Investimento em ouro vale a pena? Saiba aqui

Investimento em ouro vale a pena? Saiba aqui

Um das maiores vantagens do investimento em ouro está na sua é sua aceitação no mercado internacional. O metal também é tem capacidade de reserva durável. Segundo a BM&FBovespa, a procura por essa mercadoria é maior em momentos de crise econômica. O ouro está na categoria de commodities minerais da bolsa. Como é negociado na bolsa, seu preço é definido em nível global.

No Brasil, o ouro é negociado em gramas e não onça troy, como em outras bolsas do mundo. Além do valor em real ser associado ao peso do minério, sua cotação no país reflete as expectativas do mercado internacional atreladas ao mercado interno e a variação do dólar.

barras de ouro O padrão de negociação em bolsa, pela BM&FBovespa, é do ouro lingote em 250g. O Banco do Brasil trabalha com o mercado de balcão, em que a instituição negocia diretamente com o investidor, dispensando a intermediação de uma corretora. Nesse caso, o banco trabalha em dois formatos: o ouro lingote em barras de 250 gramas, mesmo padrão da BM&FBovespa, e o ouro escritural, podendo investir em quantidades múltiplas de 25g.

Em um artigo do então diretor de Mercado de Capitais e Infraestrutura no Banco do Brasil, Sandro Marcondes – hoje o cargo é ocupado por Fernando Florêncio Campos -, publicado em 2016, ele explica que alguns dos fatores que afetam a cotação do ouro incluem:

– Política monetária dos países;
– Oferta e demanda de investidores individuais nas bolsas;
– Fluxos de importação e exportação do ouro;
– Períodos de sazonalidade durante o ano.

Investimento em ouro no BB

As negociações na BM&FBovespa precisam acontecer através de uma corretora listada na Bolsa. No Banco do Brasil, basta ser correntista. O BB é a principal instituição detentora de ouro no Brasil, possuindo quase um terço do volume negociado – R$ 93 milhões em 2.306 contratos. Em 2015, o banco teve crescimento de 66% na negociação do metal. Nesse mesmo ano, o ouro perdeu apenas para o dólar em acúmulo de ganhos.

No mercado de investimento em ouro, o Banco do Brasil está nas duas modalidades citadas acima: 250g em barras lingote ou múltiplos de 25g, no escritural. Essa segunda modalidade é destinada a quem busca se posicionar nesse ativo e acompanhar a variação de cotação sem precisar retirar fisicamente o metal, de acordo com o BB.

Entre as duas modalidades, a escritural corresponde a 74% de operações. Segundo o banco, esse volume reflete a entrada de pequenos investidores, já que o valor de aplicação corresponde a 10% das negociações com ouro lingote. Lembrando que no escritural, você pode investir a partir de 25g contra 250g do lingote.

O banco aponta como vantagens:
– Possibilidade de investir diretamente, sem a necessidade de uma corretora para intermediar;
– O banco mantém a custódia, ou seja, guarda e protege o ouro destinado aos clientes;
– No Lingote o custo é de 0,20% e no Escritural, 0,15%, sobre o montante custodiado, cobrados mensalmente.

Investimento em ouro na BM&FBovespa

Para o investimento em ouro na bolsa, é preciso ter uma corretora autorizada. Diferentemente do Banco do Brasil, o investidor não participa diretamente das negociações. Existem as opções de Contrato Futuro de Ouro, Contrato Opção sobre Disponível de Ouro, Contrato Termo de Ouro e Contrato Ouro a Vista.

Contrato Futuro de Ouro:
É uma modalidade desenvolvida para ser uma ferramenta para a gestão do risco de oscilação de preço. O Contrato Futuro de Ouro negocia ouro fino nos lotes padrão de 250g, e o valor é em reais por cada grama.

As vantagens do Futuro de Ouro, apresentadas pela BM&F, incluem:
– Reserva de valor durável, um poder de compra que se mantém ao longo do tempo;
– Liquidez internacional, ou seja, é um ativo facilmente negociado em todos os países;
– Aceito como garantia, com menor grau de desvalorização, para negociação de outros ativos;
– Alternativa de investimento durante a crise.

Contrato Opção sobre Disponível de Ouro
No Contrato de Opção, é possível comprar e vender ouro. Em outubro deste ano, de acordo com o que foi divulgado pela Bovespa, a participação por tipo de investidor teve 50% de investidores institucionais e 50% pessoas físicas.

