Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Tudo o que você precisa saber sobre criptomoeda

Escrito por: Bruna Somma em 18 de junho de 2019

Você alguma vez já ouviu falar sobre a criptomoeda, um tipo de dinheiro virtual? O Bitcoin é um dos principais exemplos.

Ela está cada vez mais presente nos jornais e meios de comunicação. Virou assunto, por exemplo, para os investidores e no mundo das finanças.

A criptomoeda tem a promessa de ganhos superiores ao do Mercado Bovespa e não tem regulação do Estado. Por isso, está no radar de diversos investidores.

Cada criptomoeda é única e apresenta um número de identificação específico. Somente quem tem a moeda consegue transferi-la e sem os intermédios dos bancos, agências ou do governo.

Apesar de ter valor monetário, não tem cédula ou qualquer regulador. As transações são feitas no modelo peer-to-peer, sem intermediários.

Na maioria das vezes, é necessário comprar do emissor ou de alguém que já tenha a moeda digital.

criptomoedas
As criptomoedas, como o Bitcoin, podem ser boas opções de investimento a longo prazo

Hoje, já é possível usar essa moeda para fazer pagamentos. Por exemplo, a FIAP é a primeira faculdade no Brasil a aceitar o bitcoin como forma de pagamento das mensalidades.

A criptomoeda tem altas chances de retorno. Você investe um valor para comprar essas moedas e, depois, pode ter um retorno alto em função de sua valorização no mercado.

Mas, é claro que riscos existem. Por isso, é preciso se planejar antes de fazer um investimento desses.

A seguir, veja um guia completo sobre como funcionam as criptomoedas e como ganhar dinheiro com elas.

Os tópicos abordados ao longo deste artigo são:

O que são criptomoedas?

Como conseguir uma dessas moedas?

Quando foi o boom das criptomoedas?

Quais são as principais criptomoedas?

O que são criptomoedas?

As criptomoedas são um tipo de dinheiro virtual. Elas recebem essa nomenclatura porque precisam ser criptografadas por meio de códigos difíceis de serem alterados.

Essas moedas usam a tecnologia de Blockchain. O objetivo é descentralizar as negociações feitas pela internet.

O que faz com que as criptomoedas não tenham a necessidade de passar por agências mediadoras ou bancos.

A meta dos idealizadores é oferecer uma moeda que não seja controlada pelo Estado. Na visão anarcocapitalista, a própria economia é suficiente para organizar a sociedade.

O termo Blockchain significa ‘corrente de blocos’. Cada criptomoeda tem a sua blockchain que armazena todos os registros de transações de moedas digitais.

Isso ocorre porque é formada uma cadeia de blocos de informação. Cada bloco tem uma chave de acesso que contêm os dados do bloco anterior.

Tal atividade possibilita que as transações tenham alto nível de segurança. Sobretudo por manter a privacidade do usuário.

As criptomoedas são únicas. Outras pessoas também podem ter uma moeda igual a sua. Porém, o número de identificação é diferente.

Por não ter nenhuma instituição que regule e controle o capital, muitas pessoas viam a criptomoeda como arriscada.

No início, os investimentos eram pouco atrativos em relação aos títulos públicos ou aplicações nos bancos.

Com o passar do tempo, a alta eficiência da criptomoeda se manteve e foi fixada. A preservação dos dados e registros por meio de criptografia complexa, em sua vez, já chamou a atenção até dos bancos.

Como conseguir uma dessas moedas?

Não existe um banco para retirar as criptomoedas. O trâmite para emissão e repasse é totalmente digital. Nenhum país ou região emite essas moedas.

Para conseguir uma delas é necessário passar pela mineração. Vamos fazer uma comparação. Imagine que você tem uma carteira virtual.

Só é possível colocar moedas digitais nela, como por exemplo, os bitcoins, Ethereum ou Ripple. Para ter uma dessas moedas, você terá que trabalhar. É esse trabalho que é conhecido como mineração de criptomoedas.

O procedimento de mineração é simples. O usuário tem que resolver um problema com cálculos matemáticos complexos em seu computador.

De dez em dez minutos, é adicionado um novo problema a blockchain para que a pessoa possa resolver.

Quem consegue resolver o problema, envia a solução a blockchain. Se estiver certo, o usuário ganha unidades de criptomoedas pelo trabalho. Esses usuários são conhecidos como mineradores.

Todos podem tentar resolver aos problemas matemáticos. Contudo, somente poucas pessoas conseguem.

