Mercados fecham em queda em semana marcada pela volatilidade | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$4,03
Euro R$4,67
Libra R$5,20
Peso R$0,13
Bitcoin R$25.977,73
Ethereum R$1.123,58
Litecoin R$224,14
Ripple R$1,33
Bovespa 81.533,08
CDI 2,64% a.a
Selic 6,40% a.a
Poupança 0,50% a.a
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Mercados fecham em queda em semana marcada pela volatilidade

A semana foi marcada pela volatilidade nos mercados acionários do mundo. Nos Estados Unidos, apesar de toda a oscilação, o período registrou perdas modestas, que foram confirmadas apenas na sexta-feira. No caso do Brasil, as ações tiveram bastante variação, com o principal, o Ibovespa, fechando com queda relevante.

Apesar de alguns dias movimentados, a agenda econômica na semana foi bastante tranqüila nos EUA. Os principais destaques ficaram para índices regionais de atividade e também para a ata da reunião do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve.

No Brasil, mais uma vez o cenário interno afeta os mercados. A grande preocupação dos investidores é com a inflação e a forma que o governo encontrará para conter o aumento dos preços. Com esta insegurança, a saída é para investimentos com menos riscos.

Mercado Externo

A semana começou com uma agenda cheia de indicadores de destaque. Entre eles, a atividade manufatureira da região de Nova York, que cresceu em maio em ritmo mais lento do que em abril, de acordo com o Índice Empire State Manufacturing divulgado pelo Fed de NY.

 
Além disso, os investidores estrangeiros fizeram compras líquidas de US$ 24 bilhões em ativos de longo prazo dos EUA em março, ficando abaixo dos US$ 27,2 bilhões do mês anterior. Já o índice que mede a confiança do setor imobiliário ficou estável em maio, em 16 pontos. O resultado animou investidores, que pressionaram para cima as cotações.

No dia seguinte, foi a vez de mais um indicador do mercado imobiliário. Na terça-feira, foi divulgado que o número de casas iniciadas em abril caiu em 10,6%, para uma taxa anual de 523 mil. Ao mesmo tempo, as permissões para construção de novos imóveis recuaram 4%. Para 551 mil. Os dados são do Departamento de Comércio do país.

Já a produção industrial ficou estável em abril, resultado abaixo do esperado pelo mercado, que era de alta de 0,4%. De acordo com informações do Federal Reserve, as produções de março e fevereiro também foram revisadas para baixo.

Na quarta-feira, com uma agenda mais vazia, o Fed divulgou a ata da última reunião do Fomc. O documento mostrou que os delegados do banco central estão divididos sobre o momento para apertar a política monetária do país. . Alguns deles indicaram que a mudança poderia acontecer antes do esperado.

O dia seguinte, quinta-feira, foi o mais movimentado da semana. Logo cedo, o Departamento de Trabalho informou que os novos pedidos de auxílio-desemprego recuaram para 409 mil na semana, abaixo dos 425 mil esperados pelo mercado.


Outro destaque, As vendas de casas existentes recuaram em abril 0,8%, para total de 5,05 milhões de unidades, informou a Associação dos Corretores de Imóveis dos EUA. O resultado veio abaixo do esperado, de alta do indicador para 5,2 milhões.

Além disso, o índice que mede a atividade econômica na região da Filadélfia apresentou em maio uma forte queda para 3,9 pontos, contra 18,5 registrados em maio. O mercado estimava um aumento para 23 pontos.

Em meio a tanta volatilidade, os mercados acionários americanos acumularam leves perdas. No caso do Dow Jones, a queda semanal foi de 0,7% aos 12.512,0 pontos. Já o S&P 500 perdeu 0,3% aos 1.333,27 pontos em cinco dias. Confira os gráficos:

Mercado Interno


Como de costume, o mercado local ficou atento à divulgação dos índices de inflação no Brasil. A semana começou com o IPC-S de 15 de maio, que apresentou variação de 1,09%, 0,04 ponto percentual (p.p.) acima da taxa registrada na última divulgação. Já o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,55%, em maio. A taxa apurada em abril foi de 0,56%. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Na terça, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) divulgou nesta terça-feira que os preços dos alimentos e dos transportes perderam força na segunda leitura prévia deste mês do seu Índice de Preços ao Consumidor (IPC). Com isso, a variação do índice foi de 0,56%, menor valor desde o começo de abril.

Já o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 0,66%, no segundo decêndio do mês de maio. No mês anterior, para o mesmo período de coleta, a variação foi de 0,55%. O segundo decêndio do IGP-M compreende o intervalo entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) apresentou variação de 0,70% no mês de maio, um pouco abaixo do resultado de 0,77% de abril. No acumulado do ano, a variação situou-se em 3,86 %, acima dos 3,16% referentes a igual período do ano anterior. Considerando os últimos 12 meses, o índice ficou em 6,51%, pouco maior que os 12 meses anteriores (6,44%). Em maio de 2010 a taxa havia ficado em 0,63%

Com isso, o Ibovespa acumulou na semana queda de 1,0% aos 62.597 pontos. Confira o gráfico de longo prazo, as maiores altas, baixas e as ações mais negociadas da semana:


Maiores Altas

Ativo

Código

Último

Variação

BRASKEM

BRKM5

23,74

5,75%

TIM PART S/A

TCSL4

7,61

5,55%

TELEMAR

TNLP4

26,81

5,01%

BRADESPAR

BRAP4

38,67

4,80%

TELEMAR N L

TMAR5

55,40

3,92%


Maiores Baixas

Ativo

Código

Último

Variação

ROSSI RESID

RSID3

13,24

-9,32%

JBS

JBSS3

5,15

-8,69%

BROOKFIELD

BISA3

7,80

-8,24%

ECODIESEL

ECOD3

0,68

-8,11%

PORTX

PRTX3

3,14

-6,82%


Mais Negociadas

Ativo

Código

Último

Volume

Segmento

VALE

VALE5

R$ 43,75

2.472.166.560,00

Minerais Metálicos

PETROBRAS

PETR4

R$ 23,99

2.094.862.688,00

Exploração e/ou Refino

OGX PETROLEO

OGXP3

R$ 14,55

1.800.708.640,00

Exploração e/ou Refino

ITAUUNIBANCO

ITUB4

R$ 34,55

748.105.360,00

Bancos

BRADESCO

BBDC4

R$ 29,85

616.365.472,00

Bancos


Mercado Cambial

O dólar comercial teve uma semana de importante desvalorização, mesmo em um cenário pouco favorável para o mercado acionário. O período foi marcado também pela redução do ritmo de atuação do Banco Central para a compra de dólares no mercado à vista de câmbio. Com isso, a moeda perdeu 1,1% em cinco dias e fechou a semana a R$ 1,6150. Confira o gráfico:




Fonte: Enfoque Informações Financeiras

Recebido em:
20/05/2011 17:16:31

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando na metade e as empresas não param de crescer. Esse é o resultado da pesquisa ...
Os jogadores mais bem pagos do mundo em 2018
Quem são os jogadores mais bem pagos do mundo? Muito provavelmente você vai responder Cristiano Ro ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...




Publicidade