Dólar hoje - Valor e Cotação: R$ 5,60

Faça sua busca de cotação por período:


Dólar Real
US$ 1,00 R$ 5,60
US$ 100,00 R$ 560,00
US$ 500,00 R$ 2.800,00
US$ 1.000,00 R$ 5.600,00
US$ 3.000,00 R$ 16.800,00
US$ 5.000,00 R$ 28.000,00

REAL Dólar
R$ 1,00 US$ 0,18
R$ 100,00 US$ 17,86
R$ 500,00 US$ 89,29
R$ 1.000,00 US$ 178,57
R$ 3.000,00 US$ 535,71
R$ 5.000,00 US$ 892,86

Como funciona a cotação do dólar

A cotação do dólar americano funciona com base no câmbio flutuante, um tipo de regime em que determinada moeda pode oscilar o seu valor de acordo com os mecanismos e movimentações do mercado econômico.

Isso quer dizer que todas essas oscilações que nós estamos acostumados a ver como a subida ou a queda do dólar, libra esterlina, euro e até mesmo do real possuem ligação com essa política de câmbio flutuante.

Essa flutuação acontece em consequência das variações de mercado, como a oferta e procura, inflação, taxas de juros e outros.

Por isso, quando realizamos a cotação significa que estamos verificando o valor da moeda norte-americana em relação a uma outra moeda. Por exemplo, se a cotação estiver a R$4, significa que US$1 (1 dólar) está valendo R$4 (quatro reais).

Cédulas de dólar
Entenda como é feita a cotação do dólar

O que influencia o preço do dólar hoje?

Um dos princípios que regem o preço do dólar hoje é a lei da oferta e procura, uma regra econômica que envolve o preço de produtos e serviços oferecidos ao público de destino. Funciona da seguinte forma: quanto mais um produto e serviço é procurado, maior fica seu preço. E quanto menos é procurado, menor o valor.

Essa é uma regra também adotada para o reajuste da inflação no Brasil e em vários locais do mundo. Por isso, é muito importante de se entender para compreender o preço e a oscilação de moedas e valores.

Levando em consideração essa regra, o preço do dólar sobe quando há uma busca muito grande pela moeda no mercado internacional. E baixa, quando a procura pela moeda diminui significativamente no mercado financeiro.

Fatores econômicos e políticos de um país vão atrair ou afastar o capital estrangeiro, fazendo com que ele entre em maior ou menor quantidade. É nesse ponto que entra a lei da oferta e da procura definindo o valor da moeda para compra e venda. Mas não para por aí. O Banco Central pode intervir com práticas para equilibrar o valor da moeda caso julgue necessário.

Por exemplo, se o Banco Central achar que o preço da moeda pode prejudicar a economia brasileira, fica autorizado a realizar leilões e compras para interferir na demanda e oferta da moeda. Desta forma, o preço é impactado.

Tipos de cotação do dólar

Não basta apenas saber o dia em que a compra da moeda foi realizada, você precisa saber também se é o dólar comercial ou turismo.

Ainda há o dólar paralelo, cujo valor é resultante de compras e vendas em locais não autorizados pelo Banco Central. E os contratos futuros da moeda, que consistem em acordos de compra ou venda da moeda para um período futuro a uma cotação fixada.

Qual a diferença entre Dólar comercial e Dólar turismo? 

A diferença entre eles já fica implícita no nome, mas possuem outras finalidades.

  • Dólar comercial: é a moeda negociada por empresas e instituições financeiras. Por ter essa função, acaba sendo um pouco mais em conta que o dólar turismo, justamente pela quantidade de transações realizadas. Afinal, empresas movimentam uma quantidade de dinheiro maior e isso barateia o valor da moeda.
  • Dólar turismo: é a moeda comprada por pessoas físicas, na hora de viajar, por exemplo, também utilizado nas casas de câmbio e bancos. Possui o valor mais alto por conta da quantidade de dinheiro movimentada por uma pessoa física e as instituições que vendem o dólar turismo costumam pagar mais encargos tributários aos custos que possibilitam que o dinheiro esteja em mãos: transporte, armazenagem, segurança etc.

O que faz o dólar subir ou cair em relação ao real?

Em relação ao Real, existem vários motivos que implicam na variação do dólar para o território brasileiro.  No entanto, existem três principais motivos.

Veja quais são eles abaixo:

  • Gastos no exterior: quando há um número elevado de turistas brasileiros em território estadunidense ou outro que utilize o dólar como moeda comercial, cria-se uma demanda maior de dólares para gastar no exterior.

