Início Notícias Finanças Pessoais O banco pode cobrar taxa de portabilidade da conta salário? Confira!

O banco pode cobrar taxa de portabilidade da conta salário? Confira!

0
imagem de um executivo segurando o cifrão
0
(0)

Você faz portabilidade da conta salário e não sabe se o banco pode cobrar taxa nesta modalidade? Neste artigo vamos responder e te explicar se existe alguma possibilidade.

Primeiro vamos explicar o que é conta salário. Como o próprio nome já diz, é uma conta bancária para receber um salário. Fácil, não é?

Contudo, cada banco tem as suas regras, condições e tipos de serviços. Porém, todos são regulamentados pelo Banco Central (BC) e, portanto, as condições não costumam ser muito diferentes de uma instituição para a outra.

Além do salário, você pode utilizar essa modalidade para receber outros pagamentos, como pensões e aposentadorias. Em resumo, qualquer valor que seja creditado por uma empresa conveniada.

Entretanto, é importante destacar que nem toda conta usada para receber um salário é uma conta salário. Você pode receber através de uma conta corrente, conta digital ou conta poupança, por exemplo. O que muda são as taxas aplicadas em cada tipo.

Nesse sentido, a conta salário é uma opção mais simples, com serviços mais básicos, sem custos.

+ Conta corrente e conta salário: entenda as diferenças

Quem pode abrir uma conta salário?

Basicamente, qualquer trabalhador pode abrir uma conta salário, desde que tenha a solicitação do empregador.

Na prática, funciona da seguinte maneira: a empresa envia uma carta de recomendação, que o funcionário deve apresentar no ato de abertura da conta.

Em seguida, a conta é aberta em nome do funcionário.

Essa modalidade costuma ser aberta em bancos tradicionais. Então, muitas vezes, esse processo ainda precisa ser feito pessoalmente, em uma agência física.

Como fazer a portabilidade bancária?

Você pode conferir quais as taxas de juros de outros bancos e instituições através do Banco Central ou diretamente em uma agência ou unidade de uma instituição financeira da sua escolha.

Caso encontre outra empresa com melhores condições para seguir pagando o seu empréstimo ou financiamento, você deve solicitar à instituição atual um descritivo do saldo da dívida pendente.

Ela também deve fornecer o histórico de suas contratações dos últimos 12 meses. O retorno dessa solicitação deve ser feito em até 15 dias.

Entre em contato com o gerente do banco ou da instituição para verificar se eles aprovam a portabilidade de crédito. Caso haja recusa, procure se informar sobre o motivo.

Se houver possibilidade de ser feita a portabilidade bancária da sua dívida, é preciso analisar o Custo Efetivo Total (CET), que envolve todas as despesas do seu empréstimo ou financiamento e que deve ser menor do que na atual instituição.

+ Saiba como abrir uma conta digital para receber salário
+ Banco pode descontar da conta salário? Confira o que é permitido

Para a transferência do valor, não pode ser feita cobrança para essa operação. Juntamente com a portabilidade bancária, seus dados positivos e negativos também são levados para a outra instituição.

Isso ajuda na análise de crédito e, com base nos seu histórico, poderá ter melhores condições na negociação.

Para a portabilidade da conta salário, basta fazer o pedido diretamente na instituição por onde pretende receber o valor.

Além dos bancos, o trabalhador também pode receber a remuneração pelas contas de pagamento, as chamadas contas pré-pagas, oferecidas por fintechs e bancos.

A portabilidade da conta salário é um direito garantido pelo Banco Central

Existe alguma taxa na portabilidade da conta salário?

O Banco Caentraz diz que a instituiçao financeira não pode cobrar tarifas pelos seguintes serviços da portabilidade da conta salário:

  • fornecimento de cartão magnético, exceto nos casos de pedidos de reposição decorrentes de perda, roubo, danificação e outros casos em que a instituição financeira não pode ser responsabilizada;
  • realização de até cinco saques, por evento de crédito;
  • acesso a pelo menos duas consultas mensais ao saldo nos terminais de autoatendimento ou diretamente no guichê de caixa;
  • fornecimento, por meio dos terminais de autoatendimento ou diretamente no guichê de caixa, de pelo menos dois extratos contendo toda a movimentação da conta nos últimos trinta dias;
  • manutenção da conta, inclusive no caso de não haver movimentação.

Contudo, pode haver cobrança de tarifas por outros serviços bancários não contemplados na lista acima, como, por exemplo, a realização de TED/DOC.

As instituições são obrigadas a divulgar em suas dependências ou em suas páginas na internet todas as tarifas cobradas e os respectivos serviços.

Você gostou deste texto e ele foi relevante para você? Então siga o FinanceOne nas redes sociais e esteja sempre atualizado sobre o mercado financeiro. Estamos no FacebookInstagram e Linkedin.

O que achou disso?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui