IPCA-15 de fevereiro fica em 0,97%, diz IBGE | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,2693
Bitcoin R$ 28.598,99
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,874
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


IPCA-15 de fevereiro fica em 0,97%, diz IBGE

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) teve variação de 0,97% em fevereiro, resultado superior ao de janeiro (0,76%). Considerando os últimos doze meses, situou-se em 6,08%, muito próximo aos doze meses anteriores (6,04%). Em fevereiro de 2010, a taxa havia ficado em 0,94%.

 

O grupo Educação, com alta de 5,88%, apresentou a maior variação e maior contribuição de grupo (0,41 ponto percentual, que representa 43% do índice do mês). Esse resultado reflete os reajustes verificados no início do ano letivo, com destaque para os aumentos nas mensalidades dos cursos de ensino formal, que subiram 6,41 % e constituíram-se no item de maior contribuição individual do mês (0,31 ponto percentual). À exceção de Fortaleza, região metropolitana que não apresentou aumento em virtude da diferença da data de reajuste, as demais regiões situaram-se entre os 4,54% da região metropolitana de Porto Alegre e os 8,38% de Salvador. Nas mensalidades dos cursos diversos (idioma, informática etc.) a variação foi de 8,22%.

 

Ainda de janeiro para fevereiro, a aceleração do IPCA-15 também pode ser explicada pelos aumentos ocorridos nos Transportes (de 0,89% em janeiro para 1,04% em fevereiro). Isso se deve principalmente aos reajustes ocorridos nas tarifas dos ônibus urbanos, cuja alta de 3,37% levou à contribuição de 0,13 ponto percentual, individualmente a segunda maior do mês. Foram registradas variações nas tarifas dos ônibus urbanos das seguintes regiões metropolitanas: São Paulo (7,53%), Recife (6,29%), Salvador (5,04%), Belo Horizonte (2,94%) e Porto Alegre (1,22%). Além disso, entre outros aumentos, destacaram-se as tarifas dos ônibus intermunicipais (1,28%) e interestaduais (3,34%).

 

O grupo Despesas Pessoais (de 0,74% em janeiro para 1,17% em fevereiro) continuou sob influência dos empregados domésticos (0,91%), acrescentando-se os itens jogos de azar (6,37%) e cigarros (1,61%). Com isto, os produtos não alimentícios passaram de 0,62% de janeiro para 1,09% no mês de fevereiro.

 

Já os alimentos mostraram forte redução no ritmo de crescimento de preços, de 1,21% em janeiro para 0,57% em fevereiro. As carnes, com variação de -1,87%, ficaram -0,05 ponto percentual de contribuição, a mais intensa para baixo. Outros alimentos também ficaram mais baratos de um mês para o outro, com destaque para o feijão carioca (-11,66%), batata-inglesa (-9,15%), feijão preto (-4,43%), arroz (-1,38%) e frango (-1,17%).

 

Além dos alimentos, os grupos Habitação (de 0,60% em janeiro para 0,28% em fevereiro), Vestuário (de 0,83% para 0,13%) e Artigos de Residência (de 0,58% para -0,13%) também apresentaram redução nas taxas de um mês para o outro.

 

Dentre os índices regionais, o maior foi registrado em São Paulo (1,23%), em razão, principalmente, da alta nas tarifas dos ônibus urbanos (7,53%). O menor foi o índice de Fortaleza (0,39%).



Fonte: Enfoque Informações Financeiras

Recebido em:
22/02/2011 09:02:35

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras







Mais lidos

Foi demitido? Saiba como obter o seguro desemprego
O seguro desemprego tem sido um recurso importante para os milhares de desempregados no Brasil. Os d...
Como começar a investir com R$3 mil?
Investir com pouco dinheiro é uma questão para muitas pessoas. Parece que para fazer uma aplicaç...
Restituição do Imposto de Renda 2018: veja cronograma
Em 2018, os milhares de contribuintes tiveram até 30 de abril para declarar o Imposto de Renda. Ago...
Cerca de 7 milhões de brasileiros têm FGTS atrasado
FGTS atrasado é uma realidade para cerca de 7 milhões de brasileiros. De acordo com a Procuradoria...
Brasileiros no Japão: emissão de vistos cresce 145%
Muitos brasileiros estão buscando novas oportunidades em outros países, e o motivo desse fluxo mig...
BC aumenta oferta do swap cambial e dólar fecha em queda
Após seis altas consecutivas, o dólar fechou em queda nos últimos dias esta semana. Para o alívi...




Publicidade