Juros futuros ficam perto da estabilidade à espera de nova meta fiscal | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Juros futuros ficam perto da estabilidade à espera de nova meta fiscal

SÃO PAULO  –  Os juros futuros ficaram entre estabilidade e leve baixa nesta terça-feira, com investidores evitando novas compras de taxa em meio a expectativas de que o déficit primário fique abaixo do patamar de R$ 170 bilhões temido pelo mercado.

Nesta manhã, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que não vê no horizonte números de R$ 165 bilhões, R$ 170 bilhões. Por volta de meio-dia, o líder do PP na Câmara dos Deputados, deputado Arthur Lira (AL), disse que a proposta apresentada por Meirelles em reunião nesta terça com deputados na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi de déficit primário de R$ 159 bilhões para 2017. Isso representa R$ 20 bilhões a mais que o alvo atual, de R$ 139 bilhões.

No mercado, R$ 159 bilhões é um número que já circulava. O valor fica um pouco acima do rombo de R$ 154,3 bilhões registrado em 2016. Além do número mais alto, a preocupação de investidores com um déficit mais próximo de R$ 170 bilhões está ligada à ideia de que o governo estaria cedendo a pressões da ala política para afrouxar as contas públicas em detrimento da posição da área econômica, liderada por Meirelles.

O debate fiscal se intensifica às vésperas de a S&P anunciar sua avaliação sobre o “rating” soberano brasileiro. Há discussão no mercado sobre as chances de rebaixamento, mas, de forma geral, a perspectiva é que o anúncio das novas metas seja acompanhado de sinalizações de que a condução da política fiscal segue orientada no sentido de reequilibrar as contas públicos no médio e longo prazos.

O CDS de cinco anos do Brasil é um preço de mercado que reflete essa percepção. O spread cai hoje a 200 pontos-base, 4 pontos abaixo da taxa de ontem e apenas 7 pontos acima da mínima em dois anos e meio atingida na semana passada.

Ao fim do pregão regular, às 16h, o DI janeiro/2018 caía a 8,145% (8,155% no ajuste anterior). O DI janeiro/2019 operava estável a 8,060%. O DI janeiro/2021 tinha taxa de 9,380% (9,390% no ajuste de ontem). O DI janeiro/2023 indicava 9,980% (9,990% no ajuste anterior).

Ainda pela manhã, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, reiterou a importância do ajuste fiscal para permitir taxas estruturais de juros mais baixas no longo prazo. Ilan repetiu que o BC considera manter o ritmo de corte da Selic e que empregos e salários já dão sinais de recuperação.

Fonte: Valor Econômico







Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...
Os jogadores mais bem pagos do mundo em 2018
Quem são os jogadores mais bem pagos do mundo? Muito provavelmente você vai responder Cristiano Ro ...




Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


 

Guias

Calculadoras