Produção industrial cai 0,7% em dezembro e fecha 2010 em 10,5% | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Produção industrial cai 0,7% em dezembro e fecha 2010 em 10,5%

Em dezembro de 2010, a produção industrial recuou 0,7%, na série livre de influências sazonais, após ficar praticamente estável nos últimos quatro meses. Em relação a igual mês de 2009 houve expansão de 2,7%, marca abaixo dos 5,3% registrados em novembro. Com isso, o indicador para o fechamento do ano ficou em 10,5%, abaixo do crescimento médio dos onze meses anteriores (11,2%). A produção do setor no último trimestre de 2010 superou em 3,3% à do quarto trimestre de 2009, mas ficou praticamente estável (-0,1%) frente ao nível observado no trimestre imediatamente anterior (série com ajuste sazonal). Em 2010, o primeiro semestre mostrou avanço de 16,2% frente a igual período do ano anterior, reduzindo o ritmo de crescimento para 5,6% no semestre seguinte.

Ao longo de 2010, o setor industrial apresentou crescimento decrescente, com clara perda de ritmo a partir do segundo trimestre do ano. A análise sobre o comportamento do setor em 2010, a partir do índice de média móvel trimestral, mostra duas fases distintas. Na primeira, que compreende o período de março de 2009 a maio de 2010, há uma elevação generalizada do nível de produção, com o total do setor crescendo 22,0% e todas as categorias de uso apontando ganhos nesse período, com destaque para bens de consumo duráveis (46,5%) e bens de capital (29,0%), ambos favorecidos pelos incentivos fiscais governamentais, seguidos por bens intermediários (21,8%) e bens de consumo semi e não duráveis (10,2%). Na fase seguinte, a partir de junho de 2010, observa-se um quadro de redução na produção global, que recuou 1,5% entre junho e dezembro últimos, movimento que foi acompanhado por todas as categorias de uso: bens intermediários (-0,9%), bens de consumo duráveis (-1,3%), bens de capital (-1,4%) e bens de consumo semi e não duráveis (-1,9%). Ainda na série ajustada sazonalmente, os sinais de diminuição de ritmo ao longo de 2010 também ficaram evidenciados na observação dos indicadores trimestrais, em que os 3º e 4º trimestres de 2010 apontaram taxas negativas (-0,6% e -0,1%, respectivamente), revertendo os índices positivos assinalados nos períodos de janeiro-março (3,1%) e de abril-junho (1,1%). Contudo, na comparação com o ano de 2009, o setor industrial encerrou o ano de 2010 com expansão de 10,5%, com perfil generalizado de crescimento em termos setoriais. Vale destacar que esse resultado não só reverteu a queda de 7,4% observada em 2009, mas também apontou o índice mais elevado desde os 10,9% registrados em 1986.

Com a taxa de -0,7% assinalada na passagem de novembro para dezembro, após redução de 0,2% no mês anterior, o patamar de produção ficou 2,7% abaixo do nível recorde registrado em março de 2010. Na formação desse resultado observou-se a maior concentração de setores que expandiram a produção (15) do que os que apresentaram decréscimo (11), entre os vinte e sete ramos pesquisados. Das indústrias que reduziram a produção, a influência de maior importância para o índice global veio do recuo de 13,3% observado no setor de material eletrônico e equipamentos de comunicações, vindo a seguir metalurgia básica (-4,2%), edição e impressão (-2,5%), celulose e papel (-1,5%), farmacêutica (-1,5%) e outros equipamentos de transportes (-2,1%). Por outro lado, máquinas e equipamentos (1,8%), outros produtos químicos (1,5%), minerais não metálicos (2,0%), equipamentos de instrumentação médico-hospitalares, ópticos e outros (9,7%) e máquinas para escritório e equipamentos de informática (3,9%) exerceram os principais impactos positivos.

Entre as categorias de uso, ainda no confronto com novembro de 2010, observou-se a manutenção de resultados negativos nos setores de bens de consumo duráveis (-0,6%) e de bens de consumo semi e não duráveis (-0,4%). Enquanto o primeiro, após crescer 2,9% em outubro último, recuou pelo segundo mês consecutivo e acumulou perda de 1,0% nesse período, o segundo, ao recuar 1,3% entre outubro e dezembro, devolveu a expansão assinalada em setembro (1,3%). O segmento de bens de capital voltou a apontar taxa negativa (-0,5%), após avançar 3,2% no mês anterior. A produção de bens intermediários, ao repetir o patamar de novembro (0,0%), foi a única categoria de uso que não registrou resultado negativo em dezembro.

A queda na produção entre novembro e dezembro contribuiu para que o índice de média móvel trimestral para o total da indústria mostrasse ligeira variação negativa em dezembro (-0,2%), revertendo dois meses seguidos de crescimento nulo. Entre as categorias de uso, o setor de bens de consumo semi e não duráveis (-0,4%) apontou a única taxa negativa em dezembro. Por outro lado, o segmento de bens de capital (0,9%) assinalou o maior avanço, seguido por bens consumo duráveis (0,6%), que prosseguiu com a trajetória ascendente iniciada em agosto último, e bens intermediários (0,2%).



Fonte: Enfoque Informações Financeiras

Recebido em:
02/02/2011 09:03:39

HeadLines Enfoque
Copr 2007 Enfoque Informações Financeiras

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Receba novidades

Cadastre-se em nossa newsletter para receber novidades em seu email.

Posts relacionados

15 de outubro de 2018
Os cargos que podem ter maiores aumentos salariais em 2019

A instabilidade econômica fez com que os salários ficassem praticamente sem aumento nos últimos anos. A tendência é que no próximo diversos seto...

9 de outubro de 2018
Alimentação é o principal gasto do brasileiro, diz estudo

Você já parou para pensar quanto gasta com comida por mês? Com o que você mais gasta o seu salário? De acordo com uma pesquisa realizada pela emp...

4 de outubro de 2018
Como cuidar dos seus investimentos na reta final das eleições

O que fazer com seus investimentos na reta final das eleições? As expectativas e incertezas sobre o futuro do país interferem diretamente no cenár...

4 de outubro de 2018
Os carros que mais desvalorizam entre os mais vendidos

Você sabe quais são os carros que mais desvalorizam entre os mais vendidos? Caso a resposta seja não, você precisa conhecer o recente estudo da KB...

26 de setembro de 2018
Startup Flapper: o “uber dos jatinhos privados”

Você provavelmente já escutou falar sobre o “uber dos jatinhos privados”, mas sabe o que é e como funciona? A ideia da startup Flapper é ofer...

Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Quais são as moedas mais valorizadas do mundo?
Sabe quais são as moedas mais valorizadas do mundo? Você vai se surpreender! O Real é a terceira ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...







Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


     

Guias

Calculadoras