Início Notícias Investimentos IPO na Bolsa de Valores: o que é e como funciona?

IPO na Bolsa de Valores: o que é e como funciona?

0
Tempo de leitura: 4 minutos
0
(0)

Você já deve ter escutado que alguma empresa abriu IPO na Bolsa de Valores. Mas o que isso significa?

O IPO consiste na abertura de capital de uma empresa. Assim, ela passa a ofertar as suas ações na Bolsa de Valores. A sigla vem do inglês: Initial Public Offering, que quer dizer Oferta Pública Inicial.

A partir dessa oferta de papéis, o capital dos investidores entra na companhia para o custeio de atividades, como desenvolvimento de novos produtos ou serviços.

Isso pode ajudar na evolução de empresas e oferecer ao mercado mais uma opção de se tornar sócio de um negócio. Em geral, existem duas formas de ofertar cotas de uma empresa no mercado:

1 – Primária: Aqui, a distribuição de novas ações é feita pela própria empresa, diretamente ao público e os valores arrecadados são destinados ao caixa da companhia.

2 – Secundária: Não há a distribuição de novas ações nessa categoria, apenas a comercialização de ações já existentes. Por conta disso, os valores arrecadados, ao invés de serem remetidos à empresa, são destinados aos vendedores dos papéis.

Portanto, o IPO nada mais é do que uma oferta pública primária.

Como funciona o IPO?

Com a Oferta Pública Inicial (IPO), as ações de uma empresa tornam-se públicas e transacionáveis no mercado de ações. Nesta operação, investidores privados têm a oportunidade de se tornarem sócios de uma empresa que antes era de poucos sócios ou proprietários.

Para realizar a abertura de capital a empresa passa por um processo longo até que possa enfim disponibilizar suas ações para acionistas potenciais.

Neste período, a companhia deve montar uma equipe que serve apenas para a estratégia, além de contratar os serviços de um banco de investimentos para disponibilizar as ações.

Ainda antes de iniciar a oferta pública, a companhia deve:

1 – Cadastrar-se como uma companhia de capital aberto na Comissão de Valores Mobiliários (CVM);
2 – Registrar a oferta pública de valores mobiliários, na qual a empresa poderá disponibilizar suas ações no mercado, também pela CVM;
3 – Registrar e emitir as ações através da Bolsa de valores. No Brasil, acontece através da B3, a Bolsa de Valores de São Paulo.

Por que as empresas fazem a Oferta Pública Inicial?

Quando uma companhia lista ações na Bolsa de valores pela primeira vez e, portanto, abre seu capital, ela tem uma série de vantagens.

Talvez a maior delas seja o fato de que o valor que um a pessoa investiu em uma ação vai para o caixa da empresa.

No Brasil, a Oferta Pública Inicial (IPO) acontece através da B3, a Bolsa de Valores

Desse modo, a estratégia é a escolhida por muitas organizações que buscam captação de recursos para projetos de expansão e de investimentos. Além disso, um IPO é um sinal de que a companhia está crescendo de forma bem-sucedida e tem ambições de crescer ainda mais.

A transparência e a melhora na governança corporativa também fazem com que a organização tenha ainda mais credibilidade e consiga atrair mais investidores. E até mesmo profissionais mais gabaritados para comporem cargos altos na companhia.

Isso porque, para empresas, o IPO também funciona como uma forma de mostrar que sua gestão está profissionalizada.

Como toda organização listada na Bolsa deve prestar informações ao mercado, pode-se dizer que a oferta pública de ações aumenta a transparência da companhia. Melhorando sua relação com clientes, fornecedores, parceiros e investidores.

O IPO é, portanto, uma maneira de fortalecer a imagem da empresa. Afinal, após esse passo importante, além de todos os aspectos já apontados, a companhia passa a ser mencionada na mídia, a ser acompanhada por analistas e, dessa maneira, ganha mais visibilidade.

Como participar do IPO na Bolsa de Valores?

Para participar de um IPO, o investidor deve ter uma conta aberta em uma corretora de investimentos. Você também precisa conhecer a companhia antes de investir.

Para isso, a leitura do prospecto deve ser minuciosa. É importante avaliar os planos que a empresa tem com relação ao destino do dinheiro captado pelo IPO e seus fundamentos. Uma vez que a empresa tenha sido escolhida, o investidor precisa reservar as ações junto à sua corretora.

Nesta etapa, deve ser informado o volume financeiro desejado, de acordo com a faixa de preço estabelecida para cada papel. Para a efetuação da reserva, é possível que seja necessário ter parte do valor dos papéis disponível em conta.

Após ser avaliado o preço inicial das ações e a demanda, ocorre a precificação final dos papéis. O valor definido nesta etapa será aquele que valerá para quem fez a reserva.

Importante destacar que, caso haja uma demanda menor à oferta de ações, o IPO pode não acontecer. E, caso haja uma demanda maior às ofertas, pode haver rateio entre investidores interessados nas ações da companhia.

Por fim, depois de realizado o IPO, você pode escolher manter ou se desfazer dos papéis. Lembre-se apenas que, neste caso, a negociação das ações passa a ocorrer no mercado secundário, entre investidores.

Ficou interessado? Veja podcasts sobre como investir na Bolsa de Valores!

O que achou disso?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui