Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasEmpreendedorismoConfira 13 sites gratuitos para montar seu e-commerce

    Confira 13 sites gratuitos para montar seu e-commerce

    4.6
    (52)

    A pandemia do coronavírus impulsionou as vendas online. E o e-commerce deve continuar crescendo nos próximos anos.

    Publicidade

    Diante disso, criar uma loja virtual virou necessidade para muitos empreendedores. Uma das vantagens é a possibilidade de vender para o país inteiro. O que representa um alto potencial de escalabilidade.

    Contudo, antes de abrir um e-commerce, é necessário elaborar um plano de negócios eficiente. Esse é o primeiro passo para evitar possíveis problemas futuros tais como:

    • custos desconhecidos;
    • falta de fluxo de caixa;
    • estoque encalhado;
    • entre outros.

    Por que um e-commerce precisa de um plano de negócio?

    É comum ver novos empresários iniciarem suas jornadas digitais sem dar atenção para o planejamento. Muitos não sabem que o projeto precisa ter seu esboço, objetivos, cronograma, orçamento, ações e monitoramento.

    Na maioria dos casos em que isso acontece, a principal razão é o simples fato de que empreendedores inexperientes não entendem a real necessidade do plano de negócio dentro de um e-commerce.

    Ou seja, é importante que o plano de negócios tenha ao menos as estruturas básicas como as que se seguem:

    Publicidade
    • Análise do Empreendimento – O que será feito e quais são as atribuições de cada um;
    • Produto – O que será oferecido ao mercado e quais seus principais diferenciais;
    • Mercado – Quem é o público alvo, suas tendências e concorrência;
    • Marketing – Estratégias e ferramentas para a divulgação do negócio;
    • Planejamento Financeiro – Origem e aplicação dos recursos para a viabilização do negócio;
    • Cronograma e Metas – Programação de implantação e metas a serem atingidas.

    Vale ressaltar que não se deve copiar o plano de negócios de outros. Afinal, cada negócio é único, mesmo que seja concorrente.

    Além disso, cada empreendedor tem seu estilo, ideias, metas e experiências de vida. Por fim, faça um projeto realista: pesquise bem os fornecedores de serviços, principalmente as plataformas de e-commerce e meios de pagamentos.

    Há muita oferta no mercado. Cuidado com “promessas milagrosas”. Converse com clientes dessas empresas antes de decidir.

    Dicas para criar sua loja virtual

    Antes de escolher sites gratuitos para montar seu e-commerce, pesquise a reputação das ferramentas nos seguintes assuntos:

    • Suporte 24 horas: para sempre estar disponível para informar seus clientes sobre o que você vende e tirar suas principais dúvidas;
    • Planos de pagamento para receber pelas vendas: seja por meio de plataformas de pagamento como o Mercado Pago, o PagSeguro ou por boleto bancário e cartão;
    • Hospedagem do site: para garantir um site estável e que não cai, mesmo com muitos acessos;
    • Certificados de segurança: como os citados acima e que trazem credibilidade para seu negócio, além de garantir que as compras sejam fechadas.
    • Ferramentas de marketing e mensuração: como as do Google Analytics e das redes sociais, que garantem que seus serviços estão chegando até seu público alvo (além de informar quem é ele e onde está).

    13 Sites gratuitos para montar sua loja online

    1 – Google Meu Negócio

    Voltado para pequenas e médias empresas, a ferramenta gratuita Google Meu Negócio tem como objetivo facilitar a comunicação com consumidores que fazem buscas por empresas no Google e no Google Maps.

    Publicidade

    Você pode criar um site otimizado para dispositivos móveis para representar sua empresa. É possível usar automaticamente as informações e fotos presentes no perfil da sua empresa no Google. Depois, pode postar ofertas de negócio.

    2- Strikingly

    O Strikingly é um construtor de sites com diversas funcionalidades. Ele é bem intuitivo e fácil de usar, mas apresenta limitações no plano gratuito — a principal delas é que você só pode vender um produto.

    Apesar disso, a plataforma tem integração com meios de pagamento. Ou seja: é viável para começar a testar o seu negócio.

    3 – Wix

    O Wix permite criar gratuitamente uma vitrine virtual personalizável para começar a vender online.

    O empreendedor pode administrar seu catálogo de produtos, definir opções de pagamento, distribuir cupons e estabelecer regras de entrega e impostos para cada destino. O Wix não cobra comissão sobre vendas.

    Publicidade

    4 – Loja Integrada

    A Loja Integrada é uma plataforma voltada especificamente para a venda de produtos na internet.

    Com mais de 980 mil lojas criadas e 20 milhões de produtos vendidos, a Loja Integrada é uma das melhores opções gratuitas para começar a vender pela internet.

    5 – Ebanx Beep

    A fintech paranaense Ebanx lançou uma funcionalidade que permite criar a própria loja virtual em poucos minutos e começar a vender com CPF ou CNPJ.

    No Ebanx Beep não há assinatura ou mensalidade, mas sim uma comissão sobre cada venda. As lojas permitem pagamentos por boleto ou cartão de crédito.

    Também é possível criar cupons de desconto ou vouchers para uso quando seu empreendimento físico voltar a abrir as portas.

    Pessoa fazendo compras em um site de e-commerce
    E-commerce virou necessidade para muitos empreendedores

    6 – Webstarts

    O Webstarts é um serviço para construção de sites bastante personalizável e com uma boa variedade de recursos. A ferramenta conta com o sistema “drag and drop” (arrastar e soltar) de edição.

    Ou seja, é bem intuitiva de usar. Apesar dessa facilidade, a interface do Webstarts é toda em inglês, o que pode ser complicado para quem não domina o idioma.

    7 – Jimdo

    Mais de 20 milhões de websites já foram construídos com a ajuda do Jimdo. Assim como os outros exemplos citados neste texto, ele é bem fácil de usar — desde que você entenda itens em inglês.

    8 – Minestore

    É possível colocar uma loja virtual no ar em poucos minutos com a ajuda da Minestore. E sem pagar nada! Essa plataforma funciona de uma forma um pouco diferente das já citadas neste conteúdo.

    O plano mais básico da Minestore não cobra mensalidade, mas sim uma taxa de 2,99% por pedido efetuado.

    9 – Mozello

    A Mozello é um serviço bastante similar a outros que já citamos aqui. Seu diferencial está na possibilidade de criar sites em vários idiomas, o que pode ser interessante se você pretende vender para fora do país.

    10 – Nloja

    Além do plano gratuito, a Nloja possui modalidades acessíveis para quem está começando — o plano mais caro do serviço custa R$10 por mês. Ou seja, pode ser uma opção interessante para um negócio em estágio inicial.

    11 – Nuvemshop

    Para montar o seu e-commerce na Nuvemshop não é necessário ter conhecimento em programação ou design. A plataforma conta com diversos recursos, funcionalidades e até mesmo extensões para suprir as necessidades de quem quer começar a vender na internet.

    O site oferece um período de testes de 30 dias grátis, depois disso é necessário contratar um dos planos oferecidos pela plataforma.

    E quem vende pela Nuvemshop tem diversos benefícios como: vendas por meio de múltiplos canais digitais, personalização da loja, orientação e atendimento especializado. Além de ferramentas estratégicas e de marketing.

    12 – Zyro

    Com a Zyro, é possível criar sites e lojas virtuais de maneira muito simples e rápida. Por meio de seus recursos intuitivos, permite que o processo de lançar sua loja gere bastante economia, tanto no seu tempo quanto no seu bolso.

    Assim, a plataforma também apresenta outras vantagens, como hospedagem grátis, integração com outras redes sociais para fomentar as vendas e outros recursos bastante interessantes para o seu negócio.

    13 – Webnode

    Ainda no ramo das plataformas com uma proposta mais simples, o Webnode é um ótimo representante. Isso porque ele disponibiliza esquemas bastante intuitivos, tornando a tarefa de montar sua loja virtual algo muito mais fácil.

    Além disso, oferece recursos profissionais sem largar a proposta de funcionalidade, o que é uma característica muito importante. Possui um editor baseado em arrastar e soltar e dispensa a necessidade do operador saber de códigos e estruturas de desenvolvimento complexas.

    14 – Magento

    A Magento é uma plataforma bastante completa. Possui diversos recursos para lojas e é ideal justamente para negócios de grande porte.

    Uma de suas maiores vantagens são os mecanismos de SEO e o suporte a diversas moedas. Sendo assim, é uma plataforma que também a integrada a diversos tipos de processamento de pagamento, o que amplia as possibilidades do seu negócio.

    15 – Betalabs

    A Betalabs foi desenvolvida por discentes da Fundação Getúlio Vargas (FGV) com o objetivo de melhorar o sistema de vendas online de pequenas e médias empresas.

