Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,259
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Euro R$ 3,826
Libra R$ 4,321
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do Dólar Hoje e Euro hoje


Quase 15% dos jovens da OCDE não estudam nem trabalham, mostra estudo


São Paulo, 05/10 (Enfoque) –

Quase 15% dos jovens da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), cerca de 40 milhões, não trabalham, não estudam e não estão em formação, sendo que mais de dois terços não buscam ativamente um emprego, mostra estudo divulgado hoje (5).

Em sua oitava edição, o relatório Society at a Glance traça o panorama e a tendência dos indicadores sociais nos 35 países da organização, assim como na Argentina, no Brasil, na China, Índia, Indonésia, Rússia, Arábia Saudita e África do Sul.

A conclusão é que “a Grande Recessão provocou uma perda esmagadora de empregos, e os jovens foram particularmente atingidos”, sendo que a recuperação tem sido incapaz de devolver empregos aos jovens entre 15 e 29 anos, principalmente aos menos qualificados.

“Oito anos após o início da crise, ainda há cerca de 40 milhões de jovens sem trabalhar, sem estudar e sem estar em formação”, diz o prefácio do relatório, que alerta que essa inatividade pode gerar isolamento e afastamento da sociedade e pôr em risco a coesão social.

Segundo o estudo, quase um em cada dez empregos que até 2007 eram ocupados por jovens com menos de 30 anos perderam-se até 2014, sendo que nos países mais afetados pela crise – Espanha, Grécia e Irlanda – o número de jovens empregados diminuiu para metade no mesmo período.

Em média, 14,6% dos jovens nos países da OCDE não trabalhavam, não estudavam e não estavam em formação (Neet, na sigla em inglês) em 2015, índice que, considerando o peso dos jovens nos vários países, subia para 17%.

O percentual de jovens Neet nos países mais afetados pela recessão era particularmente alta: entre um quarto e um quinto de todos os jovens estavam sem trabalhar e sem estudar na Grécia, Itália e Espanha.

Em Portugal, onde a taxa de Neet chegou a atingir os 19% entre 2008 e 2013, a situação melhorou nos últimos anos e em 2015 estava em 15%, ainda assim acima da média anterior à crise (14%).

O rendimento bruto total que poderia ter sido gerado pelos Neet é estimado pela OCDE em US$ 360 bilhões a US$ 605 bilhões, ou 0,9% a 1,5% do Produto Interno Bruto de todos os países da OCDE juntos.

Mais de dois terços de todos os jovens Neet, o equivalente a 28 milhões, são inativos, ou seja, nem sequer estão tentando ativamente encontrar ocupação.

O estudo conclui que os Neet inativos não procuram trabalho por motivos diversos, como obrigações de assistência, problemas de saúde, dependências, assim como por não acreditar no sucesso da procura de emprego.

Em alguns países, como a Turquia, o México ou o Chile, a baixa participação feminina no mercado de trabalho leva a altas taxas de jovens Neet inativos.

O estudo mostra também que os jovens com níveis de escolaridade inferiores ao ensino secundário representam mais de 30% dos Neet e têm três vezes maior probabilidade de não trabalhar e não estudar do que os jovens com uma licenciatura.

Outro fator que influencia a probabilidade de ser Neet, particularmente numa base de longo prazo, é o gênero: as jovens têm 1,4 maior probabilidade de estar sem emprego e sem estudar do que os rapazes, o que se deve à necessidade de cuidar dos filhos. Para isso, a OCDE destaca a importância de disponibilizar creches econômicas.

Os jovens que já são desfavorecidos em outros aspectos, os que nasceram no estrangeiro e os que têm pais com baixos níveis de escolaridade também correm maior risco de serem Neet.

Embora mais da metade dos jovens numa seleção de países nunca tenham ficado sem trabalhar e sem estudar, cerca de um quinto estão nessa situação há mais de um ano.

A OCDE destaca ainda que os jovens Neet têm baixos níveis de satisfação com a vida e menos confiança no outro do que os jovens que estão empregados ou estudando, além de manifestar menos interesse na política.

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 05/10/2016 09:02:46

Mais lidos

Como escolher o melhor cartão de crédito para você
Se no início da história do cartão de crédito a oferta era pouca e restrita, hoje você encontra...
Seguros: conheça as principais formas
Melhor prevenir do que remediar. Esse clichê poderia até ser uma propaganda de seguros, mas repres...
O que Tesouro Direto? – Passo a passo de como investir
Entenda como funciona o programa de investimento nacional do Tesouro. O Tesouro direto é um prog...
Entenda o que é Renda Fixa
Com esse post você vai entender mais sobre esse tipo de investimento (Renda Fixa)  que vem ganhand...
Planejamento Financeiro: o que é e como fazer
Planejar. Palavra simples, mas poderosa. Você tem noção do poder de um bom planejamento financeir...
Consórcio: entenda como adquirir uma casa ou carro
O consórcio é uma forma de adquirir um bem ou serviço. Essa é uma maneira de aquisição de bens...

Publicidade