Vantagens, apresentadas pela BM&F:
– Protege contra a oscilação dos preços (hedge);
– Dispensa depósito de margem de garantia para posições titulares;
– Após o pagamento do prêmio, não gera fluxo de caixa referente a ajustes diários para as partes.

Contrato Termo de Ouro
No Contrato Termo de Ouro, os prazos de vencimento acontecem em cinco dias corridos e seus múltiplos, até 30 dias; e múltiplos de 30 dias corridos, até 180 dias.

Contrato Ouro a Vista
No Contrato Ouro a Vista, há outras opções de negociação além do lote padrão de 250g. O ouro fino pode participar em lotes fracionários de 10g e lotes fracionários de 0,225g, com teor de pureza de 999,0 partes de ouro fino para cada 1.000 partes de metal.

Melhores investimentos 2018







O que é criptomoeda, para que serve e como investir

O que é criptomoeda, para que serve e como investir

Se você acompanha o mercado financeiro, já deve ter notado a ascensão da criptomoeda. Mas você sabe o que realmente é isso e como é possível tirar proveito desse novo recurso monetário?

Antes de mais nada, você precisa entender o que é criptomoeda. E, acredite, ela vai muito além de somente uma moeda digital.

Da mesma forma que a moeda física possui números de série, marca d´água e outros dispositivos de segurança, a criptomoeda utiliza criptografia, ou seja, códigos difíceis de quebrar, para garantir transações muito mais seguras.

criptomoeda bitcoin
O bitcoin é hoje a criptomoeda mais popular do mundo

A criptomoeda é um código virtual que pode ser convertido em valores reais. Sua negociação se dá pela internet, sem burocracias, sem intermediários, caracterizada pela ausência de um sistema monetário regulamentado e da submissão a uma autoridade financeira (por exemplo, o Banco Central do Brasil).

Como funciona a criptomoeda

A cotação, compra e venda acontece anonimamente pela internet. A moeda digital é armazenada em uma carteira e administrada em um computador pessoal ou dispositivo móvel.

A inovação tecnológica por trás da criptomoeda é conhecida como blockchain ou “protocolo da confiança”. Consiste em bases de registros e dados compartilhados, tendo como principal medida de segurança a descentralização.

No blockchain, cria-se um índice global para todas as transações dentro do mesmo mercado. É uma espécie de livro-razão, totalmente público e compartilhado. A ausência da mediação de terceiros cria o senso de confiança na comunicação direta entre as partes da transação.

A moeda virtual já é uma realidade de investimento de grandes players como a Microsoft e a IBM, além de governos como os Emirados Árabes, Estônia e Singapura. Muitos julgam a criptomoeda como uma onda passageira, mas, ao contrário, os dados tem mostrado que ela pode ter chegado para ficar.

Quer um exemplo? O bitcoin, criptomoeda mais popular do mundo, tem batido recordes de cotação. A última marca histórica foi registrada no dia 27 de novembro: US$ 9.771!

Criptomoeda, moeda virtual e moeda digital

Essencialmente, esses três termos têm o mesmo significado. O primeiro refere-se à criptografia, enquanto as expressões “digital” e “virtual” remetem ao caráter intangível e abstrato do dinheiro online.

Para que serve a criptomoeda

A lógica da moeda digital é a mesma do dinheiro em espécie. Sua função é, basicamente, permitir transações de compra e venda de bens e serviços. Grandes empresas, como WordPress, DELL e Soundcloud, já aceitam pagamento com criptomoeda.

Outra possibilidade é a transferência de valores pela internet, sem a necessidade de taxas comumente cobradas por instituições financeiras e bancárias.

Como comprar e vender moedas virtuais

compra e venda de moedas virtuais (criptomoedas)
A compra e venda é bem simples, pela internet. No mercado brasileiro das criptomoedas, chamado ecoins, há opções como o Mercado Bitcoin e a Braziliex. É preciso criar uma conta, gratuitamente, e informar o valor em reais ou a quantidade de moedas virtuais desejada para comprar ou vender.

Empresas internacionais como a Poloniex, Bittrex e Bitfinex permitem que qualquer pessoa invista em criptomoedas utilizando dólares. Na Braziliex, o usuário pode solicitar o saque para suas carteiras digitais, no caso de criptomoedas, ou para sua conta corrente, no caso de saques em real.

Como investir em criptomoedas

Imagine esse cenário: uma criptomoeda que valoriza 276% da divisa no ano, enquanto a bolsa brasileira apresenta alta de 25% no mesmo período. Onde você investiria? Parece fácil, mas exige cuidado!

