Opinião: Por que o dólar continua desabando e deve romper os R$ 3,00? | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Opinião: Por que o dólar continua desabando e deve romper os R$ 3,00?


São Paulo, 10/08 (Enfoque) –

Por Pedro Paulo Silveira
 
Em 2012 o dólar bateu R$ 1,52, causando enorme desconforto ao governo Dilma Roussef, sobretudo por conta de seus efeitos sobre a indústria local. A partir daí o BC começou a adotar uma política mais agressiva, na tentativa de segurar a moeda. Fez intervenções comprando dólares no mercado e ofertando swaps que tinham os mesmos efeitos que a compra física da moeda. Veja o gráfico da evolução das Reservas Internacionais:
 

Como a acumulação das reversas é tida como problemática, por ser custosa[i] aos cofres públicos, o BC passou a trabalhar mais com Swaps, que acabam não tendo os mesmos efeitos políticos que as reservas internacionais. Aparentemente, ao menos até o ano retrasado, era mais “palatável” o Brasil emitir um contrato financeiro em dólares do que emitir dívida.
 
Porém, primeiro com a mudança dos ventos externos, em 2013, dada pelo processo de início da reversão da expansão monetária dos EUA[ii] e, depois, com o início da crise política, a trajetória de alta do dólar passou a ser sustentada pelas compras que o próprio mercado fazia, perfazendo um ciclo de alta de 170%. Após bater R$ 4,20, em um momento de pânico, o dólar passou a cair, veja o gráfico:
 
 
De comprador de dólares, no meio do pânico o BC passou a ser vendedor. Vendeu alguma coisa no mercado à vista (reduzindo as Reservas) e fez swaps para dar proteção às empresas endividadas em dólares. Esses swaps agora representavam vendas de dólares do BC ao mercado. Na alta do dólar os swaps começaram a dar prejuízo ao BC e foram objeto de muitas críticas. Como são contratos com vencimento determinado e o financeiro é liquidado por diferença, o BC passou a pagar regularmente ao mercado, a cada vencimento, pelo fato de estar “vendido” e o mercado “comprado”. Sem considerar os ganhos com a reservas (muito maiores), as críticas barulhentas acabaram por limitar as futuras atuações do BC no mercado de swaps.
 
À medida que o governo Dilma foi afastado e seu impeachment passou a ser visto como muito provável, o dólar acelerou a sua queda. A partir de então, o BC tentou segurar a queda por meio da recompra dos swaps que estavam com o mercado. E assim a velocidade da queda foi moderada, até que o estoque dos tais swaps chegasse ao seu limite. A partir de então o BC não conseguiu mais segurar o dólar.
 
O dólar depende muito do diferencial entre os juros internos, pagos nos títulos da dívida interna, e os juros externos, pagos pelo Tesouro dos EUA, por exemplo. Se a diferença é pequena e não compensa os riscos de uma aplicação no país, os estrangeiros e os investidores locais, saem do Brasil e aplicam em títulos do Tesouro do EUA, fazendo a demanda por dólar subir e isso produz sua alta em relação ao real. Quando a percepção de risco diminui, a diferença entre os juros pagos aqui e no exterior aumenta. E é o que está acontecendo desde que tivemos o afastamento da presidente Dilma Roussef.
 
O dólar caiu 25% e deve cair mais. A diferença entre os juros internacionais e os juros pagos no Brasil é muito grande e o BC está muito limitado para tentar segurar a queda por meio de compras. Nem por meio de swaps, nem por meio de compras de dólares à vista, o Banco Central tem espaço para segurar nossa moeda. A gritaria que ele causa com suas intervenções parece não compensar os resultados das mesmas. Como os juros deverão continuar elevados aqui e muito baixos lá fora, é pouco provável que o dólar pare de cair, mesmo depois dos R$ 3,00. O mais provável é que estejamos mais perto dos R$ 2,90 do que dos R$ 3,46 esperados pelo mercado para o final do ano[iii].
Observações finais:
 
 
  • ·         Alguém mais atento observará que há gritaria quando o dólar sobe, já que a inflação explode e as empresas e pessoas endividadas e dólares passam enormes dificuldades. Quando o dólar cai, os empresários do setor industrial saem reclamando por conta da queda de suas receitas de exportações e pelo aumento da competição dos produtos importados. Haverá gritaria sempre e mostra que na economia, cada evento (o subir ou o cair do dólar) produz ganhadores e perdedores. Não há evento só para ganhadores…
 
  •     Quando o BC compra dólares no mercado, ele vende, automaticamente, títulos do Tesouro Nacional. Esse evento não aumenta a Dívida Líquida do Setor Público (o governo adquire um Ativo, os dólares, e contrai um passivo no mesmo valor, a dívida pública interna). Porém, ele aumenta a Dívida Bruta do Setor Público, que não considera os ativos do governo. Assim, a elevação das reservas internacionais em cerca de US$ 320 bilhões, elevou a dívida pública em mais de R$ 1 trilhão. E esse é o ponto mais criticado pelas compras do BC no mercado à vista: ela aumenta a dívida pública.

 


 

[i] Ao comprar dólares no mercado à vista, o BC passa a aplica-los nos títulos do Tesouro dos EUA,
tendendo pouco mais de 1,5% ao ano e, internamente, emite uma dívida que chegou a pagar até 14% ao ano. A diferença entre essas remunerações custa ao tesouro nacional cerca de US$ 12 bilhões para cada US$ 100 bilhões de reservas. Considerando a média de US$ 367 bilhões de reservas, mantê-las custou aos cofres públicos cerca de US$ 200 bilhões.
 

[ii] O FED parou de emitir dólares no âmbito do programa de estímulos Quantitative Easing e isso causou alguma turbulência para os mercados globais, sobretudo para os países emergentes. À época o Brasil foi incluído entre os CINCO FRÁGEIS da economia global.

[iii] Segundo o relatório focus dessa semana: http://www.bcb.gov.br/pec/GCI/PORT/readout/R20160805.pdf

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 10/08/2016 16:15:52

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
Os jogadores mais bem pagos do mundo em 2018
Quem são os jogadores mais bem pagos do mundo? Muito provavelmente você vai responder Cristiano Ro ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...




Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


 

Guias

Calculadoras