Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Volta às aulas: como economizar no lanche da escola

Escrito por: Priscila Gomes em 13 de agosto de 2019

Com a volta às aulas, todas as preocupações também estão de volta. Desde a lista de material, passando pelo uniforme, transporte e… o lanche das crianças. E com tantos gastos, a regra é economizar. Você sabia que é possível economizar no lanche da escola das crianças?

Mas com tantas despesas, fica difícil gastar dinheiro todos os dias com a hora da merenda na escola, certo?

Errado! É possível criar um cardápio bem elaborado, nutritivo e gostoso para o paladar dos pequenos. Confira nesta matéria como isso pode ser feito.

Volta às aulas: como economizar no lanche da escola

A importância da boa alimentação para crianças

Em primeiro lugar é importante entender que a falta de tempo não deve ser desculpa para que se coloque qualquer coisa na lancheira das crianças.

Muitos pais e mães preenchem o espaço das lancheiras com lanches industrializados e que fazem mal à saúde de meninos e meninas.

Dados do famoso Hospital Israelita Albert Einstein, que fica em São Paulo, revelam que, em média, há 2 milhões de casos de obesidade infantil no nosso país por ano.

E os atingidos têm idade entre 3 e 18 anos, ou seja, crianças e adolescentes em idade escolar.

O principal causador deste fenômeno no século XXI é a má alimentação. Portanto, é crucial pensar que a hora do lanche na escola deve ser um momento não somente de recreação e divertimento, mas também de educação alimentar, a fim de proporcionar uma vida saudável às crianças.

Por essa razão, é relevante se pensar em um lanche que seja completo: nutritivo e prático de se preparado. Além disso é importante que ele seja gostoso, afinal, crianças são extremamente influenciadas pelo sabor dos alimentos.

Talvez essas informações descritas sejam de conhecimento geral, visto que a maioria dos adultos tem plena convicção da importância de uma boa alimentação.

Porém, o que atrapalha esse processo, na maior parte das vezes, é o fator preço.

Em geral, alimentos saudáveis como rúcula, brócolis, pães integrais, alguns queijos como o ricota, etc. Dispõem de preços acima da média e isso afasta um pouco um maior número de pessoas.

E com isso a solução mais comum para o lanche das crianças acaba sendo biscoitos mais em conta, em sua maioria industrializados, salgadinhos fritos, doces, etc.

Mas nada disso é recomendável para a alimentação infantil. Estudos indicam que o ideal para o consumo dos pequenos está entre 3 e 5 poções de frutas e legumes por dia, o que garante o crescimento saudável.

Baseados nisso, separamos algumas dicas que podem ajudar os pais a economizar no lanche da escola. Vale a pena conferir!

Como economizar no lanche da escola

1- Pense em um cardápio

Definir um cardápio invés de deixar para separar o lanche no mesmo dia ou no dia anterior pode ajudar muito no quesito planejamento e trazer uma considerável economia ao bolso dos pais.

Com um cardápio montado é possível criar uma variedade maior de lanches e sair da “mesmice”. Por meio desse método também dá para perceber que tipos de nutrientes podem estar faltando na alimentação das crianças.

Um cardápio funcionará como uma lista, onde os pais podem ter uma visão mais ampla do que pretendem cozinhar e podem substituir alguns alimentos por outros mais “em conta”, como por exemplo, trocar o atum de um sanduíche natural pelo frango desfiado, que é muito mais barato e continua sendo saboroso.

É fácil de entender porque um planejamento assim pode ser a base de uma boa economia com a próxima dica.

2- Planeje as compras

Comprar em supermercados costuma ser mais vantajoso para montar o lanche das crianças porque permite aos pais economizar comprando em quantidade (atacado).

É nesse ponto em que a dica de se criar um cardápio se conecta a esta.

Com um cardápio previamente elaborado, os pais podem comprar tudo o que vão utilizar na montagem dos lanches.

E com isso evitam comprar em comércios mais locais como padarias e quitandas, que geralmente cobram até 30% a mais pelos mesmos produtos encontrados nos supermercados.

3- Coloque frutas na lancheira

Além de ser necessário o consumo de pelo menos 3 porções ao dia para o cumprimento de uma dieta saudável, as frutas fornecem sensação de saciedade, além de hidratar e serem alimentos super úteis para quem não tem tempo de elaborar lanches muito mirabolantes.