Estar atento às oscilações dessa moeda, com quedas e altas diárias, e não investir mais do que 5% do patrimônio são algumas dicas de especialistas na área. Caso opte pelo serviço de uma corretora, que intermedeia essas transações, você vai precisar atender a requisitos geralmente cobrados no mercado financeiro comum.

Além disso, nesses casos há cobrança de uma taxa sobre o valor da operação. Confira vantagens e desvantagens de investir em criptomoedas:

Vantagens das Criptomoedas

Lista das criptomoedas mais valorizadas

Agora que você já sabe o que é, como funciona e como usar, deve estar se perguntando quais as melhores criptomoedas para investir. Preparamos uma lista com as principais e mais valorizadas. Conheça!

criptomoeda bitcoinBitcoin – Considerada a primeira moeda digital (Criptomoeda) descentralizada do mundo, foi apresentada em 2008 por um programador de pseudônimo Satoshi Nakamoto. Desde abril deste ano, é oficialmente um meio de pagamento no Japão, aceito por mais de 260 mil estabelecimentos. Em novembro, registrou aumento de 55% no volume de transações, com 30 mil novas carteiras por dia. Veja o valor da criptomoeda Bitcoin hoje.


logo da criptomoeda LitecoinLitecoin – Conhecido como irmão mais novo do bitcoin, tem as mesmas características, porém com menor tempo de transação, devido a uma taxa menor de bloqueio e mais acessibilidade. A tendência é de um maior crescimento graças à familiaridade com o bitcoin.


logo da criptomoeda EthereumEthereum – É o mais novo, apresentado em 2014 por Vitalik Buterin, financiado como um projeto de crowdfunding, o terceiro maior já financiado dessa forma. Hoje é a segunda maior criptomoeda do mundo, com uma capitalização de mercado de mais de US$40 bilhões e valorização de mais de 5.000% desde o início do ano. Em novembro, o Ethereum atingiu uma máxima histórica de US$425,55.


logo da criptomoeda RippleRipple – Também conhecido como XRP, é um pouco diferente das outras criptomoedas, pois traduz tanto uma moeda digital quanto uma rede de pagamento aberta, com menores taxas e atrasos de processamento. Atualmente, opera em baixa.


logo da criptomoeda MoneroMonero – Usa o código aberto CrytoNote, codificado a partir do zero. Entre suas características estão os pagamentos e transações ocultos. A diferença básica entre ela e o bitcoin é que ela cria um endereço único para cada transação, adotando uma senha privada que possibilita que as informações completas do processo sejam vistas apenas pela pessoa que recebeu o depósito ou por quem possuir a senha.


logo da criptomoeda DashDash – Operações com essa moeda têm confirmação praticamente instantânea, pela rede Masternodes (diferente do bitcoin). E é essa rede que permite que as transações sejam anônimas, caracterizando a dash pela privacidade dos seus usuários.

 

Por Flavia Vargas







5 coisas que você precisa saber sobre bitcoins

5 coisas que você precisa saber sobre bitcoins

Em meio a tanto deslumbramento, é importante saber algumas coisas sobre a moeda digital (Criptomoeda) que vem parando o mundo. Venha conferir 5 coisas sobre as bitcoins.

bitcoin -coisas que você precisa saber sobre bitcoins

A moeda digital mais famosa do mundo, bitcoin, valorizou muito de uns anos para cá. Hoje seu valor gira em torna de R$ 12 mil. Mas comprá-la não é assim tão fácil como está parecendo ser. Aos aventureiros que querem emergir nesse universo, é bom conhecer vários aspectos que circundam essa moeda. Para isso, veja 5 informações importantes para o seu compreendimento sobre as bitcoins.

1. Negociar a moeda não é gratuito

É verdade que a maioria das taxas cobradas pelas moedas comuns não são cobradas no comércio de bitcoins. Mas engano seu se acha que também não exista nenhum valor a se pagar na nova moeda. Ao utilizar uma bolsa para depósitos e retirada da moeda digital, algumas contas podem chegar a 3,5%, podendo gastar até mais que US$ 50 para mover o dinheiro para a sua conta. Recomenda-se uma pesquisa nos possíveis gastos para quem espera trabalhar com esse cenário.

