PIB recua (-0,6%) em relação ao 1º tri de 2016 e totaliza R$ 1,5 trilhão | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

PIB recua (-0,6%) em relação ao 1º tri de 2016 e totaliza R$ 1,5 trilhão


São Paulo, 31/08 (Enfoque) –

PERÍODO DE COMPARAÇÃO
INDICADORES
PIB
AGROPEC
INDUS
SERV
FBCF
CONS. FAM
CONS. GOV
Trimestre / trimestreimediatamente anterior (c/ ajuste sazonal)
-0,6
-2,0
-0,2
-2,1
0,4
-0,7
-0,5
Trimestre / mesmo trimestre do ano anterior (s/ ajuste sazonal)
-3,8
-3,1
-3,0
-3,3
-8,8
-5,0
-2,2
Acumulado em 4 trimestres/ mesmo período do ano anterior (s/ ajuste sazonal)
-4,9
-2,4
-6,3
-3,6
-15,1
-5,7
-1,8
Acumulado no ano / mesmo período do ano anterior (s/ ajuste sazonal)
-4,6
-3,4
-5,2
-3,5
-13,3
-5,6
-1,9
Valores correntes no trimestre (R$)
1.530,4
bilhões
90,8
bilhões
281,8
bilhões
945,6
bilhões
256,7
bilhões
960,0
bilhões
307,9
bilhões
TAXA DE INVESTIMENTO (FBCF/PIB) no 2° trimestre de 2016 = 16,8%
TAXA DE POUPANÇA (POUP/PIB) no 2° trimestre de 2016 = 15,8%

O Produto Interno Bruto (PIB) apresentou queda (-0,6%) na comparação do segundo trimestre de 2016 contra o primeiro trimestre do ano, levando-se em consideração a série com ajuste sazonal. Na comparação com igual período de 2015, a variação do PIB também foi negativa (-3,8%). No acumulado dos quatro trimestres terminados no segundo trimestre de 2016, o PIB registrou decréscimo (-4,9%) em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores, verificado também no resultado acumulado do no primeiro semestre (-4,6%), em relação a igual período de 2015. Em valores correntes, o PIB no segundo trimestre de 2016 alcançou R$ 1,5 trilhão. A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na páginawww.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/pib/defaultcnt.shtm.

Principais resultados do PIB do 4º Trimestre de 2014 ao 2º Trimestre de 2016
PIB
2014
2015
2016
4°tri
1°tri
2°tri
3°tri
4°tri
1°tri
2°tri
Trimestre / trimestre imediatamente anterior (c/ ajuste sazonal)
0,3
-1,0
-2,3
-1,5
-1,3
-0,4
-0,6
Trimestre / mesmo trimestre do ano anterior (s/ ajuste sazonal)
-0,7
-2,0
-3,0
-4,5
-5,9
-5,4
-3,8
Acum. em 4 tri / 4 tri imediatamente anteriores (s/ ajuste sazonal)
0,1
-1,2
-1,7
-2,5
-3,8
-4,7
-4,9
Acumulado no ano / mesmo período do ano anterior (s/ ajuste sazonal)
0,1
-2,0
-2,5
-3,2
-3,8
-5,4
-4,6

Agropecuária e serviços caem e indústria cresce na comparação com 1º tri 2016

O PIB apresentou queda de 0,6% na comparação do segundo contra o primeiro trimestre de 2016, levando-se em consideração a série com ajuste sazonal. É o sexto resultado negativo consecutivo nesta base de comparação. A Agropecuária sofreu contração de 2,0%, a Indústria variou positivamente em 0,3% e os Serviços apresentaram recuo de 0,8%.

Na Indústria, houve variação negativa de 0,2% na Construção. A Extrativa mineral e a atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana cresceram, respectivamente, 0,7% e 1,1%. Já a Indústria de Transformação (0,0%) manteve-se estável no trimestre.

Nos Serviços, Transporte, armazenagem e correio (-2,1%), Outros serviços (-1,7%), Intermediação financeira e seguros (-1,1%), Comércio (-0,8%) e Serviços de informação
(-0,6%) apresentaram queda. Administração, saúde e educação pública (0,5%) variou positivamente e Atividades imobiliárias (0,1%) manteve-se praticamente estável no trimestre.

Pela ótica da despesa, a Formação Bruta de Capital Fixo registrou o primeiro resultado positivo após dez trimestres consecutivos em queda: crescimento de 0,4%. Já a Despesa de Consumo das Famílias (-0,7%) caiu pelo sexto trimestre seguido. A Despesa de Consumo do Governo recuou 0,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

No que se refere ao setor externo, as Exportações de Bens e Serviços tiveram expansão de 0,4%, enquanto que as Importações de Bens e Serviços cresceram 4,5%.

Na comparação com o 2º tri de 2015, agropecuária, indústria e serviços registram queda

Quando comparado a igual período do ano anterior, o PIB sofreu contração de 3,8% no segundo trimestre de 2016, o nono resultado negativo consecutivo nesta base de comparação. O Valor Adicionado a preços básicos caiu 3,3% e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios recuaram em 6,8%.