Frutas como banana, maçã e uva podem ser enviadas com casca, já algumas como laranja e mamão podem vir descascadas e dentro de potinhos, que ficam dentro das lancheiras.

Essas frutas são mais populares e tem preços baixos, se comparadas a outras como, por exemplo, Kiwi, morango e figo.

4- Faça suco concentrado

Os sucos naturais são excelentes e trazem em sua composição a maior parte dos nutrientes das frutas.

Mas, em geral, eles são mais custosos para o bolso e devem ser consumidos assim que são feitos, portanto, não é uma boa opção para enviar no lanche das crianças.

Por outro lado, os sucos concentrados, conhecidos popularmente como sucos de garrafa, são os mais indicados nesse caso.

Pois além de conterem uma boa porcentagem de frutas em sua composição, permitem que sejam feitos e consumidos horas depois.

Esses sucos vêm em garrafas, rendem muito porque são adicionados à água e custam pouco. É só colocar ele pronto na garrafinha que vai dentro da lancheira da criança.

5- Aposte nos lanches simples

Optar por lanches simples, mas nutritivos é muito fácil e barato, e a maioria dos pais não sabem como. Por essa razão acabam se rendendo aos biscoitos e salgados industrializados.

Porém nada disso é preciso, dá para equilibrar dieta saudável e economia na hora de preparar o lanche das crianças.

A dica é: valha-se de sanduíches naturais, tortas salgadas de pote, ovos cozidos, cereais (castanhas, amendoins e granolas), etc.

Os pais podem usar o frango que sobra do almoço/janta para preparar um sanduíche natural ou uma torta de salgada de pote, por exemplo.

Para economizar tempo dá para cozinhar alguns ovos ou enviar um iogurte natural e um potinho com granola para as crianças comerem. Tudo muito simples, rápido e barato!

6- Não leve as crianças ao supermercado

Crianças são curiosas e muito influenciadas por cores e embalagens bonitas.

Isso pode ser lúdico. Mas não é nada confortável para os pais, que, por vezes, precisam negar algo pedido pelos pequenos, que nem sempre entendem que produtos industrializados não são os mais indicados para a alimentação.

Além disso, o quesito preço não é compreendido da mesma forma por pais e filhos pequenos. Uma pesquisa de preços deve ser feita com calma e lógica.

É importante que os pais não cedam às vontades das crianças. Por isso é bom que nesse momento da compra os filhos não estejam por perto.

Dessa forma o tempo será otimizado de forma mais efetiva e o bolso vai agradecer pela economia.

7 – Fuja do comum

Se você costuma repetir sempre o mesmo lanche para o seu filho, é comum que ele pare de comer o lanche. Isso porque as crianças podem acabar enjoando do alimento que está sempre presente na lancheira.

Um exemplo é que os pais costumam colocar maçã ou banana devido à praticidade. E esses são alimentos que as crianças acabam enjoando.

Uma alternativa é optar por outras frutas, como por exemplo uva, morango, melão, manga ou até mesmo melancia picados. 

8 – Faça bolos saudáveis

Além de pensar em como economizar no lanche da escola, os pais ainda precisam se preocupar com alimentos mais saudáveis.

Os bolos podem ser uma alternativa, pois são boas fontes de carboidratos desde que preparados de maneira saudável.

Podem ser preparados com menor quantidade de farinha branca, por exemplo. Os sabores podem ser os mais diversos e nutritivos, como cenoura, limão, laranja, coco e até de chocolate. Este último feito com cacau em pó.

9 – Evite alimentos embutidos

Pode até ser mais prático, porém um sanduíche com frios como o peito de peru não é saudável para os pequenos.

Isso porque esses alimentos costumam ser processados e apresentam conservantes, corantes, realçadores artificiais de sabor e alta quantidade de sódio.

Além de acabar acostumando o paladar das crianças com o excesso de sal, que pode acabar acarretando numa série de problemas a curto e a longo prazo.

Gostou das dicas? O que você prepara para as crianças levarem para a escola?

Priscila Gomes

Jornalista. Gosto de abraços, aniversários e do Natal. Atualmente produzo conteúdo para internet e faço assessoria sindical.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Avaliar a liquidez do investimento é importante para saber o prazo que poderá resgatar os lucros
13° salário
cartão-de-crédito-com-cashback
Montar uma reserva de emergência
Como usar a conta digital e fugir do banco tradicional