2. Nem tão volátil assim

Em meados de 2012 o valor da moeda girava em torno dos US$ 100, em quanto um ano depois o valor subia para US$ 1,37 milhões. A moeda realmente não possuía nenhuma regularidade. Mas apesar de ela ainda se destacar nesse quesito se comparada a outras moedas, essa invariabilidade não é mais tão grande. O Índice de Volatilidade do bitcoin mostra que no período de seis meses o valor do dólar da moeda varia apenas 4,23%, em no período de um ano só 3,58%. Pouco.

3. Contratos futuros de bitcoins

Quem comercializa moeda tem forma diferentes de lucrar. Uma dessas formas é a compra de contratos futuros. O risco é alto, mas o retorno é grande igualmente. Essa plataforma já existe no mercado digital. Alguns sites trabalham com contratos futuros de bitcoins. Um investimento para experientes no assunto, mas não deixa de ser uma boa opção.

4. Rastreamento de bitcoin

Apesar de toda a fama obscura da moeda, as bitcoins não são tão secretas assim. No Blockchain, livro público, é possível ver todas as movimentações com a moeda no mundo. Apesar do anonimato, é possível saber onde está cada moeda criptografada e seu dono.

5. É real

Uma coisa é fato. O mercado de moeda digital existe e simboliza o avanço da tecnologia financeira. O número de usuários é tão grande que a tendência é aumentar cada vez mais. Eventos como o Bitcoin Conference, recém realizado no Brasil, se propagam pelo mundo com o objetivo de esclarecer e propagar a moeda. Gostando ou não, ela veio e para ficar.

Inteligência financeira é a alma de uma economia estruturada. Leve as melhores dicas e informações sobre finanças para a sua casa com o FinanceOne. Fique ligado.







O que são e como surgem as bitcoins?

O que são e como surgem as bitcoins?

Entenda como funciona a aquisição da criptomoeda bitcoin que parou o mundo e teve uma valorização histórica em três anos.

Bitcoin
Bitcoin

A moeda poderia ser facilmente confundida com o real, dólar ou até o euro. Se não fosse por um detalhe. É uma moeda exclusivamente virtual, não possui forma física. E esse é só o começo da singularidade deste “objeto” de troca.

Outro detalhe é a não vinculação nos principais meios financeiros do mundo, o Banco Central. A falta de uma licença é o que impede ainda mais o alastramento de sua utilização no mundo. São poucos os países que escolhem abrir as portas para ela. Enquanto Rússia e Japão facilitam as relações e já esperam um crescimento de estabelecimentos que irão aceitar a moeda futuramente, países como a China se mostram totalmente intolerantes para aceitação.

A moeda Bitcoin foi criada em 2009, por uma figura pouca conhecida chamada Satoshi Nakamoto. A principio qualquer um poderia ajudar no processo de “mineração” (nascimento da moeda). Uma produção descentralizada que utiliza computadores cedidos que dependendo da capacidade do software pode gerar e registrar as transações da moeda.

Computadores ligados dia noite fazem uma espécie de duelo entre si em que o vencedor ganha um bloco da moeda (quase uma prática esportiva). Apesar de no começo qualquer pessoa ser habilitada a ceder seu computador, com a disputa só os melhores iriam sendo utilizados tanto que hoje apenas as máquinas superpotentes trabalham na mineração, como o Avalon ASIC.

Esse processo será determinante para a expansão da moeda já que cada vez mais se produz em maiores quantidades. Estima-se que até o ano de 2140 uma quantidade de 21 milhões de unidades serão fabricados. E talvez com o crescimentos da moeda uma queda do valor fosse inevitável, devido a oferta e a demanda.

A questão é que a lei da procura e da oferta supervalorizaram o dinheiro tecnológico esse ano. Enquanto em 2014 vivia em baixa, no começo desse ano ela pulava de mil para 4 mil dólares a unidade do bitcoin.

Aquisição e consumo sendo feitos via internet, o anonimato é um dos aspectos que mais conquistam as pessoas. Infelizmente o ser humano ainda não saber usar potenciais ferramentas para o bem e uma ideia tão interessante tem em seu maior ambiente de fluxo as profundezas obscuras da internet. Porém torcemos para que a prática seja desenvolvida com um tempo e acompanhe a modernização do mercado.

Acesse a página bitcoin hoje para acompanhar a cotação da moeda.







