,10% para 0,09%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: tarifa de ônibus urbano (0,29% para -0,04%), acessórios do vestuário (1,04% para 0,37%) e tarifa de telefone móvel (0,29% para 0,19%), respectivamente.
 
Em contrapartida, os grupos: Alimentação (0,82% para 0,89%), Despesas Diversas (0,50% para 0,59%), Educação, Leitura e Recreação (0,72% para 0,76%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,51% para 0,54%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens: laticínios (7,02% para 8,00%), tarifa postal (3,10% para 5,58%), show musical (0,68% para 1,17%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (0,30% para 0,41%), respectivamente.
 

A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 22.07.2016, será divulgada no dia 25.07.2016.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 18/07/2016 08:14:15

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

IPC-S desacelera na segunda semana do mês

Escrito por: Redação em 16 de fevereiro de 2016


São Paulo, 16/02 (Enfoque) –

O IPC-S de 15 de fevereiro de 2016 apresentou variação de 1,42%, 0,38 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada na última divulgação.

 
Nesta apuração, sete das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Alimentação (2,45% para 1,94%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de 18,59% para 12,23%.
 
Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos:

Educação, Leitura e Recreação (4,23% para 2,57%);
Transportes (2,25% para 1,91%);
Habitação (1,11% para 0,97%);
Vestuário (0,40% para 0,08%);
Comunicação (0,69% para 0,57%); e
Despesas Diversas (1,60% para 1,51%).

Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: cursos formais (7,76% para 4,29%), tarifa de ônibus urbano (6,60% para 4,84%), tarifa de eletricidade residencial (1,71% para 0,27%), roupas (0,30% para -0,04%), pacotes de telefonia e internet (1,59% para 0,94%) e tarifa postal (1,83% para 0,00%), respectivamente.

 
Em contrapartida, apenas o grupo Saúde e Cuidados Pessoais (0,65% para 0,66%) apresentou acréscimo em sua taxa de variação. Nesta classe de despesa, a maior contribuição partiu do item artigos de higiene e cuidado pessoal, que passou de 0,08% para 0,44%.
 
A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 22.02.2016, será divulgada no dia 23.02.2016.

 

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 16/02/2016 08:09:31

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

fraude
Brasil e Chile
crise
Economia da América latina
Trabalhadores da indústria temem perder empregos para robôs