Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Iene: conheça a história da moeda do Japão

Escrito por: Rafael Massadar em 4 de setembro de 2018

O Iene, moeda japonesa, que significa “circular”, é uma das mais fortes do mundo, perdendo apenas para o dólar e o euro. O código internacional da moeda é JPY.

A relevância do Iene no mercado internacional deve-se a duas razões principais:

– Porto seguro para muitos investidores, porque historicamente as autoridades japonesas controlam a estabilidade monetária.

– É uma moeda referência, já que outros países asiáticos como o Camboja, Vietnã e Laos usam o Iene como base de suas economias.

A atual moeda japonesa foi criada em 10 de maio de 1871 durante o dinastia Meiji. Ela teve como base o sistema monetário que existia na Europa. Isso porque o país usava um complicado sistema monetário no qual o governo imperial usava ouro e notas bancárias ao mesmo tempo.

Na ocasião, foi colocado em Ato da Nova Moeda, que estabeleceu o sistema decimal de contagem do Iene, o centesimal (sen) e o milesimal (rin). Os sistemas sen e rin foram tirados de circulação apenas em 1954.

Antes, cada feudo produzia a própria moeda. A emissão de cédulas começou em 1872, após uma reforma monetária baseada no dólar.

Desde o fim da 2ª Guerra Mundial, o Japão já produziu cinco séries de notas. A mais recente, a E, de 2004, propôs novos designs para as cédulas de ¥ 1.000, ¥ 5.000, e ¥ 10.000.

iene

As moedas japonesas

As moedas japonesas que estão em circulação atualmente passaram por uma série de adaptações ao longo dos anos. Cada uma tem um tamanho, um peso e desenhos específicos que as identificam.

No Japão circulam moedas de 1, 5, 10, 50, 100 e 500 ienes e notas de 1.000, 2.000, 5.000 e 10.000 ienes. Confira abaixo os detalhes de cada uma.

1 iene
É a menor de todas e feita de alumínio. Cada moeda pesa 1 grama. Em uma das faces, está representado o número indo-arábico “1” e o ano em que ela foi feita, em ideogramas japoneses. Na outra face, está desenhada uma árvore jovem, para representar o crescimento do país.

5 ienes
É dourada e tem um orifício no centro. É a única moeda que tem o valor representado apenas pela escrita japonesa. De um lado da moeda está escrito o número 5 (em ideograma japonês) e desenhos de engrenagens, um ramo de arroz e água. No outro lado está escrito “Japão” e o ano em que a moeda foi feita (em ideogramas japoneses).

10 ienes
De bronze, tem o número 10 e um ramo de louro em uma das faces. Do outro lado está desenhado o Templo Byodoin, da cidade de Uji, em Kyoto. O templo foi construído como representação do céu na terra e desde 1994 é considerado um Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Moedas mais valiosas

50 ienes
Essa é prateada e também tem o furo no centro. De um lado está cunhado o valor da moeda em números indo-arábicos e o ano da moeda. Do outro lado está escrito “Japão” e “50” em ideogramas japoneses, além de representações de flores de crisântemo.

100 ienes
Também é prateada e tem o desenho de flores de cerejeira e o número “100” em ideogramas japoneses. Do outro lado está cunhado “100” em números indo-arábicos e o ano da moeda.

500 ienes
É a maior de todas moedas japonesas. Possui 2,6 centímetros de diâmetro. Tem cor dourada e de um lado tem cunhado o desenho de folhas de Paulownia, planta típica do leste asiático, “Japão” e “500” em ideogramas japoneses. Do outro lado, há o número “500” e ramos de folhas de bambu e de tangerina.

As notas de Iene

1 mil
Foi criada em novembro de 2014. Ela faz homenagem ao médico japonês descobridor do agente causador da sífilis, Hideyo Noguchi. No verso, a nota de 1 mil possui o Monte Fuji e flores de cerejeira, ícones da beleza natural japonesa.

2 mil
Um pouco mais velha, está em circulação desde julho de 2000. É a única cédula que não traz uma pessoa, e sim uma estrutura. É o Shureimon, um portão construído entre 1527 e 1555 em Naha (Okinawa), destruído durante a 2ª Guerra Mundial, e reerguido 20 anos depois.

5 mil
Foi produzida em novembro de 2004. A figura central é uma famosa poeta japonesa chamada Ichiy Higuchi. Ela produziu no período Meiji uma obra que ainda tem grande impacto na literatura local contemporânea.

10 mil
Fukuzawa Yukichi (1835-1901), escritor, tradutor, empresário e jornalista, ativista dos direitos humanos, estampa a nota criada em novembro de 2004. No verso, uma estátua de uma fênix simboliza virtude, graça e renascimento do país.

A força da economia japonesa

A economia do Japão registrou no final de 2017 a mais longa expansão contínua desde a série de 12 trimestres de crescimento vista entre abril-junho de 1986 e janeiro-março de 1989. Período do ápice da notória bolha econômica do Japão.

No entanto, no início de 2018, a economia japonesa recuou no primeiro trimestre pela primeira vez em dois anos. O motivo foi a debilidade do consumo e uma onda de frio. Já entre abril e junho a economia superou a previsão de analistas com um aumento de 1,4%.

Contudo, o governo do Japão projeta que o Produto Interno Bruto (PIB) crescerá ainda mais em 2019. Os números devem ser motivados pelas exportações, consumo privado e gastos de capital.

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

moeda comum entre Brasil e Argentina
Inadimplência
Risco Brasil
Economia colaborativa: o que é e como se beneficiar dela
Salário mínimo