Primeira semana de fevereiro registra superávit de US$ 212 milhões | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,256
Euro R$ 4,011
Bitcoin R$ 34.650,00
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,552
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Primeira semana de fevereiro registra superávit de US$ 212 milhões


São Paulo, 06/02 (Enfoque) –

Com três dias úteis, a balança comercial da primeira semana de fevereiro registrou superávit de US$ 212 milhões, resultado de exportações de US$ 2,264 bilhões e importações de US$ 2,052 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo MDIC.

A média diária das exportações da primeira semana do mês (US$ 754,5 milhões) cresceu 7,4% em relação ao mesmo período de 2016, quando registrou-se uma taxa de US$ 702,3 milhões. 

Houve aumento de 10% nas vendas externas de produtos básicos (de US$ 275,9 milhões para US$ 303,4 milhões, devido, principalmente, as exportações de minério de cobre, carnes suína e de frango, petróleo em bruto e minério de ferro), 8,9% de manufaturados (de US$ 291,6 milhões para US$ 317,6 milhões, por conta de óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio e veículos de carga) e 1,3% de semimanufaturados (de US$ 120,2 milhões para US$ 121,7 milhões, devido as vendas de ferro fundido, semimanufaturados de ferro/aço, ouro em formas semimanufaturadas e ferro-ligas).

Já a média diária das importações na primeira semana de fevereiro de 2017 ficou 26,2% acima da taxa registrada em fevereiro de 2016 (de US$ 542,2 milhões para US$ 684 milhões). Aumentaram os gastos, principalmente, com combustíveis e lubrificantes (+137,5%), cereais e produtos da indústria de moagem (+32%), equipamentos eletroeletrônicos (+22,6%), veículos automóveis e partes (+21,4%), plásticos e obras (+20,4%) e siderúrgicos (+19,9%).

Na comparação com janeiro deste ano, a média diária das exportações cresceu 11,3%, em virtude do aumento nas vendas de produtos manufaturados (+36,4%, de US$ 232,9 milhões para US$ 317,6 milhões) e de semimanufaturados (+3,1%, de US$ 118,1 milhões para US$ 121,7 milhões). As vendas de produtos básicos registraram queda de 1,6% (de US$ 308,5 milhões para US$ 303,4 milhões).

A média diária das importações neste comparativo cresceu 23,5%. Houve aumento nos gastos com combustíveis e lubrificantes (+186,6%), químicos orgânicos e inorgânicos (+28,0%), plásticos e obras (+21,3%) e veículos automóveis (+17,2%), instrumentos de ótica e precisão (+12,8%).

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 06/02/2017 15:07:42







Mais lidos

Blockchain: o que é e como funciona
Provavelmente você já ouviu falar em Blockchain por causa das moedas digitais. Mas, afinal, o que ...
Como ganhar dinheiro com renda fixa?
Os investimentos em renda fixa costumam ser para um perfil de investidor mais conservador. Geralment...
10 criptomoedas além do Bitcoin que você precisa conhecer
Você já deve ter escutado algo sobre Biticoin. As criptomoedas estão revolucionando o mercado fin...
Índices da bolsa de valores que você precisa conhecer
Se você está pensando em investir na bolsa, mas não sabe por onde começar, entender os termos e ...
Inteligência Artificial: é possível aplicar no mercado financeiro?
A inteligência artificial é uma realidade cada vez mais presente no mercado financeiro. As chamada...
Técnicas para melhorar a produtividade no trabalho
A produtividade no trabalho é algo cada vez mais cobrado pelas empresas. Aquelas que estabelecem um...




Publicidade