Lucro do Banci do Brasil cai 44,2% em 2016 | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,281
Euro R$ 3,857
Bitcoin R$ 51.998,01
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,403
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Lucro do Banci do Brasil cai 44,2% em 2016


São Paulo, 16/02 (Enfoque) –

O Banco do Brasil (BB) obteve lucro líquido de R$ 8,034 bilhões em 2016, valor 44,2% abaixo do resultado de 2015. Na comparação com o resultado do quarto trimestre do ano passado, houve retração de 61,6%, passando de R$ 2,246 bilhões para R$ 963 milhões. O Lucro Líquido Ajustado foi de R$ 7,2 bilhões, valor 38,2% inferior a 2015.

O lucro por ação atingiu R$ 2,84 em 2016, ante R$ 5,05 no ano anterior, e a projeção, segundo analistas externos da instituição, é atingir neste ano R$ 4,03. A remuneração aos acionistas alcançou R$ 284,7 milhões no quarto trimestre e R$ 2,4 bilhões no acumulado anual. A Margem Financeira Bruta cresceu 13,0% (R$ 59,3 bilhões) e as Rendas de Tarifas, 6,8%.

A instituição destaca que as despesas administrativas cresceram 3,5% em 12 meses, o menor nível em dez anos e abaixo dos indicadores de inflação para o período. Em relação ao índice de Eficiência, que mostra a relação entre as despesas administrativas e as receitas operacionais, a taxa ficou em 39,7%, ante 41,6% no ano de 2015, “mostrando rígido controle das despesas”, diz comunicado do BB.

Agronegócio

As operações de financiamento do agronegócio fecharam o ano com saldo de R$ 179,8 bilhões na carteira ampliada. Levando em consideração os desembolsos antecipados nas linhas de custeio no primeiro semestre, as contratações da atual safra somaram R$ 47,1 bilhões. Entre os maiores avanços estão o crédito rural (8,6%), que atingiu R$ 150,5 bilhões, e as operações de custeio.

Pessoas físicas

O crédito para pessoas físicas teve saldo de R$ 172,3 bilhões, com alta de 3,3%. Foram mantidas as estratégias de baixo risco, com as linhas de Crédito Consignado, CDC Salário, Financiamento de Veículos e Imobiliário, que alcançam 75,5% do total da carteira.

Imóveis

O financiamento para a compra de imóveis atingiu saldo de R$ 53,7 bilhões no encerramento do ano, com avanço de 9,5% em 12 meses, sendo R$ 42,1 bilhões destinados a pessoas físicas e R$ 11,7 bilhões a empresas.

Inadimplência

O índice de inadimplência atingiu 3,29%, abaixo do registrado no mercado (3,7%).

As transações financeiras relativas aos cartões de crédito e débito somaram R$ 271 bilhões no ano, com alta de 5,5% sobre o ano anterior. As movimentações referentes a compras em estabelecimentos comerciais do varejo aumentaram 8,1% e no agronegócio, 26,3%.

O BB informa que as novas ferramentas de acesso aos clientes para escolher a melhor solução na renegociação de créditos aumentou a flexibilidade de negócios. Desde o lançamento da função no mobile, foram feitas, por meio do aplicativo, 34.123 contratações, com valor total de R$ 244,8 milhões.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 16/02/2017 09:54:53







Mais lidos

Alugar ou comprar imóvel 2018?
Esse é um momento de alugar ou comprar imóvel? Na dúvida, algumas questões devem ser avaliadas. ...
Investimento além da poupança: formas de aplicar seu dinheiro
A poupança viu uma melhora de cenário em novembro de 2017. Quando em outubro houve retirada líqui...
Como viajar usando milhas? Entenda como funciona
Os programas de milhas são programas de relacionamento das companhias aéreas, em que a cada viagem...
15 negócios em alta para você já pensar em 2018
Ser seu próprio chefe é o sonho de muitos brasileiros. Já pensou nisso? Preparamos uma lista com ...
Cartão de crédito gratuito: é possível ter um?
Como ter um cartão de crédito gratuito? Calma, que é possível. As instituições financeiras e b...
Melhores investimentos em 2018
“Ano novo, vida nova.” Frase clássica de fim de ano. Mas, enquanto a maioria das pessoas faz pl...




Publicidade