O que Tesouro Direto? - Passo a passo de como investir | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,285
Euro R$ 3,874
Bitcoin R$ 55.325,00
Bovespa 74.538,54
CDI 8,14% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,388
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


O que Tesouro Direto? – Passo a passo de como investir

Entenda como funciona o programa de investimento nacional do Tesouro.

O Tesouro direto é um programa do Tesouro Nacional que é voltado para pequenos investidores devido a possibilidade de aplicação a partir de R$30 e para benefício do governo. Outro fator extremamente atraente é a facilidade tanto para pessoas públicas quanto para pessoas físicas de aplicação via internet.

No Tesouro Direto é possível ter noção da dimensão do investimento no momento da negociação devido o caráter de renda fixa. Devido a essa maior programação, os riscos são ainda menores.

Ao comprar um desses títulos públicos, você está automaticamente “emprestando” dinheiro para o governo. O retorno vem em forma de uma taxa devido a contribuição. Por isso, em teoria, você estaria não só se beneficiando mas também ajudando o governo.
Para investir é preciso seguir alguns passos.

Confira o passo a passo para investir no Tesouro Direto


Fonte: www.tesouro.fazenda.com.br

1 – Primeiramente, você precisa ter CPF e conta corrente em uma instituição financeira.

O que são Instituições financeiras

São bancos ou corretoras que podem operar com o Tesouro Direto. Dentre outras funções, esses agentes são responsáveis por realizar o cadastro dos investidores junto a BMF&BOVESPA e intermediar a transferência dos recursos financeiros e títulos. Além disso, essas instituições financeiras o ajudarão em cada etapa da preparação para se tornar um investidor do Tesouro Direto e estarão sempre ao seu lado, fornecendo apoio e conselhos de especialistas.

Confira a lista de instituições financeiras habilitadas

2- A partir daí, você deverá escolher uma instituição financeira, para intermediar suas transações com o Tesouro Direto.

3- Entre em contato com a mesma e solicite seu cadastramento. Você deverá fornecer a documentação necessária para que essa instituição abra uma conta em seu nome para operar com o Tesouro Direto.

4- A partir disso, você receberá uma senha provisória da BM&FBovespa para o primeiro acesso à área restrita do Tesouro Direto, em que são realizadas as operações de compra e venda, assim como consultas a saldos e extratos.

5- Troque a senha provisória.

6- Agora, você precisa descobrir qual título é mais adequado para alcançar o seu objetivo financeiro. Para ajudá-lo nessa escolha, utilize a ferramenta Orientador Financeiro. Definido o título adequado, basta efetuar a sua compra.
passo a passo para investir no tesouro direto

Fonte: www.tesouro.fazenda.com.br

Veja os tipos de Títulos do Tesouro Direto

Os títulos podem ser classificados como:

– pré ou pós-fixados
– com pagamentos de juros semestrais ou no vencimento
– e de acordo com o índice sobre o qual será feita a remuneração

O Tesouro Direto coloca a disposição uma série limitada de vencimentos para cada tipo de título.

Cada data de vencimento apresenta uma taxa de remuneração diferente, que varia de momento a momento, e, por isso, o investidor deve levar em conta esse fator na hora de adquirir títulos.

Você pode vender seus títulos antes do vencimento, mas precisa verificar se isso não implicará em prejuízo ou em ganhos menores que o esperado. De um modo geral, é mais vantajoso esperar o vencimento do título. A maior parte dos investidores de pequeno porte encara os Títulos da Dívida Pública como uma forma de investimento de longo prazo.

Os tipos de títulos da dívida pública, atualmente, são os seguintes:

LFT (Letras Financeiras do Tesouro): pós-fixados que são remunerados pela taxa Selic. Possui alta liquidez. Recebe juros e uma remuneração principal. Para saber quanto este título paga ao ano, basta consultar a taxa Selic atual.

LTN (Letras do Tesouro Nacional): pré-fixados, ou seja, tem um valor fixo pelo qual serão resgatados na data do vencimento. Costumam render mais que as LFT, mas não necessariamente. Atualmente, paga 15,51% ao ano, para vencimento em 2018, e 15,44 ao ano para vencimento em 2021.

NTN-F (Notas do Tesouro Nacional, Série F): pré-fixados como as LTN, porém com pagamentos de juros semestrais (cupons). Atualmente, paga 15,42% ao ano para o vencimento de 2025.

NTN-B (Notas do Tesouro Nacional, Série B): títulos atrelados à inflação, corrigidos pelo IPCA e acrescidos de uma remuneração pré-fixada. É uma opção para quem quer proteção contra a inflação. Atualmente, paga ao ano 7,07%, 7% e 6,92% para vencimentos de 2020, 2035 e 2050, respectivamente, somados ao IPCA do período.

NTN-B Principal: não tem pagamentos semestrais de juros (cupons) e paga toda a remuneração acumulada no vencimento. Ideal para objetivos de longo prazo. Paga atualmente, 7,03%, 7,09% e 6,99% ao ano para os vencimentos de 2019, 2024 e 2035, respectivamente, somados ao IPCA do período.

Ficou com dúvidas?
Faça o curso gratuito do Tesouro direto







Mais lidos

Principais Indicadores de Valor de uma Empresa
Quando você está no processo de compra e venda de empresas, precisa pensar nas dívidas que essa e...
Como escolher o plano de saúde?
Diante de tantas opções, a contratação de um plano de saúde pode gerar muitas dúvidas. Antes d...
Leilão de imóveis: entenda os leilões judiciais e extrajudiciais
O leilão de imóveis pode se judicial ou extrajudicial. No caso do judicial, como o próprio nome d...
Tesouro Direto ou CDB: qual a melhor aplicação?
Já falamos aqui que dinheiro só na poupança não rende. E aí, apostar em uma Renda Fixa é uma b...
Alugar ou comprar imóvel 2018?
Esse é um momento de alugar ou comprar imóvel? Na dúvida, algumas questões devem ser avaliadas. ...
Investimento além da poupança: formas de aplicar seu dinheiro
A poupança viu uma melhora de cenário em novembro de 2017. Quando em outubro houve retirada líqui...




Publicidade