Isso porque demanda um grande investimento de capital em servidores e computadores que sejam potentes para desempenhar esse tipo de trabalho.

Por esse motivo, é mais fácil comprar uma criptomoeda de quem já tem uma delas.

Quando foi o boom das criptomoedas?

As criptomoedas começaram a valorizar em 2013. Na época, as poupanças dos contribuintes da República do Chipre foram confiscadas.

Com isso, os bancos caíram em descrédito pela população, que buscou uma alternativa para a situação. As criptomoedas foram uma opção muita usada pela região.

Ela não era controlada por bancos ou governos e, portanto, não tinha risco de ser confiscada. Mas, a criptomoeda ainda era vista como uma bolha, em decorrência das suas oscilações de valores.

Em 2016, a crise institucional e econômica que influenciou as bases das instituições bancárias e governos acendeu o farol novamente para as moedas digitais.

Depois disso, a valorização da criptomoeda só aumentou. Em 2016, por exemplo, cada bitcoin valia US$ 443,57. No ano seguinte, já passou a valer US$ 17.549,67.

Quais são as principais criptomoedas?

Existem diversas criptomoedas disponíveis no mercado, mas vamos listar as principais delas. Confira!

Bitcoin

A moeda digital mais conhecida é o bitcoin (BTC). Ela foi criada em há nove anos e chegou a valer US$20 mil em 2017.

Para que a transação seja validada a demora, em média, é de dez minutos.

Os preços dos bitcoins são muito altos. Por isso, para facilitar as transações, a unidade é desenvolvida em uma forma de pagamento fracionário. Por exemplo, 0000,1 BTC.

O bitcoin é uma das principais criptomoedas
O bitcoin é uma das principais criptomoedas

Nenhum país emite os bitcoins. A moeda é descentralizada e gerada de maneira automática por usuário nomeados como mineradores.

Atualmente, existem cerca de 21 milhões de bitcoins em todo mundo. Assim, com o passar dos anos, tal criptomoeda se torna cada vez mais valiosa.

Dentre os modelos de moedas digitais é a mais fácil de ser trocada por dinheiro em espécie, seja dólar ou real. O que representa maior liquidez em relação as demais criptomoedas.

No FinanceOne é possível consultar o valor do bitcoin diariamente!

Etherium

Essa moeda digital movimenta mais de 70 bilhões. De acordo com a CryptoCompare, a valorização do Etherium superou os 600%.

Um diferencial é que, além de uma criptomoeda, o Etherium ainda é uma plataforma que elabora contratos inteligentes.

Isto é, tem o fôlego de acessar a transações e criar aplicativos descentralizados.

A mineração também é feita de forma distinta do bitcoin. No caso do Etherium, esse processo é feito com o uso de diversas placas de vídeo potentes.

Litecoin

O Litecoin tem como sua principal atribuição a rapidez nas transações. Isso porque enquanto um trâmite de bitcoin demora dez minutos, o Litecoin custa cerca de 2,30 minutos.

Em relação ao último ano, essa moeda teve valorização superior a 400%.

Ripple

A moeda Ripple foi idealizada por banqueiros que acreditaram na descentralização do dinheiro. E chamou a atenção dos investidores.

Por ter sido desenvolvida por pessoas ‘confiáveis no ramo dos investimentos’, a Ripple foi caracterizada como uma criptomoeda mais segura.

No início de 2018, ela atingiu o patamar de US$3,65. O que foi considerada a mais oscilação que tal moeda já sofreu.

Hoje, o custo de Ripple não é superior a R$2. A expectativa é que ela continue em crescimento pelos próximos períodos de análise.

Siacon

Essa é considerada a moeda mais promissora quando o quesito é a tecnologia blockchain. Ela não exige grandes processadores para serem mineradas.

Os usuários dessa moeda disponibilizam um espaço no computador para que as transações sejam processadas. Em trocas, as pessoas recebem unidades da criptomoeda.

O armazenamento é mais barato. O capital da Siacon se valorizou mais de 600% em comparação ao último ano. É promissor no mercado!

Para ficar por dentro dos valores das criptomoedas, entre no conversor do FinanceOne e confira as cotações do dia!

Bruna Somma

Jornalista formada pela UFRRJ, com passagens por redações de jornais, sites e Assessoria de Comunicação.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Avaliar a liquidez do investimento é importante para saber o prazo que poderá resgatar os lucros
investir no Tesouro Direto
empréstimo
Rendimento da poupança e outros detalhes desse investimento
Alta do Dólar