Setor de Serviços recua 0,5% de maio para junho | FinanceOne
FinanceOne

Onde suas finanças começam!

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Setor de Serviços recua 0,5% de maio para junho


São Paulo, 11/08 (Enfoque) –

Período

  Volume Receita Nominal
Junho 2016 / Maio 2016
-0,5%
-0,3%
Junho 2016 / Junho 2015
-3,4%
0,6%
Acumulado em 2016
-4,9%
0,2%
Acumulado em 12 meses
-4,9%
0,3%

Em junho de 2016, o volume do setor de serviços caiu 0,5% em relação a maio, na série com ajuste sazonal, após variar 0,2% em maio e -1,3% em abril. Na comparação com junho de 2015, o setor registrou queda de 3,4%, maior variação negativa para o mês de junho da série, iniciada em janeiro de 2012. Com esses resultados, as taxas acumuladas no primeiro semestre e nos últimos 12 meses ficaram ambas em -4,9%.

Por atividade, em relação a maio de 2016, observam-se crescimentos nos segmentos de serviços de informação e comunicação (0,2%) e transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (0,1%). Apresentaram quedas os segmentos de serviços prestados às famílias (-0,5%), serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,4%) e outros serviços (-1,5%). O agregado especial das atividades turísticas apresentou variação -0,6%, na comparação com o mês imediatamente anterior.

A receita nominal em junho apresentou variação de -0,3% em relação a maio e de 0,6%, na comparação com junho de 2015. A taxa acumulada no ano ficou em 0,2% e, em 12 meses, 0,3%. A publicação completa da Pesquisa Mensal de Serviços divulgada pelo IBGE pode ser acessada aqui.


Tabela 1
Indicadores de Volume dos Serviços, Segundo Grupos de Atividades
Brasil – Junho 2016

 
Atividades Variação de Volume (%)
Mês/Mês Anterior
com Ajuste Sazonal
Mês/Igual Mês
do Ano Anterior
Acumulado
Abr
Mai
Jun
Abr
Mai
Jun
No Ano
12 Meses
Brasil
-1,3
0,2
-0,5
-4,8
-6,1
-3,4
-4,9
-4,9
1 – Serviços prestados às famílias
0,4
-4,0
-0,5
-3,0
-7,0
-7,5
-4,4
-5,2
   1.1 – Serviços de alojamento e alimentação
1,5
-3,0
-0,2
-3,1
-6,6
-8,3
-4,6
-5,3
   1.2 – Outros serviços prestados às famílias
-5,7
-4,5
4,9
-2,5
-9,0
-2,8
-3,2
-4,8
2 – Serviços de informação e comunicação
-0,2
-0,1
0,2
-3,0
-2,6
-1,6
-3,4
-2,4
   2.1 – Serviços TIC
-0,7
0,5
0,5
-2,4
-2,3
-1,8
-3,2
-2,4
      2.11 – Telecomunicações
-0,5
0,2
-0,1
-3,5
-3,7
-2,4
-3,6
-3,2
      2.12 – Serviços de tecnologia da informação
1,9
0,1
-0,3
1,6
2,5
0,2
-1,7
0,3
   2.2- Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias
0,7
1,2
2,0
-6,8
-4,4
-0,3
-4,8
-2,3
3 – Serviços profissionais, administrativos e complementares
-2,5
0,0
-0,4
-5,4
-7,8
-5,9
-6,5
-6,6
   3.1 – Serviços técnico-profissionais
-8,7
-1,9
0,9
-6,3
-13,9
-10,3
-9,0
-9,4
   3.2 – Serviços administrativos e complementares
-1,4
0,2
0,8
-5,1
-5,8
-4,4
-5,8
-5,7
4 – Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio
-1,7
0,9
0,1
-7,2
-9,1
-3,6
-5,9
-6,4
   4.1 – Transporte terrestre
-1,5
-0,7
-1,3
-10,2
-10,5
-8,4
-9,7
-10,9
   4.2 – Transporte aquaviário
3,5
1,7
-1,6
-2,9
-2,4
-5,3
0,4
8,9
   4.3 – Transporte aéreo
1,1
2,5
-0,6
-0,1
-15,1
19,7
5,4
5,8
   4.4 – Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio
-1,5
1,0
-0,5
-4,7
-5,2
-1,2
-3,4
-3,9
5 – Outros serviços
-6,0
-0,6
-1,5
-3,3
-6,2
-2,1
-3,8
-7,4
Atividades turísticas
-1,2
-0,7
-0,6
-3,6
-8,9
-0,2
-2,2
-2,1
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.

Em termos de composição da taxa global de volume, na comparação com junho de 2015 (série sem ajuste), a contribuição dos segmentos, por ordem de contribuição, foram os seguintes: transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio e serviços profissionais, administrativos e complementares, ambos com -1,1 pp; serviços de informação e comunicação, com -0,7 pp; serviços prestados às famílias, com -0,4 pp e outros serviços, com -0,1 pp de contribuição.

No primeiro semestre de 2016, setor de serviços recua 2,8% em relação ao segundo semestre de 2015

O primeiro semestre de 2016 apontou para uma retração de 2,8% no volume de serviços em relação ao semestre anterior, mesma retração observada no segundo semestre de 2015, na série com ajuste sazonal. Já na comparação com o primeiro semestre de 2015 (sem ajuste), o setor de serviços acumulou uma queda de 4,9%.