  • Juros dos Estados Unidos: quando os juros dos Estados Unidos sobem, há uma tendência natural de que investidores no Brasil levem suas aplicações para o exterior, já que lá, certamente os rendimentos terão uma rentabilidade melhor.

  • Déficit na balança comercial: quando o Brasil importa mais do que exporta, a oferta de moedas diminui, o que puxa para cima a variação da moeda.

Fora isso, a economia é forjada através do cenário do país.

Um exemplo é que quando há turbulências políticas, os investidores tendem a retirar seus investimentos para levar para outro local. Então há todo um entendimento do momento do país com o valor da moeda.

Qual a hora certa de comprar?

O momento certo é, definitivamente, quando seu valor está em baixa. Contudo, a moeda está em constante ascensão se comparado ao real. 

Então, é preciso observar os noticiários, acompanhar a cotação do dólar hoje no FinanceOne e se possível, comprar seus dólares aos poucos. 

Quais impostos incidem sobre o Dólar atualmente?

O principal imposto incidido no dólar no momento da compra é o Imposto sobre Operações Financeiras, o IOF. Para isso, a tarifa é de 1,10% sobre o preço do dólar.

Como o dólar impacta na sua vida

Fique sabendo que a cotação não é importante somente para quem vai viajar ou investir em capital estrangeiro. A relevância da moeda mundialmente é tamanha, que seu valor impacta em vários aspectos da nossa vida.

A maior parte das transações internacionais, como acordos de importação e exportação, são feitas em dólar. Várias relações podem ser traçadas entre o câmbio e os preços internos.

Com isso, boa parte dos produtos que consumimos no Brasil é impactada direta ou indiretamente pela cotação da moeda norte americana.

Podemos pensar em importados, como celulares, cosméticos, alimentos etc. Até o pão da padaria na sua esquina, cuja matéria prima para fabricação também é influenciada.

E também outras consequências, como o preço do combustível, a geração de empregos, a inflação e, é claro, os seus investimentos.

Por que se tornou uma moeda mundial? 

Nem sempre o dólar foi uma referência de moeda mundial. Até o século passado, por exemplo, a libra esterlina, moeda utilizada pela Inglaterra, era a referência para isso.

Com as Guerras Mundiais, os Estados Unidos foram ganhando espaço no comércio exterior. Principalmente com a Segunda Guerra Mundial, já que os EUA se tornaram uma potência mundial e ajudou a reconstruir a Europa e o Japão pós-guerra.

Especialistas explicam que mesmo que surjam crises econômicas nos Estados Unidos, como houve em 2008, dificilmente o país perderá esse espaço e o valor do dólar para o posto de moeda mundial.

Quais países usam o dólar hoje? 

Atualmente, cerca de 19 países utilizam o dólar americano como moeda oficial do país. Fora os Estados Unidos, estão:

  • Porto Rico;
  • Panamá;
  • Equador;
  • Somália;
  • El Salvador;
  • Turks e Caicos;
  • Zimbábue;
  • Guam;
  • Ilhas Virgens Americanas;
  • Palau;
  • Timor-Leste;
  • Ilhas Virgens Britânicas;
  • Ilhas Marshall;
  • Samoa Americana;
  • Estados Federados da Micronésia;
  • Ilhas Marianas do Norte;
  • Países Baixos Caribenhos;
  • Bonaire.

Outros países também utilizam o valor do dólar para realizar transações, já que é uma moeda considerada universal no mercado econômico.

Como o dólar se divide?

Um questionamento que surge é sobre o nome dado às moedas utilizadas nos Estados Unidos. Isso porque, o nome dólar só vale a partir da unidade básica da moeda, ou seja, para a nota de 1 dólar.

Assim como aqui, as unidades de moedas são chamadas de centavos, nos Estados Unidos, essas frações de Dólar são chamadas de Cents ou Pennies. E para chegar ao dólar, são necessárias moedas que cheguem ao valor de 100 cents. 

Atualmente, existem seis moedas e sete notas em circulação. Veja abaixo como funciona a nomenclatura para cada unidade:

  • US$ 1,00 = 1 dollar
  • US$ 0,50 = 1 half-dollar ou 50 cents (50 centavos)
  • US$ 0,25 = 1 quarter ou 25 cents (25 centavos)
  • US$ 0,10 = 1 dime ou 10 cents (10 centavos)
  • US$ 0,05 = 1 nickel ou 5 cents (5 centavos)
  • US$ 0,01 = 1 penny ou 1 cent (1 centavo)

O que achou disso?

Média da classificação 4.9 / 5. Número de votos: 28

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?