Chamada de Pré Abertura – Índice Futuro BMF: -0,3% -180 pontos aos 64.210 pontos

Chamada de Pré Abertura – Índice Futuro BMF: -0,3% -180 pontos aos 64.210 pontos

 

São Paulo, 16/01 (Enfoque) –

Var.%: -0,3
Var. Ptos: -180
Valor: 64.210

Nossa previsão acima foi baseada na oscilação do Mini S&P futuro com critérios de análise técnica:

– Variação do Mini S&P Futuro desde o fechamento da sessão anterior:

Var.%: -0,1
Var. Ptos: -1,25
Valor: 2.267,25

 

Veja como se comportou o Mini S&P desde o fechamento da sessão anterior no gráfico intraday de 15 minutos:

 

Veja como se comportou o Mini S&P desde o fechamento da sessão anterior no gráfico diário:

Fausto de Arruda Botelho CFTe; CNPI

Em conformidade com as disposições da Instrução CVM nº 388, eu Fausto de Arruda Botelho, analista de investimento responsável pela elaboração deste relatório declaro que:

1.       As análises e recomendações refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais, às quais foram realizadas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à (Enfoque).

2.       Não mantenho vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias cujos valores mobiliiários foram alvo de análise neste Relatório.

3.       A Enfoque não administra fundos, carteiras e clubes de investimentos

4.       A Enfoque não possui participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise neste relatório.

5.       A Enfoque não está envolvida  na aquisição , alienação ou intermediação de valores mobiliários das objeto de análise neste relatório.

6.       Não sou titular, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da(s) companhia(s) objeto da análise neste Relatório, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de meu patrimônio pessoal, e não estou envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado.

7.       Nem eu nem a Enfoque recebemos remuneração por serviços prestados e não temos relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo da análise neste relatório, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta(s) companhia(s).

8.       Minha remuneração não está, atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários de emissão da(s) companhia(s) objeto de análise neste Relatório, nem às eventuais receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Enfoque com esta(s) companhia(s).

(por Gabriel Codas)

 


Fonte: Enfoque
Publicado em: 16/01/2017 08:50:09







Reserva Cambial – Posição consolidada em 9/12: US$ 373.108 bilhões

Reserva Cambial – Posição consolidada em 9/12: US$ 373.108 bilhões

São Paulo, 13/12 (Enfoque) –

As reservas cambiais do Brasil registraram na sexta-feira (9) posição consolidada de US$ 373.108 milhões, sendo que quinta-feira (8) a posição era de US$ 373.274 milhões. A variação foi negativa em US$ 166 milhões. Confira o gráfico:

 

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 13/12/2016 08:22:25







Reserva Cambial – Posição consolidada em 17/11: US$ 373.458 bilhões

Reserva Cambial – Posição consolidada em 17/11: US$ 373.458 bilhões

São Paulo, 21/11 (Enfoque) –

As reservas cambiais do Brasil registraram na quinta-feira (17) posição consolidada de US$ 373.481 milhões, sendo que quarta-feira (16) a posição era de US$ 373.451 milhões. A variação foi positiva em US$ 7 milhões. Confira o gráfico:

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 21/11/2016 08:10:04







Câmbio – Efeito Trump e cena interna obriga BC a voltar ao mercado

Câmbio – Efeito Trump e cena interna obriga BC a voltar ao mercado


São Paulo, 11/11 (Enfoque) –

O dólar fechou a jornada de quinta-feira com forte alta, em dia que foi marcado pela “queda da ficha” nos investidores após a eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos. Com isso, a divisa voltou a ser negociada acima de R$ 3,35. A ausência do Banco Central no mercado de câmbio e também notícias que podem ligar o presidente Michel Temer ao recebimento de caixa 2 na campanha de 2014 ajudaram para a maior alta dólar da década.

Um ajuste é sempre natural após fortes movimentos no dia anterior. No entanto, o cenário político do Brasil e dos Estados Unidos, com a alta possibilidade de um aumento mais forte dos juros americano, podem fazer com que o clima negativo persista.

Mercado Externo

A sexta-feira não reserva grandes indicadores de destaque na agenda econômica. Destaque apenas para o índice de confiança do consumidor da Universidade de Michigan. Com isso, todas as atenções estão voltadas para os primeiros passos de Trump como presidente eleito.

Mercado Interno

A notícia de que o presidente Michel Temer teria recebido um cheque de R$ 1 milhão pode implicar a continuidade do mandato caso o Tribunal Superior Eleitoral julgue pela cassação da chapa Dilma-Temer de 2014. Além disso, o balanço negativo da Petrobras e a atuação do Banco Central no mercado de câmbio podem influenciar o rumo dos negócios.

