Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Economia verde: 24 milhões de empregos até 2030

Escrito por: Redação em 16 de maio de 2018

A economia verde vai gerar 24 milhões de empregos até 2030. Isso é o que conclui o estudo Perspectivas Sociais e de Emprego no Mundo 2018: “Greening with Jobs”, divulgado pela Organização Mundial do Trabalho. Esses postos serão criados se as políticas certas forem adotadas, afirma o relatório.

Empregos na agricultura, pesca, silvicultura, turismo, indústria farmacêutica, têxtil e de alimentos vão sofrer com o aumento da temperatura. Essas são áreas, por exemplo, que dependem de um ambiente sustentável.

Se a temperatura chegar ao que está sendo estimado, será muito quente para trabalhar, o que colocará em risco a saúde de trabalhadores e diminuirá a produtividade.

“Nós podemos logo chegar ao ponto em que empregos criados ou melhorados pelo desenvolvimento econômico correm o risco de serem destruídos ou piorados pelo resultado da degradação ambiental. O mundo do trabalho precisa de um ambiente sustentável”, disse Guy Ryder, diretor-geral da OIT, na introdução do relatório.

Também de acordo com a pesquisa, alcançar a sustentabilidade do meio ambiente pode criar empregos. E a economia verde vai ser a maior força de trabalho no futuro do trabalho.

As ações no setor de energia para limitar o aquecimento global em 2º C até o final do século podem criar os 24 milhões de empregos. E isso vai compensar todas as perdas no mercado de trabalho.

Sobre a criação de empregos, o relatório aponta que haverá uma criação líquida de 3 milhões de postos nas Américas, 14 milhões na Ásia e no Pacífico, e 2 milhões na Europa. Tudo isso graças a medidas na produção e uso de energia.

Já sobre as perdas, a estimativa é de redução líquida de empregos em 0,48%, ou 300 mil empregos no Oriente Médio e 0,04%, ou 350 mil postos na África. A causa seria a dependência dessas regiões de combustíveis fósseis e mineração, respectivamente.

Economia verde vai gerar 24 milhões de empregos
Indústria de cultivo de frutas e vegetais tem expectativa de maior demanda de empregos com a economia verde

O que são os empregos da economia verde?

A transição para uma economia com uso mais eficiente de recursos inclui uma mudança de métodos de produção em diversos setores.

Para conseguir limitar o aquecimento global a 2° C pelo setor de energia significa reduzir a dependência de combustíveis fósseis na eletricidade e nos transportes. Além de melhorar também a eficiência energética nos edifícios e na construção.

Essas mudanças vão resultar na criação de empregos em diversos segmentos econômicos. Os empregos da economia verde podem ser encontrados em qualquer setor econômico ou companhia.

O mais importante é que são postos que ajudam na transição para essa economia. Segundo o relatório da OIT, os empregos da economia verde são definidos como:

– Meios para reduzir o consumo de energia e de matérias-primas;

– Limitar as emissões de gases do efeito estufa;

– Minimizar desperdício e poluição;

– Proteger os ecossistemas;

– Permitir que empresas e comunidades se adaptem às alterações climáticas.

“As conclusões do nosso relatório reforçam o fato de que os empregos dependem fortemente de um ambiente saudável e dos serviços que ele fornece. A economia verde pode permitir que milhões de pessoas superem a pobreza, além de proporcionar condições de vida melhores para a atual geração e também para futuras. Esta é uma mensagem de oportunidade muito positiva em um mundo de escolhas complexas”, disse a diretora-geral adjunta da OIT, Deborah Greenfield.

A realocação é mais evidente no setor de energia. O setor ganha 2,5 milhões de empregos com a energia renovável enquanto perde 400 mil com empregos relacionados aos combustíveis fósseis.

Quais os benefícios da economia verde?

O estudo da Organização Mundial do Trabalho reforça a grande necessidade de que os países ajam com urgência. Essas medidas devem ser tomadas para orientar trabalhadores nas habilidades necessárias para a transição em uma economia mais verde.

Adquirir essas habilidades não serve agora apenas para tornar o ambiente mais sustentável. Oferece proteção social que facilita a transição para os novos empregos, ajuda na prevenção da pobreza e na redução da vulnerabilidade de famílias e comunidades.

Alguns dos benefícios da economia verde, concluídos na pesquisa “Greening with Jobs”, são:

– A maioria dos setores da economia se beneficiará da criação líquida de empregos: dos 163 setores econômicos analisados, 14 que perderão mais de 10 mil empregos no mundo;

– Os setores de extração e refino de petróleo apresentam perdas de 1 milhão ou mais de empregos;

– 2,5 milhões de postos de trabalho serão criados em eletricidade baseada em fontes renováveis. Isso vai compensar os cerca de 400 mil empregos perdidos na geração de eletricidade baseada em combustíveis fósseis;

– 6 milhões de empregos podem ser criados na transição para uma “economia circular”. Essas atividades são reciclagem, reparos, aluguel e remanufatura – substituindo o modelo econômico tradicional de “extração, fabricação, uso e descarte”.

As indústrias com a expectativa de maior demanda de empregos são:

– construção;

– fabricação de máquinas e aparelhos elétricos;

– produção de energia com hidrelétricas;

– cultivo de vegetais, frutas e grãos.

As indústrias com expectativa de declínio são:

– refinaria e extração de petróleo;

– produção de energia de carvão;

– casas particulares com pessoas empregadas;

– produção e extração natural de gás.

O estudo da OIT ainda conclui que mesmo com as perdas de emprego, se as medidas políticas certas forem adotadas, esse dano pode ser reduzido.

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

fraude
Brasil e Chile
crise
Economia da América latina
Trabalhadores da indústria temem perder empregos para robôs