    A plataforma é bastante completa, possui muitos recursos e dispensa integração com outras. Sendo assim, também apresenta um sistema bastante sólido e robusto, o que dá ao gestor da loja muitas maneiras de realizar negócios.

    16 – Shopify

    A Shopify também é um ótimo exemplo no que se refere a plataformas com muitos recursos e possibilidades. Possui configurações avançadas de gerenciamento de produtos, sendo possível personalizar toda a jornada de compra de seu cliente.

    Além disso, é possível acessar os dados da sua loja, de modo que você possa analisar as métricas pelo Analytics. Dessa maneira, você entende melhor o comportamento do seu cliente e aprimora, cada vez mais, as estratégias de venda e captação.

    17 – PrestaShop

    Outro exemplo bem interessante é a PrestaShop, que é um ambiente de visual moderno, com muitas possibilidades e chance de integração com outras plataformas. Com ele, você tem a chance de ter um serviço bastante completo e eficiente para ofertar o melhor para o seu público.

    Criar uma loja virtual grátis vale a pena?

    As plataformas gratuitas são boas para testar um modelo de vendas pela internet, mas suas limitações dificultam a escalabilidade do negócio. Com o tempo, sua loja vai começar a crescer e será inevitável migrá-la para um plano pago.

    Além da limitação no cadastro de produtos, a maioria das plataformas gratuitas não permite a configuração de domínios próprios — algo extremamente ruim para o SEO.

    Isto é, lojas sem domínio próprio têm dificuldade de atrair tráfego de clientes via Google.

    Em resumo, vale a pena criar uma loja virtual grátis se o seu objetivo for testar um negócio de vendas pela internet. Mas é preciso ter em mente que isso não será uma solução permanente.

    Portanto, para crescer, você precisará investir em estrutura. E isso inclui o pagamento de uma plataforma de e-commerce robusta.

    Gostou do conteúdo? Compartilhe com um amigo que esteja querendo montar um e-commerce.

    *Colaboração de Isabella Mercedes

    O que achou disso?

    Média da classificação 4.6 / 5. Número de votos: 52

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Redação
    Redação
    O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    4 COMENTÁRIOS

    1. Gostaria de um site com próprio domínio, como encontrar um web designer para criar um, paguei um “profissional” mas ele não me entregou e como ele criou o dominio, acredito que não conseguirei utilizar o mesmo nome.
      Att.

      Yasuda

      • Olá, Yasuda! Tudo bem?
        Sugerimos que procure referências de profissionais no mercado, com indicações e portfólio. Também existem plataformas como o Workana, por exemplo, onde é possível encontrar profissionais freelancers.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasEmpreendedorismoConfira 13 sites gratuitos para montar seu e-commerce

    Confira 13 sites gratuitos para montar seu e-commerce

    4.6
    (52)

    A pandemia do coronavírus impulsionou as vendas online. E o e-commerce deve continuar crescendo nos próximos anos.

    Publicidade

    Diante disso, criar uma loja virtual virou necessidade para muitos empreendedores. Uma das vantagens é a possibilidade de vender para o país inteiro. O que representa um alto potencial de escalabilidade.

    Contudo, antes de abrir um e-commerce, é necessário elaborar um plano de negócios eficiente. Esse é o primeiro passo para evitar possíveis problemas futuros tais como:

    • custos desconhecidos;
    • falta de fluxo de caixa;
    • estoque encalhado;
    • entre outros.

    Por que um e-commerce precisa de um plano de negócio?

    É comum ver novos empresários iniciarem suas jornadas digitais sem dar atenção para o planejamento. Muitos não sabem que o projeto precisa ter seu esboço, objetivos, cronograma, orçamento, ações e monitoramento.

    Na maioria dos casos em que isso acontece, a principal razão é o simples fato de que empreendedores inexperientes não entendem a real necessidade do plano de negócio dentro de um e-commerce.

    Ou seja, é importante que o plano de negócios tenha ao menos as estruturas básicas como as que se seguem:

    Publicidade
    • Análise do Empreendimento – O que será feito e quais são as atribuições de cada um;
    • Produto – O que será oferecido ao mercado e quais seus principais diferenciais;
    • Mercado – Quem é o público alvo, suas tendências e concorrência;
    • Marketing – Estratégias e ferramentas para a divulgação do negócio;
    • Planejamento Financeiro – Origem e aplicação dos recursos para a viabilização do negócio;
    • Cronograma e Metas – Programação de implantação e metas a serem atingidas.

    Vale ressaltar que não se deve copiar o plano de negócios de outros. Afinal, cada negócio é único, mesmo que seja concorrente.