Swap

Após dois dias fora do mercado de câmbio, o Banco Central decidiu voltar a atuar nesta sexta-feira, com uma sessão de swap cambial reverso, das 11h30 às 11h40. Desta vez, serão oferecidos até 15 mil contratos, com vencimento em fevereiro e março de 2017.

Reserva Cambial                 

As reservas cambiais do Brasil registraram na quarta-feira (9) posição consolidada de US$ 375.559 milhões, sendo que terça-feira (8) a posição era de US$ 376.001 milhões. A variação foi negativa em US$ 442 milhões. Confira o gráfico:

 

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 11/11/2016 08:17:01







Câmbio – PEC, PIB dos EUA e balanços movimentam negócios com o dólar

Câmbio – PEC, PIB dos EUA e balanços movimentam negócios com o dólar


São Paulo, 24/10 (Enfoque) –

O dólar encerrou a terceira semana de outubro acumulando nova desvalorização, desta vez de 1% e encerrando assim negociado a R$ 3,1680. O cenário local positivo foi o que mais influenciou a queda no preço da divisa, em um período em que o Ibovespa teve ganhos de quase 4%.

Para a última semana do mês, o destaque fica para o início da temporada de balanços corporativos, além de importantes aspectos políticos tanto no cenário local, quando nos Estados Unidos, com a proximidade das eleições presidenciais.

Mercado Externo

A semana tem alguns indicadores de destaque que merecem a atenção do mercado como um todo. Além dos resultados trimestrais das empresas, o mercado terá conhecimento da primeira prévia do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre do ano. O indicador é o último grade que deve ser analisado pelo Fomc.

Mercado Interno

Os cinco dias que virão deve ser de bastante agitação na cena local. Entre os pontos que o mercado aguarda com ansiedade estão a ata da reunião do Copom, que mostrará como o Banco Central enxerga o atual momento, bem como importantes votações em Brasília, em especial da PEC do Teto. Atenção também para o balanço da Vale.

Swap

O Banco Central realiza nesta segunda-feira mais uma sessão de leilão de swap cambial reverso. A operação está marcada para as 9h30 e tem período de duração de 10 minutos. Ao todo, serão oferecidos até 5 mil contratos, com vencimentos em novembro e dezembro de 2016 e janeiro de 2017.

Reserva Cambial                 

As reservas cambiais do Brasil registraram na quinta-feira (20) posição consolidada de US$ 375.969 milhões, sendo que quarta-feira (19) a posição era de US$ 376.453 milhões. A variação foi negativa em US$ 484 milhões. Confira o gráfico:

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 24/10/2016 08:12:57







Câmbio – Cena local deve manter dólar em queda

Câmbio – Cena local deve manter dólar em queda


São Paulo, 18/10 (Enfoque) –

O dólar comercial encerrou a segunda-feira com leve alta, em dia positivo para o mercado de ações local por conta da valorização do petróleo e de um cenário interno positivo por conta do noticiário político-econômico.

A terça-feira é o primeiro dia de reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, que deve reduzir a taxa de juros. Além disso, o mercado aguarda a divulgação de dados como das Vendas do Varejo.

Mercado Externo

O dia tem como destaque a divulgação do CPI e do índice de confiança do setor de construção de casas. A valorização do preço do petróleo contribui para o resultado de momento. O mercado aguarda a divulgação do Livro Bege, nesta quarta-feira.

Mercado Interno

A jornada de terça-feira deve ser mais uma vez de atenção a dados externos, com o preço do barril do petróleo, mas o cenário político deve manter o principal foco dos negócios. Entre os assuntos, destaque para a votação no Congresso do projeto de lei que tira a obrigatoriedade da Petrobras de participar dos projetos do pré-sal.

Swap

O Banco Central realiza nesta terça-feira mais uma sessão de leilão de swap cambial reverso. A operação está marcada para as 9h30 e tem período de duração de 10 minutos. Ao todo, serão oferecidos até 5 mil contratos, com vencimentos em novembro e dezembro de 2016 e janeiro de 2017.

Reserva Cambial                 

As reservas cambiais do Brasil registraram na sexta-feira (14) posição consolidada de US$ 375.715 milhões, sendo que quinta-feira (13) a posição era de US$ 3765.738 milhões. A variação foi negativa em US$ 23 milhões. Confira o gráfico:

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 18/10/2016 08:34:23