Otimismo no mercado de trabalho sugere melhora nos próximos meses | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,785
Euro R$ 4,411
Bitcoin R$ 24.197,00
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 5,020
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Otimismo no mercado de trabalho sugere melhora nos próximos meses


São Paulo, 09/08 (Enfoque) –

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) da Fundação Getulio Vargas subiu pela quinta vez ao variar 6,9 pontos, em relação a junho, atingindo 89,1 pontos, o maior nível desde março de 2014 (89,2 pontos). Pela métrica de médias móveis trimestrais, o indicador subiu 4,2 pontos, sinalizando aceleração da tendência de atenuação do ritmo de queda do total de pessoal ocupado na economia brasileira nos próximos meses.
 
O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) recuou, pelo segundo mês consecutivo, ao variar -0,8 ponto, em julho, alcançando 96,8 pontos, e colaborando para a recuperação do indicador em relação à alta expressiva de maio passado (+3,9 pontos). Em médias móveis trimestrais, a tendência mantém-se ascendente (0,4 ponto), mostrando certa estabilização da taxa de desemprego nos últimos meses.
 
“Os dois indicadores de mercado de trabalho refletem uma situação relativamente distinta. O IAEmp sugere recuperação à frente, puxado pelo otimismo com a situação dos negócios da indústria. Os trabalhadores, no entanto, ainda não observam, no presente momento, uma melhora no mercado de trabalho. O comportamento dos índices sugere que a consolidação de um cenário de maior atividade econômica poderá ser convertido em melhora do mercado do trabalho nos próximos meses, ainda que em ritmo mais lento”, afirma Fernando de Holanda Barbosa Filho, Economista da FGV/IBRE.

Destaques do IAEmp e ICD
Os componentes que mais contribuíram para a alta do IAEmp em julho foram os indicadores que medem a situação atual dos negócios e as expectativas para os próximos seis meses, da Sondagem da Indústria, com variações de 13,3 e 12,2 pontos, respectivamente.
 
Em relação ao ICD, as classes de renda familiar que mais contribuíram para a queda do indicador foram as dos consumidores com rendimentos mensais entre R$ 4.800,00 e R$ 9.600,00, cujo Indicador de percepção de facilidade de se conseguir emprego (invertido) variou -3,0 pontos; e àqueles com renda é superior a R$ 9.600,00, cujo indicador variou -1,8 ponto.

A próxima divulgação dos Indicadores de Mercado de Trabalho ocorrerá em 06 de setembro de 2016

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 09/08/2016 08:25:31







Mais lidos

11 eventos de empreendedorismo em 2018 para você ficar ligado
Empreender é a sua meta para 2018, mas você não sabe por onde começar? E o que todo empreendedor...
Fuja desses 5 erros ao administrar suas finanças pessoais
Você sabe como administrar suas finanças pessoais? A sua resposta pode até ser sim, se você est...
Franquia home office: como lucrar trabalhando em casa
Abrir uma franquia home office é mais fácil e barato do que você imagina. E a notícia boa é: o ...
Cuidados ao contratar um seguro de celular
Ter um seguro é essencial para garantir a segurança e a comodidade caso algo dê errado ou não sa...
Investir em Portugal vale a pena? Descubra!
Vale investir em Portugal. Não é só a facilidade da língua que pode atrair investidores brasilei...
Conheça os 31 planos de saúde suspensos pela ANS
Muitas pessoas têm planos de saúde para evitar que em momentos de necessidade tenham que recorrer ...





Notice: Undefined variable: hidden in /var/www/finance-one/wp-content/themes/financeone_estrategia/single.php on line 46

Publicidade