    Além disso, cada empreendedor tem seu estilo, ideias, metas e experiências de vida. Por fim, faça um projeto realista: pesquise bem os fornecedores de serviços, principalmente as plataformas de e-commerce e meios de pagamentos.

    Há muita oferta no mercado. Cuidado com “promessas milagrosas”. Converse com clientes dessas empresas antes de decidir.

    Dicas para criar sua loja virtual

    Antes de escolher sites gratuitos para montar seu e-commerce, pesquise a reputação das ferramentas nos seguintes assuntos:

    • Suporte 24 horas: para sempre estar disponível para informar seus clientes sobre o que você vende e tirar suas principais dúvidas;
    • Planos de pagamento para receber pelas vendas: seja por meio de plataformas de pagamento como o Mercado Pago, o PagSeguro ou por boleto bancário e cartão;
    • Hospedagem do site: para garantir um site estável e que não cai, mesmo com muitos acessos;
    • Certificados de segurança: como os citados acima e que trazem credibilidade para seu negócio, além de garantir que as compras sejam fechadas.
    • Ferramentas de marketing e mensuração: como as do Google Analytics e das redes sociais, que garantem que seus serviços estão chegando até seu público alvo (além de informar quem é ele e onde está).

    13 Sites gratuitos para montar sua loja online

    1 – Google Meu Negócio

    Voltado para pequenas e médias empresas, a ferramenta gratuita Google Meu Negócio tem como objetivo facilitar a comunicação com consumidores que fazem buscas por empresas no Google e no Google Maps.

    Publicidade

    Você pode criar um site otimizado para dispositivos móveis para representar sua empresa. É possível usar automaticamente as informações e fotos presentes no perfil da sua empresa no Google. Depois, pode postar ofertas de negócio.

    2- Strikingly

    O Strikingly é um construtor de sites com diversas funcionalidades. Ele é bem intuitivo e fácil de usar, mas apresenta limitações no plano gratuito — a principal delas é que você só pode vender um produto.

    Apesar disso, a plataforma tem integração com meios de pagamento. Ou seja: é viável para começar a testar o seu negócio.

    3 – Wix

    O Wix permite criar gratuitamente uma vitrine virtual personalizável para começar a vender online.

    O empreendedor pode administrar seu catálogo de produtos, definir opções de pagamento, distribuir cupons e estabelecer regras de entrega e impostos para cada destino. O Wix não cobra comissão sobre vendas.

    Publicidade

    4 – Loja Integrada

    A Loja Integrada é uma plataforma voltada especificamente para a venda de produtos na internet.

    Com mais de 980 mil lojas criadas e 20 milhões de produtos vendidos, a Loja Integrada é uma das melhores opções gratuitas para começar a vender pela internet.

    5 – Ebanx Beep

    A fintech paranaense Ebanx lançou uma funcionalidade que permite criar a própria loja virtual em poucos minutos e começar a vender com CPF ou CNPJ.

    No Ebanx Beep não há assinatura ou mensalidade, mas sim uma comissão sobre cada venda. As lojas permitem pagamentos por boleto ou cartão de crédito.

    Também é possível criar cupons de desconto ou vouchers para uso quando seu empreendimento físico voltar a abrir as portas.

    Pessoa fazendo compras em um site de e-commerce
    E-commerce virou necessidade para muitos empreendedores

    6 – Webstarts

    O Webstarts é um serviço para construção de sites bastante personalizável e com uma boa variedade de recursos. A ferramenta conta com o sistema “drag and drop” (arrastar e soltar) de edição.

    Ou seja, é bem intuitiva de usar. Apesar dessa facilidade, a interface do Webstarts é toda em inglês, o que pode ser complicado para quem não domina o idioma.

    7 – Jimdo

    Mais de 20 milhões de websites já foram construídos com a ajuda do Jimdo. Assim como os outros exemplos citados neste texto, ele é bem fácil de usar — desde que você entenda itens em inglês.

    8 – Minestore

    É possível colocar uma loja virtual no ar em poucos minutos com a ajuda da Minestore. E sem pagar nada! Essa plataforma funciona de uma forma um pouco diferente das já citadas neste conteúdo.

    O plano mais básico da Minestore não cobra mensalidade, mas sim uma taxa de 2,99% por pedido efetuado.

    9 – Mozello

    A Mozello é um serviço bastante similar a outros que já citamos aqui. Seu diferencial está na possibilidade de criar sites em vários idiomas, o que pode ser interessante se você pretende vender para fora do país.