Em termos de atividades, na comparação com o segundo semestre de 2015, destaca-se o segmento de transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio com a maior queda (-7,0%), seguido dos serviços profissionais, administrativos e complementares (-3,3%); serviços prestados às famílias (-1,5%) e serviços de informação e comunicação (-1,2%). O segmento de outros serviços registrou variação nula (0,0%) e as atividades turísticas, queda de 2,0%.

Indicadores Semestrais de Volume dos Serviços, Segundo Grupos de Atividades
Brasil – 2015/2016

 
Atividades Variação de Volume (%)
Semestre/Semestre Anterior
com Ajuste Sazonal
Semestre/Igual Mês
do Ano Anterior
2015 2016 2015 2016
1° sem
2° sem
1° sem
1° sem
2° sem
1° sem
Brasil
-2,2
-2,8
-2,8
-3,9
-5,9
-4,9
1 – Serviços prestados às famílias
-2,8
-3,1
-1,5
-1,4
-3,8
-4,4
   1.1 – Serviços de alojamento e alimentação
-3,2
-2,7
-2,2
-2,7
-4,6
-4,6
   1.2 – Outros serviços prestados às famílias
-1,7
-4,4
1,1
6,4
0,9
-3,2
2 – Serviços de informação e comunicação
0,8
-2,2
-1,2
-5,1
-5,9
-3,4
   2.1 – Serviços TIC
0,9
-2,5
-0,8
-4,6
-5,3
-3,2
      2.11 – Telecomunicações
-0,1
-2,6
-1,2
-3,8
-5,2
-3,6
      2.12 – Serviços de tecnologia da informação
5,0
-2,0
-1,0
-7,5
-5,7
-1,7
   2.2- Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias
-0,3
0,3
-5,1
-8,9
-9,5
-4,8
3 – Serviços profissionais, administrativos e complementares
-3,4
-3,4
-3,3
-4,3
-6,8
-6,5
   3.1 – Serviços técnico-profissionais
-7,3
-2,3
-6,9
0,5
-8,7
-9,0
   3.2 – Serviços administrativos e complementares
-1,5
-4,1
-1,7
-5,7
-6,2
-5,8
4 – Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio
-7,0
0,3
-7,0
-2,1
-7,2
-5,9
   4.1 – Transporte terrestre
-6,8
-5,4
-5,1
-6,8
-10,0
-9,7
   4.2 – Transporte aquaviário
7,1
9,8
-8,0
11,7
-2,4
0,4
   4.3 – Transporte aéreo
2,7
4,1
2,3
14,2
1,4
5,4
   4.4 – Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio
-2,5
-1,8
-2,4
-0,1
-5,2
-3,4
5 – Outros serviços
-7,1
-3,8
0,0
-6,1
2,5
-3,8
Atividades turísticas
-1,8
-0,2
-2,0
1,3
-2,3
-2,2
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.

Resultados regionais: Amazonas, Roraima e Rondônia apresentam as maiores quedas em relação a maio

Em relação aos resultados regionais do setor de serviços de junho frente a maio, 13 unidades da federação apresentaram queda, 13 apresentaram crescimento e uma ficou estável. As maiores variações positivas foram registradas no Rio Grande do Norte (3,0%), Paraíba (2,8%) e Alagoas (2,6%). As maiores variações negativas foram observadas no Amazonas (-3,6%), Roraima (-3,0%) e Rondônia (-2,6%).

Quando se compara com junho de 2015, apenas quatro unidades da federação apresentaram variações positivas: Acre (12,3%), Roraima (7,1%), Distrito Federal (4,9%) e Tocantins (3,1%). As maiores variações negativas foram registradas no Amazonas (-15,1%), Amapá (-14,8%) e Mato Grosso (-13,1%).


Gráfico 3
Variação de Volume dos Serviços,
por Unidades da Federação
Mês/Mês anterior com ajuste sazonal
 
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio
 

Gráfico 3A
Variação de Volume dos Serviços,
por Unidades da Federação
Mês/Igual mês do ano anterior
 
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio
 

Em termos regionais, analisando-se os resultados de volume, em relação a maio, das atividades turísticas, segundo as unidades da federação selecionadas, apenas duas apresentaram variações negativas: Rio de Janeiro (-1,4%) e Minas Gerais (-0,6%). As variações positivas, por ordem de variação, foram as seguintes: São Paulo (9,5%), Rio Grande do Sul (4,1%), Paraná (3,7%), Goiás (3,2%), Santa Catarina (2,5%), Distrito Federal (2,4%), Espírito Santo (1,5%), Ceará (1,2%), Pernambuco (1,1%) e Bahia (0,3%).

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, as variações positivas foram registradas no Distrito Federal (6,1%), Pernambuco (5,3%), São Paulo (3,0%), Goiás (1,7%), Ceará (1,6%) e Rio Grande do Sul (1,4%). As variações negativas foram as seguintes: Bahia (-13,5%), Minas Gerais (-9,9%), Santa Catarina (-5,9%), Espírito Santo (-2,9%), Rio de Janeiro e Paraná (ambas com -2,4%).

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 11/08/2016 09:01:00

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
Os jogadores mais bem pagos do mundo em 2018
Quem são os jogadores mais bem pagos do mundo? Muito provavelmente você vai responder Cristiano Ro ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando quase no fim e as empresas não param de crescer. Para se ter uma ideia, a  p ...




Ebook do FinanceOne

Ebook gratuito investidor iniciante

Quer investir mas não sabe como? O Guia Completo do Investidor Iniciante traz os primeiros passos para você começar a investir e ganhar dinheiro!

BAIXAR AGORA!

Publicidade


 

Guias

Calculadoras