uperávit comercial na primeira semana de outubro foi de US$ 499 milhões | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$3,91
Euro R$4,48
Libra R$4,99
Peso R$0,13
Bitcoin R$25.487,16
Ethereum R$1.139,16
Litecoin R$222,60
Ripple R$1,27
Bovespa 81.533,08
CDI 2,64% a.a
Selic 6,40% a.a
Poupança 0,50% a.a
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

uperávit comercial na primeira semana de outubro foi de US$ 499 milhões


São Paulo, 10/10 (Enfoque) –

Na primeira semana de outubro, com cinco dias úteis, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 499 milhões. O resultado reflete exportações de US$ 3,374 bilhões e importações de US$ 2,875 bilhões. No ano, as exportações somam US$ 142,740 bilhões e as importações, US$ 106,061 bilhões, com saldo positivo de US$ 36,680 bilhões. Os dados foram divulgados hoje pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Indústria, Comércio exterior e Serviços (MDIC).

Na semana, a média diária das exportações foi de US$ 674,8 milhões. Por esse critério, o desempenho foi 11,7% menor que o registrado em outubro de 2015 (média de US$ 764,2 milhões). Nessa comparação, caíram as vendas de básicos (-25,1%) – por conta de milho em grão; algodão em bruto; farelo de soja; soja em grão; carne bovina e de frango; e fumo em folhas – e de manufaturados (-6,2%)  –  devido a aviões; autopeças; motores para veículos automóveis; motores e geradores elétricos; automóveis de passageiros e veículos de carga. Por outro lado, cresceram as exportações de semimanufaturados (+15,5%) – puxadas por ferro fundido; alumínio em bruto; açúcar em bruto; couros e peles; e ouro em formas semimanufaturadas.

Em relação a setembro deste ano, quando a média diária foi de US$ 752,5 milhões, houve retração de 10,3%, em virtude do desempenho das exportações de produtos das três categorias: básicos (-16,4%), manufaturados (-7,8%) e semimanufaturados (-0,3%).

Nas importações, a média diária da primeira semana de outubro foi de US$ 575 milhões, valor 14,1% abaixo da média verificada em outubro de 2015 (US$ 669,2 milhões). Nesse comparativo, caíram os gastos, principalmente, com combustíveis e lubrificantes (-62,1%); adubos e fertilizantes (-36,6%); veículos automóveis e partes (-23,4%); equipamentos mecânicos (-18,5%) e produtos químicos orgânicos e inorgânicos (-12,5%).

Já em relação a setembro deste ano, cuja média foi de US$ 570,8 milhões, percebeu-se um leve crescimento de 0,7%, devido ao aumento nas compras de farmacêuticos (35,7%); cereais e produtos da indústria de moagem (18,3%); siderúrgicos (18,2%); equipamentos elétricos e eletrônicos (9,7%); equipamentos mecânicos (9,3%); e produtos plásticos (9%).

(por Gabriel Codas)


Fonte: Enfoque
Publicado em: 10/10/2016 15:04:07

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora







Mais lidos

Trabalhar em casa: 28 profissões para ganhar dinheiro
Trabalhar em casa e ganhar dinheiro no conforto do lar é um sonho para muitas pessoas. No Brasil, o ...
Cartões de crédito sem anuidade: veja os 10 melhores
Procurando cartões de crédito sem anuidade? Eles definitivamente conquistaram o seu espaço na eco ...
10 marcas mais valiosas do mundo em 2018
O ano está chegando na metade e as empresas não param de crescer. Esse é o resultado da pesquisa ...
Cartão de crédito com aprovação imediata existe?
Quem não quer ter um cartão de crédito hoje em dia para realizar as compras? Muitas instituiçõe ...
Descubra quais são as 20 profissões em alta no Brasil em 2018
São muitas profissões. Mas, qual escolher? É necessário analisar alguns fatores. Entre eles, sua ...




Publicidade