    10 – Nloja

    Além do plano gratuito, a Nloja possui modalidades acessíveis para quem está começando — o plano mais caro do serviço custa R$10 por mês. Ou seja, pode ser uma opção interessante para um negócio em estágio inicial.

    11 – Nuvemshop

    Para montar o seu e-commerce na Nuvemshop não é necessário ter conhecimento em programação ou design. A plataforma conta com diversos recursos, funcionalidades e até mesmo extensões para suprir as necessidades de quem quer começar a vender na internet.

    O site oferece um período de testes de 30 dias grátis, depois disso é necessário contratar um dos planos oferecidos pela plataforma.

    E quem vende pela Nuvemshop tem diversos benefícios como: vendas por meio de múltiplos canais digitais, personalização da loja, orientação e atendimento especializado. Além de ferramentas estratégicas e de marketing.

    12 – Zyro

    Com a Zyro, é possível criar sites e lojas virtuais de maneira muito simples e rápida. Por meio de seus recursos intuitivos, permite que o processo de lançar sua loja gere bastante economia, tanto no seu tempo quanto no seu bolso.

    Assim, a plataforma também apresenta outras vantagens, como hospedagem grátis, integração com outras redes sociais para fomentar as vendas e outros recursos bastante interessantes para o seu negócio.

    13 – Webnode

    Ainda no ramo das plataformas com uma proposta mais simples, o Webnode é um ótimo representante. Isso porque ele disponibiliza esquemas bastante intuitivos, tornando a tarefa de montar sua loja virtual algo muito mais fácil.

    Além disso, oferece recursos profissionais sem largar a proposta de funcionalidade, o que é uma característica muito importante. Possui um editor baseado em arrastar e soltar e dispensa a necessidade do operador saber de códigos e estruturas de desenvolvimento complexas.

    14 – Magento

    A Magento é uma plataforma bastante completa. Possui diversos recursos para lojas e é ideal justamente para negócios de grande porte.

    Uma de suas maiores vantagens são os mecanismos de SEO e o suporte a diversas moedas. Sendo assim, é uma plataforma que também a integrada a diversos tipos de processamento de pagamento, o que amplia as possibilidades do seu negócio.

    15 – Betalabs

    A Betalabs foi desenvolvida por discentes da Fundação Getúlio Vargas (FGV) com o objetivo de melhorar o sistema de vendas online de pequenas e médias empresas.

    A plataforma é bastante completa, possui muitos recursos e dispensa integração com outras. Sendo assim, também apresenta um sistema bastante sólido e robusto, o que dá ao gestor da loja muitas maneiras de realizar negócios.

    16 – Shopify

    A Shopify também é um ótimo exemplo no que se refere a plataformas com muitos recursos e possibilidades. Possui configurações avançadas de gerenciamento de produtos, sendo possível personalizar toda a jornada de compra de seu cliente.

    Além disso, é possível acessar os dados da sua loja, de modo que você possa analisar as métricas pelo Analytics. Dessa maneira, você entende melhor o comportamento do seu cliente e aprimora, cada vez mais, as estratégias de venda e captação.

    17 – PrestaShop

    Outro exemplo bem interessante é a PrestaShop, que é um ambiente de visual moderno, com muitas possibilidades e chance de integração com outras plataformas. Com ele, você tem a chance de ter um serviço bastante completo e eficiente para ofertar o melhor para o seu público.

    Criar uma loja virtual grátis vale a pena?

    As plataformas gratuitas são boas para testar um modelo de vendas pela internet, mas suas limitações dificultam a escalabilidade do negócio. Com o tempo, sua loja vai começar a crescer e será inevitável migrá-la para um plano pago.

    Além da limitação no cadastro de produtos, a maioria das plataformas gratuitas não permite a configuração de domínios próprios — algo extremamente ruim para o SEO.

    Isto é, lojas sem domínio próprio têm dificuldade de atrair tráfego de clientes via Google.

    Em resumo, vale a pena criar uma loja virtual grátis se o seu objetivo for testar um negócio de vendas pela internet. Mas é preciso ter em mente que isso não será uma solução permanente.

    Portanto, para crescer, você precisará investir em estrutura. E isso inclui o pagamento de uma plataforma de e-commerce robusta.

    Gostou do conteúdo? Compartilhe com um amigo que esteja querendo montar um e-commerce.

    *Colaboração de Isabella Mercedes

    O que achou disso?

    Média da classificação 4.6 / 5. Número de votos: 52

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?