Dentre as atividades que contribuem para a geração do Valor Adicionado, a Agropecuária registrou queda de 3,1% em relação a igual período do ano anterior. Este resultado pode ser explicado, principalmente, pelo desempenho de alguns produtos da lavoura que possuem safra relevante no segundo trimestre e pela produtividade, conforme o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA/IBGE – julho 2016), divulgado no mês de agosto. Com exceção do café, que apresentou crescimento na estimativa de produção anual de 11,2%, as demais culturas com safra neste trimestre registraram decréscimo na estimativa de produção anual e perda de produtividade: milho (-20,5%), arroz (-14,7%), algodão (-11,9%), feijão (-9,1%) e soja (-0,9%).

A Indústria sofreu queda de 3,0%. Nesse contexto, a Indústria de Transformação apresentou contração de 5,4%. O seu resultado foi influenciado pelo decréscimo da produção de máquinas e equipamentos; da indústria automotiva e outros equipamentos de transporte; produtos metalúrgicos; produtos de metal; artigos do vestuário; produtos do refino de petróleo e móveis.

A Construção também apresentou redução no volume do valor adicionado: -2,2%. Já a Extrativa Mineral caiu 4,9% em relação ao segundo trimestre de 2015, puxada principalmente pela queda da extração de minérios ferrosos. A atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana, por sua vez, registrou expansão de 7,9%, influenciada pelo desligamento de termelétricas no 3º trimestre de 2015 e no 1º e 2º trimestres de 2016.

O valor adicionado de Serviços caiu 3,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior, com destaque para a contração de 7,4% do Comércio (atacadista e varejista) e de 6,5% de Transporte, armazenagem e correio, puxado pelo decréscimo do transporte de carga e de passageiros. Também apresentaram resultados negativos as atividades de Outros Serviços 
(-4,2%), Serviços de informação (-3,7%), Intermediação financeira e seguros
(-3,3%) e a Administração, saúde e educação pública (-0,9%). As Atividades imobiliárias apresentaram variação positiva de 0,1%.

Despesa de consumo das famílias cai (-5,0%) no 2º tri 2016

Pelo sexto trimestre seguido, todos os componentes da demanda interna apresentaram resultado negativo na comparação com igual período do ano anterior. No segundo trimestre de 2016, a Despesa de Consumo das Famílias caiu 5,0%. Este resultado pode ser explicado pela deterioração dos indicadores de inflação, juros, crédito, emprego e renda ao longo do período.

A Formação Bruta de Capital Fixo sofreu contração de 8,8% no segundo trimestre de 2016, a nona consecutiva. Este recuo é justificado, principalmente, pela queda das importações e da produção interna de bens de capital, sendo influenciado ainda pelo desempenho negativo da construção neste período. A Despesa de Consumo do Governo, por sua vez, caiu 2,2% em relação ao segundo trimestre de 2015.

No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços apresentaram expansão de 4,3%, enquanto que as Importações de Bens e Serviços caíram em 10,6%, ambas influenciadas pela desvalorização cambial de 14,3% e pelo desempenho da atividade econômica registrados no período. Dentre as exportações de bens, os destaques de crescimento foram veículos automotores, agropecuária, metalurgia e papel e celulose. Na pauta de importações de bens, as maiores quedas ocorreram em siderurgia, indústria automotiva, produtos têxteis, vestuário e calçados, eletroeletrônicos e petróleo.

PIB cai (-4,6%) no primeiro semestre de 2016

O PIB, no 1º semestre de 2016, apresentou queda de 4,6% em relação a igual período de 2015, seguindo a contração de 5,2% no semestre encerrado em dezembro de 2015. Nesta base de comparação, destaque para o desempenho negativo da Indústria (-5,2%). Já a Agropecuária e os Serviços caíram, respectivamente, 3,4% e 3,5%.

Na análise da demanda interna, considerando a comparação semestral, destaca-se a queda de 13,3% da Formação Bruta de Capital Fixo. A Despesa de Consumo das Famílias caiu 5,6%, enquanto que a Despesa de Consumo do Governo recuou em 1,9%. No que se refere ao setor externo, as Importações de Bens e Serviços apresentaram uma queda de 16,2%, enquanto que as Exportações de Bens e Serviços cresceram 8,2%.

Taxa de investimento atinge 16,8% do PIB no 2º trimestre 2016

O Produto Interno Bruto, no segundo trimestre de 2016, totalizou R$ 1.530,4 bilhões, sendo R$ 1.318,1 bilhões referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 212,3 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

A taxa de investimento no segundo trimestre de 2016 foi de 16,8% do PIB, abaixo do observado no mesmo período do ano anterior (18,4%). A taxa de poupança foi de 15,8% no segundo trimestre de 2016 (ante 15,1% no mesmo período de 2015).

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 31/08/2016 09:04:33

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...
Os jogadores mais bem pagos do mundo em 2018
Quem são os jogadores mais bem pagos do mundo? Muito provavelmente você vai responder Cristiano Ro ...




Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


 

Guias

Calculadoras