Mantega: resultado do PIB mostra que país teve uma das melhores recuperações no mundo | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,3630
Bitcoin R$ 31.410,00
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,975
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Mantega: resultado do PIB mostra que país teve uma das melhores recuperações no mundo

(Ag. Brasil) – O resultado do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de bens e serviços produzidos no país – no primeiro trimestre deste ano tem como base de comparação um ano fraco e de crise como foi 2009.

A avaliação é do ministro da Fazenda, Guido Mantega, em nota divulgada hoje pela assessoria de imprensa. Segundo o ministro, que está em Frankfurt, na Alemanha, a trajetória é de um crescimento moderado. Ele afirmou que a economia do país caminha para um crescimento sustentável.

Mantega lembrou, por exemplo, que a indústria teve um crescimento negativo em 2009 e agora, em 2010, a economia brasileira deve ter crescimento de 6% a 6,5%
.
“Fiquei muito satisfeito com o resultado. Foi mais do que eu esperava. Eu esperava 2,5%. Ele mostra que a economia brasileira teve uma das melhores recuperações do mundo”, diz o ministro na nota.
O ministro lembra que o resultado faz parte de um conjunto de medidas de políticas monetária e fiscal que ele considera bem sucedidas. Para o ministro, na comparação internacional, apenas a China teve um crescimento dessa magnitude e o resultado do PIB brasileiro mostra o vigor e o dinamismo da economia brasileira.

“Temos que destacar a qualidade do crescimento, principalmente pelo crescimento da indústria (4,2%) e da Formação Bruta de Capital Fixo (7,4%) na comparação com o quarto trimestre de 2009. O investimento está crescendo 18% em relação ao primeiro trimestre de 2009”.

Mantega destaca que o primeiro trimestre de 2010 foi o auge da retomada do crescimento e todos os estímulos estavam em vigor, como as desonerações do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), a redução do compulsório dos bancos e a taxa de juros, que estava em seu menor patamar.

“Ainda tivemos os estímulos dos gastos do governo. Eu também destacaria o aumento do consumo das famílias (1,5% em relação ao quarto trimestre do ano passado).”

Para o segundo trimestre, a análise do ministro é que já há dados de desaquecimento. Ele destaca porém que no ano o crescimento será alto. Isso porque quase todos os impostos que foram zerados ou reduzidos durante a crise voltaram a seus patamares anteriores, provocando queda na demanda. Além disso, ajudarão a volta do compulsório, a taxa de juros e o corte de R$10 bilhões nos gastos do governo.
“Outro fator que ajudará no desaquecimento é a crise europeia, que diminui a disponibilidade de crédito para a economia brasileira e dificulta a rolagem da dívida das empresas”.



Fonte: Enfoque Informações
Financeiras
Ltda.


Recebido em:
08/06/2010 14:28:39

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras







Mais lidos

Como fazer cartão de crédito pela internet
As compras com cartões de crédito são cada vez maiores. A Abecs, associação das empresas de ca...
Como escolher o seguro de vida mais adequado para você
Você já pensou o quanto um seguro de vida pode ser útil nos dias de hoje? Quando as pessoas busca...
7 livros sobre Bitcoin, Blockchain e Criptomoedas
Algumas pessoas aprendem mais lendo, outras vendo vídeos ou até mesmo escutando música. Cada um t...
FGTS inativo: quem tem direito e como sacar
Todo trabalhador brasileiro com contrato formal, regido pela Consolidação das Leis do Trabalho, a ...
Férias de julho no Brasil: para onde ir?
O meio do ano está chegando e é hora de decidir onde passar as férias em família. Mesmo com algu...
Como limpar seu nome no SPC e Serasa
Seu nome está no SPC e Serasa? Muitos brasileiros estão nessa situação. Em fevereiro, 61,7 milh...




Publicidade